sexta-feira, dezembro 20, 2013

Torrone de Natal e um filme pra lá de superestimado

English version

Christmas torrone / Torrone de Natal

Estava lendo alguma coisa sobre “Spring Breakers: Garotas Perigosas” ontem e resolvi assistir o tão famigerado “Kids”, cujo roteiro foi escrito por Harmony Korine. Eu me lembro do bafafá causado pelo filme em seu lançamento, há muitos anos, e agora que o vi percebo que foi somente por seu conteúdo “polêmico” e não por ter qualquer qualidade. É um filme pobre, desconfortável de assistir e completamente desnecessário – uma hora e meia da minha vida desperdiçadas com algo tão superestimado.

Quando eu era pequena, todo ano, em meados de dezembro, meu pai recebia uma cesta de Natal da empresa em que trabalhava: havia panetone, ameixas secas, passas, caixa de bombons e torrone (a minha guloseima preferida da cesta). Hoje, os torrones que encontro para comprar nada tem a ver com os torrones daquela época – acredito que tanto o produto quanto as minhas papilas gustativas mudaram – e até pouco tempo atrás eu achava o doce bem superestimado (e crianças de seis anos não sabem nada de bons doces, não é mesmo?) :D.

Isso foi até eu fazer torrone em casa. ;)

Se vocês estiverem sem tempo ou não tiverem um termômetro culinário em casa (essencial para esta receita), usem as suas claras, pistaches e cranberries para preparar torrone em forma de financier.

Torrone de Natal
da Martha

- xícara medidora de 240ml

papel arroz comestível suficiente para duas camadas em uma forma de 22,5x32,5
1/3 xícara de amido de milho
3 claras grandes
1 xícara de mel
3 xícaras (600g) de açúcar cristal
½ xícara (70g) de açúcar de confeiteiro
130g de pistaches crus e sem sal
130g de cranberries secas

Forre uma forma retangular de 22,5x32x5cm com o papel arroz, sem sobrepor as folhas (recorte-as se necessário).
Salpique uma superfície limpa e seca com o amido de milho. Coloque as claras na tigela grande da batedeira e use o batedor em formato de pá. Reserve.
Em uma panela média, misture o mel e o açúcar cristal. Leve ao fogo médio e cozinhe até que a mistura comece a ferver, cerca de 4 minutos. Coloque um termômetro culinário na panela e continue cozinhando a mistura, mexendo ocasionalmente.
Bata as claras até que elas formem picos firmes; junte o açúcar de confeiteiro e bata para incorporar. Quando o termômetro registrar 157°C retire a panela do fogo. A temperatura vai subir para 160°C – misture com uma espátula de silicone até que a temperatura baixe para 148°C, 1-2 minutos. Com a batedeira ligada, despeje a mistura quente lentamente nas claras (despeje na lateral da tigela, evitando que a mistura quente atinja o batedor e espirre em você) e continue batendo – elas aumentarão bastante de volume; aguarde alguns segundos até que o volume volte ao normal e continue batendo e despejando a mistura de açúcar. Bata até que a mistura fique espessa e comece a grudar no batedor. Junte o pistache e as cranberries.
Despeje a mistura sobre a superfície coberta com o amido de milho (eu achei mais fácil removê-la da tigela usando as mãos, já que é bem firme e a espátula não dá conta). Dobre a massa três vezes, evitando ao máximo incorporar muito amido de milho. Transfira para a forma forrada com papel arroz e espalhe com as mãos até preencher a forma completamente. Cubra com outra folha de papel arroz e deixe esfriar sobre uma gradinha. Corte em pedaços enquanto ainda estiver morno. Guarde em recipiente hermético, entre folhas de papel manteiga, por até duas semanas.

Rend.: cerca de 40 pedaços – fiz exatamente a receita acima usando uma forma de 20x30cm

7 comentários:

Anônimo disse...

Que delicia! Esses torrones ficam macios ou crocantes?

alicia torres disse...

se ve delicioso

valeria rezende disse...

Oi Patrícia, fiquei com água na boca, mas infelizmente não encontro papel de arroz na minha cidade. Pode fazer sem ou substitiur?
Abraços!

Quéroul disse...

lembro que chamava o filme de 'Kidsgraça', porque o troço era ruim. mas na época, era o mais perto de pornô que eu chegava, sabe, hahaha. viva a internet hoje em dia! aloka.

affs, torrone, eu amo. e amo ainda o bem podrinho que vende nas lojas. mas comi um na Itália uma vez, daqueles artesanais das feirinhas e tal, olha... dá saudade.
pena que eu não tenho paciência pra fazer em casa, sei que vai dar errado...

=*

Patricia Scarpin disse...

Anônimo, ficam macios.

Val, putz, querida, não sei dizer se daria certo sem o,papel... :(

Anônimo disse...

Amo seu blog, sou apaixonada por ele, meus parabéns!!!
Um ótimo Natal e um ano cheio de felicidades e novas receitas...beijos
Meire Dellafina

wair de paula disse...

adoro, sou louco por torrone. mas creio que tão cedo não me aventuro nesta receita, Pat...todas minhas experiências caseiras com clara/marshmallow ainda não deram certo.
no mais, feliz 2014. que seja tão doce quanto suas receitas.
forte abraço,
w

Related Posts with Thumbnails