Thursday, July 19, 2018

Muffins de maçã e centeio, livros e carinhos


Muffins de maçã e centeio

Tenho recebido mensagens muito queridas das leitoras do blog e tenho de agradecer: esse montão de carinho chegando para mim está certamente me ajudando a lidar com a minha doença. Continuo em tratamento e com esperanças de que vai dar certo. Há dias em que fraquejo e choro, me sinto feia, mas vocês sempre dão um jeitinho de me animar, é incrível. Muito obrigada. <3

Também estou adorando ver meus livros indo para mãos tão especiais. Já teve até post no Facebook com foto do livro e tudo (beijo, Lucas!). Eu adoraria ficar com os livros, mas como não posso me sinto feliz sabendo que estão indo para pessoas que vão curti-los tanto quanto eu.

Falando em livros, estou doida para ler alguma coisa interessante – ando relapsa com isso e é algo que me faz falta. O último que li foi “A Sangue Frio”, do Capote, e faz séculos já (aliás, amei o livro). Quem quiser mandar sugestões eu vou adorar. :)

Enquanto isso, fiquem com muffins de maçã perfumados, macios e deliciosos – a farinha de centeio dá um toque amendoado maravilhoso à receita, mas quem não tiver no armário pode fazer os muffins usando 2 xícaras (280g) de farinha de trigo comum, ou trocar os 70g de farinha de centeio por farinha integral.

Muffins de maçã e centeio
receita minha

- xícara medidora de 240ml

1 ½ xícaras (210g) de farinha de trigo
½ xícara (70g) de farinha de centeio
1 colher (chá) de fermento em pó
½ colher (chá) de bicarbonato de sódio
¼ colher (chá) de sal
½ colher (chá) de canela em pó
½ xícara (113g) de manteiga sem sal, derretida e fria
½ xícara (88g) de açúcar mascavo
½ xícara (100g) de açúcar cristal
2 ovos
½ xícara (130g) de iogurte natural integral
1 colher (chá) de extrato de baunilha
2 maçãs Granny Smith, descascadas e em cubinhos
½ xícara (75g) de passas claras

Preaqueça o forno a 200°C. Forre uma forma de muffins com 12 cavidades com forminhas de papel.

Em uma tigela grande, peneire a farinha de trigo, a de centeio, o fermento, o bicarbonato, o sal e a canela. Reserve. Em uma tigela média, junte a manteiga, os açúcares, os ovos, o iogurte e a baunilha e misture com um garfo. Despeje sobre os ingredientes secos e misture levemente com o garfo até incorporar, mas sem misturar demais – massa de muffin é empelotada mesmo, se mexer demais os muffins ficarão duros. Incorpore as maçãs e as passas. Divida a massa entre as forminhas e asse por 20-25 minutos ou até que os muffins cresçam e dourem (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma por 5 minutos e então remova os muffins com cuidado, transferindo para uma gradinha. Sirva mornos ou em temperatura ambiente.

Rend.: 12 unidades

Tuesday, July 17, 2018

Crumble de maçã, morango e coco


Crumble de maçã, morango e coco

Já contei aqui que crumble é minha sobremesa preferida: dá pra fazer com um montão de frutas diferentes (é só clicar na tag “crumble” aqui do blog para se ter uma ideia), dá pra misturar um pouco de uma e um pouco de outra, dá para servir com sorvete ou com chantilly. Houve muitos (mas muitos mesmo) sábados em que eu fiz maratonas de seriados e filmes no sofá da sala com um crumble no colo, mesmo no verão.

Ando me planejando preparar um crumble com óleo de coco, como vi no lindo blog Green Kitchen Stories, mas enquanto isso não acontece lhes trago uma receita antiguinha, porém deliciosa: crumble de maçã, morango e coco. Vale a pena preparar esta receita, acompanhada de sofá + seriado ou não. :)

Só lembrando: quem estiver interessado em adquirir os livros que estou vendendo é só clicar aqui para ver a lista de exemplares ainda disponíveis.

Crumble de maçã, morango e coco
receita minha

- xícara medidora de 240ml

Cobertura:
½ xícara (70g) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de açúcar cristal
1 pitada de sal
¼ xícara (25g) de coco em flocos sem açúcar
2 colheres (sopa) de aveia em flocos
3 colheres (sopa) de manteiga sem sal, gelada e picada

Frutas:
1 ½ xícaras (200g) de morangos frescos, sem as folhinhas e cabinhos, cortados ao meio ou em 4 partes se forem muito grandes
1 maçã Granny Smith grande (170g), descascada e picada em cubinhos
2 colheres (chá) de suco de limão
1 colher (sopa) de açúcar cristal

Preaqueça o forno a 180°C. Separe 4 potinhos refratários com capacidade para 1 xícara (240ml) cada, ou um refratário grande e raso com capacidade para 1 litro.

Em uma tigela média misture bem a farinha, o açúcar, o sal, o coco e a aveia. Junte a manteiga e misture com as pontas dos dedos, esfregando os ingredientes juntos até obter uma farofa grossa. Leve ao freezer por 5 minutos enquanto você prepara as frutas.

Em uma tigela grande, misture as maçãs, os morangos, o suco de limão e o açúcar. Divida a fruta entre os potinhos refratários e cubra-os com a farofinha. Leve ao forno por 25-30 minutos ou até que a cobertura fique bem dourada. Sirva com chantilly ou sorvete.

Rend.: 4 porções

Wednesday, July 11, 2018

Pão de azeitona e queijo


Pão de azeitona e queijo

Há muitos anos rolam nos blogs de comida versões do pão sem sova do Jim Lahey, e eu fui mais lerda do rolê e demorei séculos para fazer a receita, depois de a Marcinha me convencer a prová-la (obrigada, querida!). A receita é maravilhosa, mesmo, e acabou popularizada aqui no Brasil pela Rita Lobo (apesar de ela ter dado crédito ao Luiz Américo Camargo a receita usada por ela no Cozinha Prática é idêntica à do Jim Lahey).

O que eu fiz, há muito tempo, quando ainda testava receitas para o livro, foi usar a técnica do Jim de assar o pão dentro da panela, mas usando uma massa minha, de fermentação mais rápida. Como aqui em casa somos vorazes consumidores de azeitonas, coloquei um bom punhado de azeitonas verdes e pretas na massa e completei com outra porção generosa de parmesão (para vocês terem ideia de como a receita é antiga, eu ainda não tinha intolerância à lactose). O pão é delicioso e úmido, vai lindamente bem com sopas ou em uma tábua de queijos e frios.

Hoje em dia faço a mesma receita, mas omito o queijo e aumento a quantidade total de farinha de trigo para 2 ½ xícaras (350g) e aumento o sal para 1 colher (chá) – o pão fica gostoso, também, mas confesso que o parmesão dá um toque bem especial ao pão.

Ah, lembrando a quem quiser comprar os meus livros: a lista está aqui.

Pão de azeitona e queijo
receita minha

- xícara medidora de 240ml

1 xícara (240ml) de água morna
1 ½ colheres (chá) de fermento biológico seco
½ colher (chá) de açúcar
2 colheres (sopa) de azeite de oliva extra virgem
2 ¼ xícaras (315g) de farinha de trigo comum, uso dividido
1 xícara (140g) de farinha de trigo integral
½ colher (chá) de sal
1 xícara (150g) de azeitonas verdes, sem os caroços e grosseiramente picadas
1 xícara (150g) de azeitonas pretas, sem os caroços e grosseiramente picadas
1 ¼ xícaras (125g) de parmesão, grosseiramente ralado – rale, depois meça

Na tigela da batedeira planetária, misture com um garfo a água, o fermento e o açúcar. Reserve por 5 minutos ou até espumar. Junte o azeite, 2 xícaras (280g) da farinha branca, a farinha integral e o sal e bata com o batedor para massas pesadas em velocidade média até obter uma massa lisa e elástica, cerca de 8 minutos – se sovar na mão, 12-15 minutos. Acrescente o queijo e as azeitonas e misture bem para distribuir os ingredientes por toda a massa – as azeitonas dão umidade à massa e, por isso, caso a massa fique líquida demais, acrescente o ¼ xícara de farinha restante. Se não precisar, não acrescente. Forme uma bola com a massa, transfira para uma tigela grande pincelada com azeite e cubra com plástico filme. Deixe crescer em um lugar morninho da cozinha, longe de correntes de ar, até dobrar de volume, 1 ½ horas.

Quando a massa crescer, divida-a em duas partes iguais e formate cada uma como uma bola (ou se preferir faça um pão só, maior e mais alto) - aqui tenho feito a dica da Rita ligeiramente adaptada: formo as bolas em cima de um pedaço de papel alumínio polvilhado com um pouco de farinha integral: na hora de colocar na panela, só viro a bola de cabeça para baixo, segurando pelo papel.
Deixe crescer novamente, cobertas com um pano de prato limpo e seco, por mais 40 minutos – enquanto isso, preaqueça o forno a 220°C. 25 minutos antes de assar os pães coloque no forno duas panelas de ferro, esmalte ou cerâmica de 20cm de diâmetro (que possam ir ao forno, tenham tampa, e sem nenhum material que possa derreter) e deixe preaquecer – eu testei a receita com uma tigela de cerâmica sem tampa e usei com ela uma tampa de panela de inox, mas que não encaixava perfeitamente. O pão deu certo, mas não ficou tão bonito quanto o outro assado em uma panela bem fechada.
Retire as panelas do forno com cuidado, transfira as bolas de massa para cada uma delas, tampe e volte ao forno. Asse por 30 minutos. Retire a tampa e deixe os pães mais 20 minutos no forno, para que dourem. Retire as panelas do forno com cuidado, vire os pães sobre uma gradinha e deixe esfriar. Sirva mornos ou em temperatura ambiente – os pães ficam ótimos até 3 dias depois se reaquecidos rapidamente no forno.

Rend. 2 pães mais baixinhos, ou 1 pão grande e alto


Monday, July 02, 2018

Gozleme de brócolis, feta e pinoli e inspiração vinda da TV


Gozleme de brócolis, feta e pinoli

Obrigada a todos que me escreveram sobre os livros – fiquei muito feliz com os e-mails de vocês! Vou enviar os preços a todos e espero que os Correios não deixem os fretes muito salgados... :)

Falando em salgado, por muitos anos eu preferi fazer receitas doces – especialmente de baking – a receitas salgadas: sou, sim, uma formiga confessa. Entretanto, de uns tempos para cá, depois que comecei a testar as receitas do livro, me peguei apaixonada por receitas salgadas: mal podia esperar para preparar uma sopa ou um macarrão diferentes.

Assim como o maravilhoso Ottolenghi me apresentou à pide, novamente fui inspirada pelos programas de comida da TV e descobri o gozleme – se minha memória não me falha, foi com o Ainsley Harriott e seu delicioso “Temperos pelo Mundo” (canal Discovery World). A massa é uma delícia e dá para variar os recheios infinitamente – o céu é o limite, ou como diz a Rita Lobo, “você é uma pessoa livre”. :D

Faço esses brócolis refogados com Marsala com frequência e achei que ficariam gostosos no gozleme – o salgadinho do feta e o crocante do pinoli tornam o recheio extremamente saboroso.

Gozleme de brócolis, feta e pinoli
receita minha, massa inspirada em várias receitas que vi online

- xícara medidora de 240ml

Massa:
1 colher (chá) de fermento biológico seco
½ colher (chá) de açúcar
¾ xícara (180ml) de água morna
1 colher (chá) de azeite de oliva extra virgem
2 xícaras (280g) de farinha de trigo comum
1 colher (sopa) de iogurte natural integral
1 colher (chá) de sal

Recheio:
1 colher (sopa) de azeite
1 dente de alho, picadinho
200g de floretes de brócolis
sal e pimenta do reino moída na hora
1 colher (sopa) de Marsala ou outro vinho fortificado – o Marsala dá um sabor caramelizado delicioso ao recheio, porém é opcional e pode ser omitido ou substituído por vinho branco seco
100g de queijo feta, picado ou esmigalhado
1 ½ colheres (sopa) de pinoli – pode ser substituído por nozes picadas

Na tigela da batedeira planetária, ou em uma tigela grande caso vá sovar a massa com as mãos, junte o fermento biológico, o açúcar e a água. Misture com um garfo e reserve por cerca de 5 minutos ou até que a mistura espume. Acrescente o azeite, a farinha, o iogurte e o sal. Bata com o batedor em formato de gancho em velocidade média por 6-8 minutos ou até obter uma massa lisa e homogênea – se sovar na mão, 10-12 minutos. Transfira a massa para uma tigela grande pincelada com azeite, cubra com filme plástico e deixe crescer em um lugar livre de correntes de ar até que a massa dobre de volume, cerca de 1 hora e meia – em dias muito frios eu ligo o forno e deixo a cozinha mais morninha para que a massa cresça bem.

Enquanto isso, prepare o recheio: em uma frigideira antiaderente grande aqueça o azeite em fogo médio-alto. Junte o alho e refogue por apenas 1 minuto, até perfumar. Acrescente os floretes de brócolis e misture, refogando por todos os lados, num total de 3 minutos. Tempere com sal e pimenta do reino (cuidado com o sal, pois o feta é salgado), acrescente o Marsala e cozinhe por mais 1 minuto ou até o vinho secar. Retire do fogo, deixe esfriar e misture o feta e o pinoli.

Divida a massa em 4 partes iguais. Em uma superfície levemente enfarinhada, abra cada pedaço de massa com um rolo até obter um círculo de 22-25cm de diâmetro. Coloque ¼ do recheio em um dos lados do círculo e depois dobre a outra metade sobre o recheio, fechando bem as laterais para que o recheio não escape (mais ou menos como fazemos com pastel).

Aqueça uma frigideira antiaderente grande em fogo alto. Pincele um dos lados do gozleme com azeite e coloque na frigideira com o lado pincelado para baixo, grelhando por 2-3 minutos ou até que doure e fique com queimadinhos saborosos. Antes de virar, pincele com azeite o lado que ainda não foi grelhado e vire. Grelhe do outro lado por mais 2-3 minutos. Repita o processo com os gozlemes restantes. Sirva em seguida.

Rend.: 4 unidades

Friday, June 29, 2018

Barrinhas de geleia e granola e a lista de livros à venda


Barrinhas de geleia e granola

Hoje posto a primeira leva de livros que pretendo vender, conforme lhes contei no post de outro dia. Peço que, por favor, me enviem um email – patricia (ponto) scarpin@gmail.com – caso tenham interesse em algum livro: incluam o seu endereço no email para que eu possa calcular o frete. Para ver a lista, clique aqui.

Trago novidades sobre a venda de livros, mas trago receita também: estas barrinhas são perfeitas para usar aquela granola que anda esquecida no fundo do armário. Dá para variar as barrinhas usando diferentes sabores tanto de granola quanto de geleia.

Barrinhas de geleia e granola
receita minha

Base:
¼ xícara (50g) de açúcar cristal
¾ xícara (105g) de farinha de trigo
1/3 xícara (45g) de farinha de trigo integral
1 pitada de sal
100g de manteiga sem sal, derretida e fria
1 gema (guarde a clara para fazer a cobertura)
½ colher (chá) de extrato de baunilha

Recheio e cobertura:
½ xícara (170g) de geleia da sua preferência – gosto de amora, framboesa e damasco para esta receita (com a de morango acho que fica muito doce)
1 ¾ xícaras (210g) de granola
1 clara

Comece preparando a base: preaqueça o forno a 180°C. Forre com papel alumínio uma forma quadrada de 20cm deixando sobras em dois lados opostos, formando “alças” (para desenformar mais facilmente as barrinhas). Unte o papel com manteiga.

Em uma tigela grande, misture as farinhas, o açúcar, e o sal. Acrescente a manteiga, a gema e a baunilha e misture levemente até que uma massa comece a se formar, esfarelada mesmo – não misture demais para que a base não fique dura e ressecada. Aperte a mistura no fundo da forma preparada e leve ao forno por 25-30 minutos ou até dourar.
Retire do forno e, com cuidado, espalhe a geleia sobre a base. Em uma tigela, misture bem a granola e a clara e em seguida espalhe sobre a camada de geleia de maneira bem uniforme. Volte ao forno por mais 20 minutos. Retire do forno e deixe esfriar na forma sobre uma gradinha. Corte em quadradinhos para servir.

Rend.: 16 barrinhas

Livros à venda

Lista de livros à venda.

Peço que, por favor, me enviem um email – patricia (ponto) scarpin@gmail.com – caso tenham interesse em algum livro: incluam o endereço no email para que eu possa calcular o frete.

Home Baked: More Than 150 Recipes for Sweet and Savory Goodies, de Yvette van Boven (capa dura) - R$ 50,00 + frete

Take One Veg: Super simple recipes for meat-free meals, de Georgina Fuggle - R$ 30,00 + frete - VENDIDO

Bread, Cake, Doughnut, Pudding: Sweet and Savoury Recipes from Britain's Best Baker, de Justin Gellatly (capa dura) - R$ 50,00 + frete

Jamie's Comfort Food, de Jamie Oliver (capa dura) - R$ 40,00 + frete - VENDIDO

Scandinavian Baking: Sweet and Savory Cakes and Bakes, for Bright Days and Cozy Nights, de Trine Hahnemann (capa dura) - R$ 50,00 + frete - VENDIDO

Save with Jamie, de Jamie Oliver (capa dura) - R$ 40,00 + frete

Rosemary Shrager's Bakes, Cakes & Puddings, de Rosemary Shrager (capa dura) - R$ 20,00 + frete

Gordon Ramsay's Ultimate Home Cooking, de Gordon Ramsay (capa dura) - R$ 35,00 + frete - VENDIDO

Brighton Bakes, de Jessica Haggerty (capa dura) - R$ 25,00 + frete

Chocolat, de Eric Lanlard (capa dura) - R$ 30,00 + frete - VENDIDO

The Boy Who Bakes, de Edd Kimber (capa dura) - R$ 20,00 + frete - VENDIDO

John Whaite Bakes: Recipes for Every Day and Every Mood, de John Whaite (capa dura) - R$ 50,00 + frete

Flour: Spectacular Recipes from Boston's Flour Bakery + Cafe, de Joanne Chang (capa dura) - R$ 50,00 + frete

Heather Christo’s Generous Table: Easy & Elegant Recipes through the Seasons, de Heather Christo (capa dura) - R$ 50,00 + frete

The Book of Buns: Over 50 brilliant bakes from around the world, de Jane Mason (capa dura) - R$ 30,00 + frete

Jenny McCoy's Desserts for Every Season, de Jenny McCoy (capa dura) - R$ 50,00 + frete

Sweet, de Valerie Gordon (capa dura) - R$ 50,00 + frete

Piece of Cake: Home Baking Made Simple, de David Muniz e David Lesniak (capa dura) - R$ 20,00 + frete - VENDIDO

Desserts by the Yard: From Brooklyn to Beverly Hills: Recipes from the Sweetest Life Ever, de Sherry Yard (capa dura) - R$ 40,00 + frete

Wacky Cakes and Kooky Cookies, de Gerhard Jenne (capa dura) - R$ 15,00 + frete

Luscious Creamy Desserts, de Lori Longbotham (capa dura) - R$ 15,00 + frete

Luscious Lemon Desserts, de Lori Longbotham (capa dura) - R$ 15,00 + frete

Luscious Chocolate Desserts, de Lori Longbotham (capa dura) - R$ 15,00 + frete

The SoNo Baking Company Cookbook: The Best Sweet and Savory Recipes for Every Occasion, de John Barricelli (capa dura) - R$ 30,00 + frete

The Seasonal Baker: Easy Recipes from My Home Kitchen to Make Year-Round, de John Barricelli (capa dura) - R$ 30,00 + frete

Fresh from the Market: Seasonal Cooking with Laurent Tourondel and Charlotte March, de Laurent Tourondel e Charlotte March (capa dura) - R$ 20,00 + frete

Baked: New Frontiers in Baking, de Matt Lewis e Renato Poliafito (capa dura) - R$ 35,00 + frete

Baked Explorations: Classic American Desserts Reinvented, de Matt Lewis e Renato Poliafito (capa dura) - R$ 35,00 + frete

Baked Elements: The Importance of Being Baked in 10 Favorite Ingredients, de Matt Lewis e Renato Poliafito (capa dura) - R$ 35,00 + frete

Chocolate Desserts, de Pierre Herme (capa dura) - R$ 40,00 + frete - VENDIDO

Standard Baking Co. Pastries, de Alison Pray e Tara Smith (capa dura) - R$ 30,00 + frete

Full of Flavor: How to Create Like a Chef, de Maria Elia (capa dura) - R$ 25,00 + frete

Nick Malgieri's Bread: Over 60 Breads, Rolls and Cakes plus Delicious Recipes Using Them, de Nick Malgieri (capa dura) - R$ 50,00 + frete - VENDIDO

Patisserie at Home: Step-by-step recipes to help you master the art of French pastry, de Will Torrent (capa dura) - R$ 30,00 + frete - VENDIDO

In the Sweet Kitchen, de Regan Daley - R$ 40,00 + frete

The Big Sur Bakery Cookbook: A Year in the Life of a Restaurant, de Michelle Wojtowicz, Phillip Wojtowicz e Michael Gilson (capa dura) - R$ 30,00 + frete

Sugar, Sugar: Every Recipe Has a Story, de Kimberly "Momma" Reiner e Jenna Sanz-Agero (capa dura) - R$ 20,00 + frete

Sweet Home: Over 100 Heritage Desserts and Ideas for Preserving Family Recipes, de Rebecca Miller Ffrench (capa dura) - R$ 25,00 + frete - VENDIDO

Sweet Auburn Desserts: Atlanta's Little Bakery That Could, de Sonya Jones (capa dura) - R$ 30,00 + frete

Tea With Bea: Recipes from Bea's of Bloomsbury, de Bea Vo (capa dura) - R$ 30,00 + frete - VENDIDO

My Favorite Ingredients: An Enticing Collection of Recipes, de Skye Gyngell - R$ 30,00 + frete

CakeLove in the Morning: Recipes for Muffins, Scones, Pancakes, Waffles, Biscuits, Frittatas, and Other Breakfast Treats, de Warren Brown (capa dura) - R$ 30,00 + frete - VENDIDO

The Dahlia Bakery Cookbook: Sweetness in Seattle, de Tom Douglas (capa dura) - R$ 50,00 + frete

More from Macrina: New Favorites from Seattle's Popular Neighborhood Bakery, de Leslie Mackie (capa dura) - R$ 30,00 + frete

Simply Sensational Cookies, de Nancy Baggett (capa dura) - R$ 35,00 + frete - VENDIDO

Tate's Bake Shop: Baking For Friends, de Kathleen King (capa dura) - R$ 25,00 + frete

Stir: Mixing It Up in the Italian Tradition, Barbara Lynch (capa dura) - R$ 40,00 + frete - VENDIDO

Sunday Suppers at Lucques: Seasonal Recipes from Market to Table, de Suzanne Goin (capa dura) - R$ 40,00 + frete

A16: Food + Wine, de Nate Appleman, Shelley Lindgren e Kate Leahy (capa dura) - R$ 45,00 + frete

The Boozy Baker: 75 Recipes for Spirited Sweets, de Lucy Baker - R$ 25,00 + frete

The Grand Central Baking Book: Breakfast Pastries, Cookies, Pies, and Satisfying Savories from the Pacific Northwest's Celebrated Bakery, de Piper Davis e Ellen Jackson (capa dura) - R$ 25,00 + frete

Italian Home Cooking: 125 Recipes to Comfort Your Soul, de Julia della Croce (capa dura) - R$ 25,00 + frete - VENDIDO

Classic Home Desserts: A Treasury of Heirloom and Contemporary Recipes, de Richard Sax (capa dura) - R$ 40,00 + frete - VENDIDO

Dolce Italiano: Desserts from the Babbo Kitchen, de Gina DePalma - R$ 45,00 + frete - VENDIDO

Sarabeth's Bakery: From My Hands to Yours, de Sarabeth Levine (capa dura) - R$ 50,00 + frete

Dolci: Italy's Sweets, de Francine Segan (capa dura) - R$ 30,00 + frete - VENDIDO

The Zuni Cafe Cookbook: A Compendium of Recipes and Cooking Lessons from San Francisco's Beloved Resturant, de Judy Rodgers (capa dura) - R$ 50,00 + frete

Cook This Now: 120 Easy and Delectable Dishes You Can't Wait to Make, de Melissa Clark (capa dura) - R$ 35,00 + frete

Muffins: Sweet and Savory Comfort Food, de Cyndi Duncan e Georgie Patrick (capa dura) - R$ 10,00 + frete - VENDIDO

Unforgettable Desserts, de Dede Wilson (capa dura) - R$ 25,00 + frete

The Golden Book of Cookies: Over 330 Great Recipes, de Carla Bardi, Pamela Egan e Brenda Moore - R$ 40,00 + frete - VENDIDO

The Art & Soul of Baking, de Sur La Table e Cindy Mushet (capa dura) - R$ 50,00 + frete - VENDIDO

Seasonal Fruit Desserts: From Orchard, Farm, and Market, de Deborah Madison (capa dura) - R$ 30,00 + frete - VENDIDO

Rose's Heavenly Cakes, Rose Levy Beranbaum (capa dura) - R$ 45,00 + frete

King Arthur Flour Whole Grain Baking: Delicious Recipes Using Nutritious Whole Grains, de King Arthur Flour (capa dura) - R$ 50,00 + frete - VENDIDO

The Weekend Baker: Irresistible Recipes, Simple Techniques, and Stress-Free Strategies for Busy People, de Abigail Johnson Dodge - R$ 25,00 + frete - VENDIDO

DamGoodSweet: Desserts to Satisfy Your Sweet Tooth, New Orleans Style, de David Guas e Raquel Pelzel (capa dura) - R$ 25,00 + frete

Bite-Size Desserts: Creating Mini Sweet Treats, from Cupcakes to Cobblers to Custards and Cookies, de Carole Bloom (capa dura) - R$ 20,00 + frete

Great Cookies: Secrets to Sensational Sweets, de Carole Walter (capa dura) - R$ 40,00 + frete - VENDIDO

Sticky, Chewy, Messy, Gooey: Desserts for the Serious Sweet Tooth, de Jill O'Connor (capa dura) - R$ 25,00 + frete - VENDIDO




Wednesday, June 27, 2018

Waffles de cacau com bananas caramelizadas e pensamentos sobre café da manhã


Waffles de cacau com banana caramelizada

Às vezes fico pensando em como a gente muda de ideia na vida, nas diferentes fases e idades . Eu digo que não faço tatuagem porque não sou capaz de gostar de nada para sempre e provavelmente mudaria de ideia algumas vezes depois de marcar a pele.

Quando era mais xóvem achava o máximo café da manhã na cama: aqueles filmes água com açúcar na adolescência imprimem na cabeça da gente que não há nada mais romântico. Hoje, do alto dos meus 39, não quero saber de comer nada na cama, não: faz sujeira, cai farelo de pão no lençol que depois vai te pinicar à noite. :D

Ainda assim, café da manhã caprichado, na mesa mesmo, é coisa de filme para mim: nos dias úteis eu tomo café no trabalho, pois entro cedo no escritório (trabalhar em empresa europeia é isso: quando a gente começa o dia mil coisas já rolaram na matriz), e aos finais de semana não enrolo no café, não, porque quero sair logo de casa para me exercitar. Entretanto, nada me impede de fazer receitas de café da manhã para o café da tarde, e estes waffles de cacau são deliciosos – quem não quiser fazer waffle pode preparar as bananas carameladas para servir com sorvete. :)

Waffles de cacau com bananas caramelizadas
receita minha

- xícara medidora de 240ml

Waffles:
1 xícara (140g) de farinha de trigo
3 colheres (sopa) de cacau em pó, sem adição de açúcar
½ colher (chá) de fermento em pó
¼ colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
3 colheres (sopa) de açúcar cristal
¼ xícara (56g) de manteiga sem sal, derretida e fria
1 xícara (240ml) de buttermilk*
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Bananas caramelizadas:
2 ½ colheres (sopa) - 35g - de manteiga sem sal
1 ½ colheres (sopa) de açúcar cristal
¼ colher (chá) de canela em pó
4 bananas nanicas em rodelas
1 ½ colheres (sopa) de uísque, Marsala, rum ou água

Em uma tigela grande, peneire a farinha, o cacau, o fermento, o bicarbonato de sódio e o sal. Reserve.
Em uma tigela média, misture bem com um batedor de arame o açúcar, a manteiga, o buttermilk e a baunilha. Despeje sobre os ingredientes secos e misture gentilmente, de baixo para cima, com uma espátula de silicone – a massa não ficará lisa, é assim mesmo.

Preaqueça a máquina de waffle. Cozinhe porções de massa por vez, até que cada waffle doure – siga as instruções do fabricante. Enquanto isso, vá preparando as bananas: aqueça a manteiga em uma frigideira antiaderente grande em fogo alto. Acrescente o açúcar e a canela e misture para que o açúcar comece a derreter. Junte as bananas e frite-as levemente dos dois lados até dourar. Acrescente a bebida da sua escolha, misture para dissolver o caramelo do fundo da panela e cozinhe por 1 minuto. Desligue o fogo e sirva com os waffles.

*para fazer 1 xícara de buttermilk em casa: coloque 1 colher (sopa) de suco de limão em uma xícara medidora de 240ml, complete com leite integral em temperatura ambiente e aguarde 10 minutos para sorar; use todo o conteúdo da xícara na usa receita

Rend.: 4 porções

Friday, June 22, 2018

Rolinhos de laranja, canela e sementes de papoula, comentários e um seriado


Rolinhos de laranja, canela e sementes de papoula

Minha rotina é puxada e eu fico bem feliz quando me sobra tempo para escrever aqui no blog. É terapêutico para mim. Não consigo sempre responder os comentários de vocês, mas saibam que leio um a um, com um carinho enorme. E nos dias em que bate a bad e a tristeza me joga no chão eu leio novamente os comentários, novamente um a um, e são como um bálsamo. Por isso, muito obrigada por virem aqui me visitar e deixar o afeto de vocês em forma de comentários. <3


Algumas de vocês me contaram nos comentários que gostam de quando escrevo sobre filmes e seriados, faz tempo que não faço isso direito. Mencionei “Trust” outro dia, mas ainda estava na metade da temporada. Fiquei bem interessada quando li sobre o que se tratava – o sequestro de John Paul Getty III e a confusão danada causada pelo avô que não queria pagar o resgate – mas ao mesmo tempo tinha “Todo o Dinheiro do Mundo” na minha lista, com Christopher Plummer e Michelle Williams, atriz que eu achei um picolé de chuchu por anos a fio até vê-la como Marilyn (daí caí de amores por ela). Ao ler que “Trust” tinha Donald Sutherland como o velho pão duro e Danny Boyle como produtor e diretor me joguei de cabeça. :)

O seriado é realmente excelente e nem tinha como ser diferente, mas as surpresas são mesmo a volta de Brendan Fraser, ator cujo único trabalho bom até então havia sido “Deuses e Monstros” (que filmaço, meu deus) e Harris Dickinson, que segura um rojão nada fácil de maneira grandiosa – Angelina nada boba que é já colocou o menino em “Malévola 2”. Pensando nele e seus cabelos alaranjados e suas muitas sardas eu trago a receita de hoje: o bom e velho rolinho de canela, ou cinnamon roll, perfumado e dourado de laranja e pintado de sementes de papoula.

Rolinhos de laranja, canela e sementes de papoula

Rolinhos de laranja, canela e sementes de papoula
receita minha

Massa:
½ xícara (120ml) de leite integral morno
¼ xícara (50g) de açúcar cristal
2 ½ colheres (chá) de fermento biológico seco
raspas da casca de 1 laranja grande
1 ovo grande, temperatura ambiente
¼ xícara (56g) de manteiga sem sal, amolecida
1/3 xícara (80ml) de suco de laranja
1 pitada de sal
½ colher (chá) de extrato de baunilha
3 ½ xícaras (490g) de farinha de trigo comum
2 colheres (sopa) de sementes de baunilha

Recheio:
½ xícara (100g) de açúcar cristal
raspas da casca de 1 laranja grande
1 colher (chá) de canela em pó
3 colheres (sopa) – 42g – de manteiga sem sal, amolecida

Glacê:
½ xícara (70g) de açúcar de confeiteiro, peneirado – meça, depois peneire
1-2 colheres (sopa) de suco de laranja

Rolinhos de laranja, canela e sementes de papoula

Comece pela massa: na tigela da batedeira planetária, misture com um garfo o leite, ½ colher (chá) do açúcar e o fermento. Reserve por 5 minutos ou até espumar. Enquanto isso, em uma tigelinha, misture o açúcar restante e as raspas de laranja com as pontas dos dedos até o açúcar ficar aromatizado. Junte o ovo, a manteiga, o suco de laranja, o sal, a baunilha, a farinha e as sementes de papoula e misture com o batedor para massas pesadas em velocidade média até obter uma massa lisa e elástica, cerca de 8 minutos – se sovar na mão, 12-15 minutos. Forme uma bola com a massa, transfira para uma tigela grande pincelada com manteiga e cubra com plástico filme. Deixe crescer em um lugar morninho da cozinha, longe de correntes de ar, até dobrar de volume, 1 ½ horas.

Recheio: em uma tigelinha, misture o açúcar e as raspas de laranja com as pontas dos dedos até o açúcar ficar aromatizado. Junte a manteiga e a canela e misture bem.

Forre uma forma redonda de 23cm com papel manteiga e unte-o com manteiga. Dê um soquinho na massa para remover o excesso de ar. Sobre uma superfície levemente enfarinhada, abra a massa com um rolo até obter um retângulo de 30x50cm. Espalhe o recheio sobre a massa usando uma espátula de silicone, deixando uma borda de 1cm. Começando por um dos lados mais longos, enrole a massa de maneira firme, formando um cilindro. Corte em 10 fatias iguais e coloque cada uma delas lado a lado na forma preparada com o lado cortado virado para cima. Cubra com um pano de prato limpo e seco e deixe crescer novamente por 40-60 minutos – enquanto isso, preaqueça o forno a 200°C.

Asse os pãezinhos por 25-30 minutos ou até que fiquem bem dourados e assados por dentro.

Enquanto isso, faça o glacê: em uma tigelinha, misture o açúcar e o suco de laranja até obter uma calda espessa. Reserve.

Retire os pães do forno e deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 5 minutos. Desenforme com cuidado transferindo os pãezinhos para a gradinha e remova o papel manteiga. Regue com o glacê. Sirva mornos ou em temperatura ambiente.

Os pãezinhos podem ser guardados em um recipiente hermético em temperatura ambiente por até 3 dias.

Rend.: 10 unidades

Wednesday, June 20, 2018

Rolinhos de frango com espinafre, queijo Canastra e bacon para o Tony


Rolinhos de frango com espinafre, queijo Canastra e bacon


A morte do Anthony Bourdain há algumas semanas me deixou chocada e triste e acredito que aconteceu o mesmo com vocês. Temos essa ideia de que alguém como ele, ou como Kate Spade, tem vidas perfeitas e na verdade a gente nunca sabe as batalhas que cada um trava diariamente.

Vi um vídeo do Tony na Oprah há muitos anos, quando “Kitchen Confidential” foi lançado, em que ele comenta que os chefs acham frango uma coisa bem sem graça. Olha, Tony, eu concordo e te confesso que hoje em dia raramente como frango – na verdade, sem querer mesmo, minhas refeições tem se tornado cada vez mais vegetarianas, e quando consumo proteína animal o frango vem lá no final da minha lista. Entretanto, dá pra deixar o franguinho um pouco menos chato, viu? O de hoje é recheado com espinafre e queijo Canastra, tem uma capinha de bacon e rende uma bela refeição acompanhado de salada verde.

Rolinhos de frango com espinafre, queijo Canastra e bacon
receita minha

- xícara medidora de 240ml

1 ½ colheres (sopa) de azeite de oliva
2 dentes de alho amassados e picadinhos
3 xícaras (180g) de espinafre fresco, somente as folhas – aperte-as na xícara na hora de medir
sal e pimenta do reino moída na hora
1 pitada de noz moscada moída na hora
12 fatias de bacon
12 filés fininhos de peito frango – eu peço para o açougueiro cortar para mim
150g de queijo Canastra em fatias finas

Preaqueça o forno a 200°C. Forre uma assadeira média e rasa com papel alumínio.

Aqueça o azeite em uma frigideira grande em fogo alto. Junte o alho e refogue apenas por 30 segundos. Em seguida junte o espinafre, tempere com sal, pimenta do reino e a noz-moscada e refogue por alguns segundos, somente até murchar. Retire do fogo, transfira para uma peneira e aperte com as costas da colher para remover o excesso de água.

Disponha as fatias de bacon sobre uma tábua e coloque um filezinho de frango sobre cada uma delas. Tempere com sal e pimenta. Coloque um pedaço de queijo e um pouco do espinafre (bem espremido) em uma das pontas do filé e vá enrolando tudo de maneira firme, até formar um rolinho. Prenda com palitos de dente. Repita o processo com os filezinhos restantes.

Arrume os rolinhos na assadeira preparada deixando um espaço de 3-5cm entre um e outro e leve ao forno por 20-25 minutos ou até o frango estar cozido por dentro. Sirva imediatamente.

Rend.: 4 porções

Tuesday, June 19, 2018

Sablés de amendoim com chocolate e biscoitos caseiros


Biscoitos de amendoim e chocolate

Minha mãe cozinhava maravilhosamente bem e fazia bolos simples, porém deliciosos: de fubá, laranja, chocolate, formigueiro... Eram sucesso nas barraquinhas de doce das festas juninas da escola onde estudei e sempre os primeiros a serem vendidos. Cresci comendo bolos caseiros – nunca de caixinha – e foi mesmo um bolo a minha primeira tentativa de fazer algo na cozinha (a segunda também).

Diferentemente dos bolos, biscoitos caseiros foram uma novidade com que deparei já mais velha. Com exceção da boa e velha goiabinha e dos sequilhos, cujas receitas vieram da minha tia-avó e da Ofélia, respectivamente (e que davam certo todas as vezes), na adolescência cheguei a fazer umas duas ou três vezes receitas de biscoitos encontradas nas embalagens de ingredientes como amido de milho e farinha de trigo, mas os resultados foram tão pífios que nem contam.

Lá pelos idos de 2006, quando comecei a usar livros de receita americanos é que realmente aprendi o que eram biscoitos caseiros e o quanto eles eram deliciosos. A primeira vez que fiz um chocolate chip cookie como se deve percebi que nada tinham a ver com biscoitos comprados nos supermercados: ao contrário destes, os caseiros eram crocantes nas extremidades, macios no centro, pontilhados de chocolate e irresistíveis.

Com o tempo vieram outras receitas de biscoitos, de diferentes texturas e sabores, e os sablés se tornaram os meus favoritos. Os de hoje são uma variação de uma receita ótima da Alice Medrich.

Sablés de amendoim com chocolate
adaptados daqui

- xícara medidora de 240ml

½ xícara (100g) de açúcar cristal
¼ colher (chá) de sal
1 xícara (100g) de farinha de amendoim
1 xícara (226g) de manteiga sem sal, levemente amolecida, em pedaços graúdos
½ colher (chá) de extrato de baunilha
1 ½ colheres (chá) de Frangelico (opcional)
2 xícaras (280g) de farinha de trigo
200g de chocolate amargo ou meio amargo, picadinho – usei um com 70% de cacau

Coloque o açúcar, o sal e a farinha de amendoim na tigela da batedeira e misture em velocidade média até incorporar. Junte a manteiga, a baunilha e o Frangelico e misture em velocidade média até obter um creme. Junte a farinha e misture em velocidade baixa somente até que uma massa comece a se formar. Termine de misturar com uma espátula de silicone.

Divida a massa em duas partes iguais e coloque cada metade em um pedaço grande de papel manteiga; forme um cilindro de aproximadamente 3,5cm de diâmetro com a massa, fechando-a dentro do papel manteiga usando uma régua – como a Martha faz aqui. Feche as pontas e leve à geladeira por 4 horas ou até firmar bem (os cilindros de massa podem ser guardados na geladeira por até 3 dias ou no freezer por até 1 mês).

Pré-aqueça o forno a 180°C; forre duas assadeiras grandes com papel manteiga. Desembrulhe um dos cilindros de massa (mantenha o outro no freezer). Corte em fatias de 6mm e coloque-as nas assadeiras preparadas deixando um espaço de 2,5cm entre uma e outra. Asse por 12-15 minutos ou até que os biscoitos estejam dourados nas extremidades. Deixe esfriar nas assadeiras sobre gradinhas por 5 minutos e então deslize o papel com os biscoitos para a gradinha e deixe esfriar completamente. Repita o processo com o outro cilindro de massa.

Derreta 2/3 do chocolate em uma tigela pequena em banho-maria (não deixe o fundo da tigela tocar a água). Quando derreter, retire do fogo e junte o chocolate restante, misturando bem até ficar liso e homogêneo. Banhe as pontas de cada biscoito no chocolate, retire o excesso de chocolate do lado de baixo com uma espátula (senão o chocolate gruda no papel) transfira-os para uma assadeira rasa forrada com papel manteiga e deixe secar – se quiser acelerar o processo, leve à geladeira.

Os biscoitos sem a cobertura de chocolate duram até 5 dias em um recipiente hermético em temperatura ambiente. Biscoitos banhados no chocolate perdem a crocância rapidamente, portanto deixe para banhar somente no dia de servir.

Rend.: cerca de 45 unidades

Friday, June 15, 2018

Sopa de cenoura e alho-poró assados com pesto de rúcula


Sopa de cenoura e alho-poró assados com pesto de rúcula

Ando numa vibe de sopas ultimamente, mesmo nos dias não tão frios assim. Além de serem deliciosas, gosto da praticidade e da rapidez das sopas, e quase sempre faço um pouco a mais para congelar.

Ontem mesmo fiz a sopa de lentilha e espinafre da Rita Lobo para o jantar: quentinha, deliciosa, nutritiva, ficou pronta em pouquíssimo tempo na panela de pressão e eu ainda roubei no jogo e usei espinafre congelado. O problema foi que a receita diz servir 4 porções, mas eu e o João demos conta da panela inteira sozinhos. :)

A de cenoura que lhes trago hoje é deliciosa, mais gostosa do que a outra sopa de cenoura que postei no blog há anos e que muita gente já fez e adorou. O pesto de rúcula neste caso foi propositalmente feito sem alho para que não fique indigesto.

Sopa de cenoura e alho-poró assados com pesto de rúcula
receita minha

Sopa:
1,2 kg de cenouras (cerca de 6 médias), descascadas e cortadas em pedaços grandes – se forem orgânicas, nem precisa descascar
4 dentes de alho inteiros
2 alhos-porós grandes, cortados em rodelas largas
2 colheres (sopa) de azeite de oliva
sal e pimenta do reino moída na hora
1,5 litro de caldo de legumes caseiro

Pesto:
1 xícara de folhas de rúcula – aperte-as na xícara na hora de medir
2 colheres (sopa) de queijo parmesão – se quiser fazer pesto vegano, substitua o queijo por levedura nutricional
2 colheres (sopa) de pinoli – podem ser substituídos por castanha de caju ou nozes
1/3 xícara (80ml) de azeite de oliva extra virgem
sal e pimenta do reino moída na hora

Comece pela sopa: preaqueça o forno a 200°C. Forre uma assadeira grande e rasa com papel alumínio.
Coloque as cenouras, os dentes de alho e os alhos-porós em uma tigela grande, regue com o azeite, tempere com sal e pimenta e misture bem. Transfira para a assadeira preparada e arrume-os de forma a fazer uma única camada de legumes. Leve ao forno por 50-60 minutos ou até que as cenouras estejam macias e levemente caramelizadas.

Retire os dentes de alho da casca e transfira-os para um liquidificador junto com as cenouras e os alhos-porós. Acrescente o caldo de legumes e bata até obter uma mistura cremosa – faça isso em duas etapas para que a mistura não vaze do copo do liquidificador. Se preferir uma sopa mais lisa, passe por uma peneira, e se a sopa ficar espessa demais para o seu gosto acrescente um pouco de água. Transfira para uma panela, aqueça, cheque o sal e sirva com o pesto por cima de cada porção.

Agora, o pesto: junte as folhas de rúcula, o parmesão, o pinoli/as nozes e o azeite no processador de alimentos e bata até obter uma pasta. Tempere com sal e pimenta e pulse novamente. Sirva sobre a sopa.

Rend.: 4-5 porções

Thursday, June 14, 2018

Clafoutis de mirtilo, sobremesa boa para o friozinho


Clafoutis de mirtilo

Quem me lê há um tempinho sabe o quanto eu amo clafoutis, tanto doce quanto salgado: adoro a textura suave e o fato de podermos brincar com os sabores como bem quisermos.

O que trago hoje é de mirtilo e taí uma fruta na qual eu não acho um pingo de graça quando está in natura, mas quando passa por algum tipo de cocção se transforma em pequenas bolinhas de geleia absolutamente deliciosas. No friozinho que está fazendo aqui em São Paulo hoje esta sobremesa é perfeita, mas quem é veterano do TK também sabe que eu como sobremesa quente mesmo que esteja 33°C. Louca de pedra. :)

Clafoutis de mirtilo
receita minha

- xícara medidora de 240ml

2 ovos grandes
1/3 xícara (66g) de açúcar cristal
1 colher (chá) de extrato de baunilha
3 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 pitada de sal
1 pitada de canela em pó
¼ xícara (60ml) de leite integral, temperatura ambiente
¼ xícara (60ml) de creme de leite fresco
¾ xícara (100g) de mirtilos frescos ou congelados – se usar congelados, não descongele antes de usar
1 colher (sopa) de açúcar demerara

Preaqueça o forno a 180°C. Unte com manteiga dois refratários rasos com capacidade para 1 xícara (240ml).

Em uma tigela média, bata com um batedor de arame os ovos e o açúcar cristal até obter um creme homogêneo e claro, parecido com uma gemada. Junte a baunilha e misture bem. Com uma espátula de silicone, incorpore gentilmente a farinha, o sal e a canela, misturando de baixo para cima, até que não haja nenhum grumo. Incorpore o leite e o creme de leite – a mistura deve ser lisa. Despeje nos refratários preparados e espalhe os mirtilos sobre a massa. Salpique tudo com o açúcar demerara.

Leve ao forno por cerca de 25 minutos ou até que a mistura infle, firme ligeiramente e uma crosta se forme. Retire do forno e sirva imediatamente.

Rend.: 2 porções

Monday, June 11, 2018

Empanadas de carne e queijo e nostalgia


Empanadas de carne e queijo

De uns tempos para cá não tenho cozinhado nada muito diferente e doces mesmo nunca mais fiz. Domingo meu irmão veio me visitar e como ele é louco pelo bolo toalha felpuda prometi a ele que faria: havia séculos que não preparava um bolo. Escrevi isso no Instagram: simplesmente não sinto mais vontade, o que é louco, já que em um passado não muito distante eu fazia pelo menos um bolo por semana. A alegria que senti enquanto preparava o bolo para meu irmão foi enorme, aquele calor no coração que aquece a alma e coloca um sorrido no rosto da gente. Eu havia me esquecido de como era sentir isso.

Quando seleciono as receitas para postar aqui sinto um misto de alegria e tristeza: alegria por ver tantas receitas deliciosas que criei com amor, fotos lindas que fiz com o maior capricho que podia, e tristeza por não ter mais dentro de mim este sentimento. Sinto saudade dos momentos em que fiz determinadas receitas. Sinto nostalgia pelo dia em que testei algo pela segunda, terceira vez, o teste seguido pela foto, a comida virando almoço, jantar, café da tarde. Eu sinto saudade da Patricia que eu era lá e que parece não existir mais.

As voltas que o mundo dá. Às vezes a gente cai sentado, de bunda no chão, e não tem forças para levantar.

Estas empanadas são inspiradas pelas de palmito que fiz séculos atrás, para a outra Copa do Mundo. As de hoje são de carne e queijo e igualmente deliciosas. Quem estiver com preguiça pode usar o recheio para pastel e para buraco quente – faço isso direto. :)

Empanadas de carne e queijo
receita minha, inspirada nas empanadas de palmito que postei séculos atrás

- xícara medidora de 240ml

Massa:
215g de farinha de trigo
100g de farinha de trigo integral
1 ½ colheres (chá) de sal
½ xícara (113g) de manteiga sem sal, gelada e em cubinhos de pouco mais de 1cm
1 ovo grande
1/3 (80ml) de água gelada
1 colher (sopa) de vinagre de vinho branco

Recheio:
1 colher (sopa) de azeite de oliva
250g de carne moída – eu gosto de patinho
1 cebola pequena, picadinha
2 dentes de alho, picadinhos
1 ½ colheres (sopa) de vinho tinto seco
2 tomates italianos maduros e sem as sementes, passados no processador
¼ xícara de azeitonas verdes em rodelas
1 punhado de salsinha fresca picada
100g de mozarela ralada

Para pincelar:
1 ovo + ½ colher (chá) de água, levemente batidos com um garfo

Comece pela massa: peneire as farinhas e o sal em uma tigela grande e junte a manteiga, misturando com as pontas dos dedos até obter uma farofa grossa. Em um potinho, bata juntos com um garfo o ovo, a água e o vinagre. Adicione aos ingredientes secos, mexendo com um garfo, até que uma massa comece a se formar – a massa vai parecer despedaçada, mas ao sovar ela se forma. Eu fiz a massa no processador de alimentos e foi fácil e rápido.

Transfira a mistura para uma superfície levemente enfarinhada e junte a massa com as mãos, sovando levemente, apenas o suficiente para que a massa se forme. Molde-a em um retângulo, embrulhe em filme plástico e leve à geladeira por pelo menos 1 hora.

Recheio: aqueça o azeite em uma panela média em fogo algo. Junte a carne e refogue até dourar bem. Junte cebola e refogue até ficar transparente, 3-4 minutos. Junte o alho e refogue até perfumar. Tempere com sal e pimenta, adicione o vinho e raspe os queimadinhos no fundo da panela. Quando o vinho secar, acrescente o tomate e cozinhe por 4-5 minutos ou até a carne secar quase que completamente. Junte as azeitonas e a salsinha. Desligue o fogo, junte o queijo e misture até derreter. Cheque o tempero. Deixe esfriar completamente.

Pré-aqueça o forno a 200°C. Forre duas assadeiras grandes, de beiradas baixas, com papel alumínio.
Retire a massa da geladeira e abra com um rolo até que fique com aproximadamente 6mm de espessura. Corte círculos de 10cm de diâmetro com a massa e coloque cerca de 1 colher (sopa) rasa de recheio em cada um. Dobre a massa, formando uma meia-lua, e aperte bem as pontas para selar o recheio. Transfira para a assadeira preparada.
Quando terminar de formatar todas as empanadas, pincele-as com o ovo batido e leve ao forno por 25-30 minutos ou até dourarem.

Rend.: cerca de 20 unidades

Wednesday, June 06, 2018

Sopa de legumes e sensação de aconchego, com e sem comida


Sopa de legumes

Uma vez, há muitos anos, uma amiga me disse que não contava seus problemas para ninguém, pois não queria que se metessem ou dessem palpites na vida dela. Por muitos anos segui essa mesma linha, acreditando que seria a melhor coisa a fazer, até que o Universo me enviou um pepino gigante – foi quando desabafei com uma amiga muito especial e no final das contas ela me ajudou imensamente, de uma forma tão generosa que eu me sinto em eterna dívida. Naquela ocasião senti o quanto era querida e o quanto as pessoas que nos cercam são essenciais em nossas vidas. Hoje tenho certeza de que compartilhar meus momentos tanto ruins quanto bons com algumas pessoas me traz somente benefícios.

Escrevo isso hoje porque havia um ano em que estava lutando contra a alopecia e não dividia isso com ninguém além do meu marido. Sofri sozinha, dentro da minha cabeça, várias vezes. Chorei muito também. A cada tufo de cabelo que caía, a cada banho, a cada tentativa de tratamento que não dava certo. Quando deixei de fazer disso um segredo, recentemente, recebi muito apoio e carinho. Gente preocupada comigo de uma maneira genuína. Um montão de afeto. Foi incrível, me senti muito acolhida. Aquele quentinho no coração.

E já que falei de sensação de aconchego, para mim sopas são perfeitas para isso: sempre me sinto abraçada por dentro quando tomo uma sopinha. A de hoje é de legumes, uma versão um tiquinho diferente da sopa de legumes que mais faço na vida, e igualmente deliciosa.

Sopa de legumes
receita minha

- xícara medidora de 240ml

2 colheres (sopa) de manteiga sem sal
1 alho-poró grande, cortado ao meio no sentido do comprimento para facilitar a lavagem, e então em meias-luas finas
2 dentes de alho grandes picadinhos
¾ xícara de tomates cerejas, cortados ao meio - meça, depois corte
1 batata grande, descascada e em cubinhos
1 cenoura grande, descascada e em cubinhos
1 punhado (120g) de vagens – remova as pontinhas e corte em rodelas
2 xícaras (480ml) de caldo de legumes caseiro quente
1 ½ xícaras (360ml) de água quente
2 folhas de louro fresco
4 raminhos de tomilho fresco
sal e pimenta do reino moída na hora
1 xícara (130g) de ervilhas congeladas – não precisa descongelar antes de usar

Aqueça a manteiga em uma panela grande em fogo alto até derreter – se estiver usando panela de inox de fundo triplo, use fogo médio. Junte o alho-poró e refogue, mexendo ocasionalmente, até murchar levemente. Acrescente o alho e refogue por 1 minuto, até perfumar. Junte os tomates cereja, refogue por 1 minuto, e então acrescente a batata, a cenoura e as vagens e refogue por 2 minutos.

Acrescente o caldo e a água, as ervas e tempere com sal e pimenta do reino. Quando levantar fervura, abaixe o fogo e deixe cozinhar por 10 minutos. Acrescente as ervilhas e cozinhe por mais 2 minutos – verifique se os legumes estão macios: se for necessário, deixe a sopa no fogo mais alguns minutinhos.
Retire as folhas de louro e os cabinhos de tomilho, cheque o tempero e sirva.

Rend.: 4 porções

Monday, May 28, 2018

Blondies de snickers e o desespero por doces


Blondies de Snickers

Eu acho que no geral posso me considerar uma pessoa controlada com a alimentação: como de quase tudo, tento levar minha própria comida para o trabalho sempre que dá, não bebo refrigerante, consumo muitas verduras e legumes. Mas tem horas em que o desespero por doce bate forte – geralmente na TPM – e muitas vezes é vontade de doce porcaria mesmo, cheio de corantes e aromatizantes: #quem nunca? :)

Em um destes rompantes eu comprei vários Snickers, mas depois que a nuvem da TPM passou eu fiquei com eles encalhados em casa: não dava vontade de comer, são doces demais. Para não desperdiçar cortei os Snickers em pedacinhos e joguei em uma massa de blondies – a ideia já tinha funcionado para a versão morena da sobremesa e deu certo aqui também.

Se você preferir usar ingrediente de qualidade em vez de doce porcaria, substitua os Snickers por gotas de chocolate amargo.

E obrigada a todos pelos comentários sobre a minha venda de livros! Fiquei feliz demais com o interesse de vocês. Estou preparando a lista, logo publicarei aqui no blog.

Blondies de snickers
receita minha

- xícara medidora de 240ml

1 xícara (140g) de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
¼ colher (chá) de canela em pó
½ xícara (113g) de manteiga sem sal, derretida e fria
¾ xícara (130g) de açúcar mascavo claro – aperte-o na xícara na hora de medir
1 ovo grande
1 colher (chá) de extrato de baunilha
2 Snickers em cubinhos

Preaqueça o forno a 180°C. Unte uma forma quadrada de 20cm levemente com manteiga, forre-a com papel alumínio deixando sobras em lados opostos, formando “alças”, e unte o papel também.

Em uma tigela pequena, misture bem com um batedor de arame a farinha, o fermento, a canela e o sal. Reserve.
Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a manteiga, o açúcar mascavo, o ovo a baunilha. Incorpore os ingredientes secos com uma espátula de silicone e junte os Snickers. Transfira a massa para a forma preparada e alise a superfície. Asse por 15-20 minutos ou até que doure e um palito inserido no centro saia com migalhas úmidas. Deixe esfriar completamente na forma sobre uma gradinha. Corte em quadradinhos para servir.

Rend.: 16 unidades

Tuesday, May 22, 2018

Muffins de coco, mirtilo e chocolate branco e uma pergunta para vocês


Muffins de coco, mirtilo e chocolate branco

Este blog anda meio tristonho, meio sombrio ultimamente – tenham paciência com esta que vos escreve. Há horas em que quero falar sobre assuntos alegres e corriqueiros, como o melhor filtro solar para quem tem melasma ou o seriado novo que descobri (neste caso, é “Trust” e estou amando), e há horas em que quero expurgar os sentimentos ruins que vão se multiplicando dentro do coração, por mais que eu tente combater a sua existência.

No momento tenho um problema de espaço em casa e preciso me desfazer de parte da minha amada coleção de livros. Além do problema de onde colocar tantos livros, muitos deles já não me servem mais, infelizmente, seja por causa do meu pouco tempo para cozinhar (e quase zero tempo para doces), seja por causa da minha intolerância à lactose e restrição a leite de vaca – que, aliás, explicando melhor já que algumas pessoas me perguntaram: sim, eu posso tomar um comprimido de lactase para comer coisas com laticínios e vinha fazendo isso desde a descoberta do problema. Entretanto, estou enfrentando também outro problema de saúde, a alopecia (agora vai dando pra perceber o porquê de eu andar de teto baixo), e como o consumo de leite de vaca aumenta os níveis de dihidrotestosterona no organismo precisei cortar mesmo.

Minha ideia é vender parte dos livros, inspirada pela rapa que a Ana fez antes de se mudar do país. Vocês estariam interessados? Vou fazer uma lista para um próximo post e dividir com vocês, quem sabe dá certo?

UPDATE: a lista de livros à venda está aqui.

Enquanto isso não acontece, trago muffins: macios, fofinhos, perfumados e deliciosos. Os mirtilos entram sem graça na massa crua e saem do forno saborosas bolinhas de geleia.

Muffins de coco, mirtilo e chocolate branco
receita minha

- xícara medidora de 240ml

2 xícaras (280g) de farinha de trigo
¾ xícara (150g) de açúcar cristal
¼ xícara (25g) de coco ralado sem adição de açúcar
3 colheres (chá) de fermento em pó
1/8 colher (chá) de sal
½ xícara (120ml) de leite, temperatura ambiente
½ xícara (120ml) de leite de coco
½ tablete (100g) de manteiga sem sal, derretida e fria
1 ovo grande
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 xícara (140g) de mirtilos, frescos ou congelados (não descongelar antes)
2/3 xícara (110g) de gotas de chocolate branco

Preaqueça o forno a 200°C. Forre uma forma de muffin com 12 cavidades com forminhas de papel.

Em uma tigela grande, misture com um batedor de arame a farinha, o açúcar, o coco ralado, o fermento em pó e o sal. Reserve.
Em uma tigela média, misture com um batedor de arame o leite, o leite de coco, a manteiga, o ovo e a baunilha. Despeje sobre os ingredientes secos e misture com um garfo somente até incorporar os ingredientes – não misture demais ou os muffins ficarão duros; massa de muffin não é lisa como massa de bolo. Incorpore os mirtilos e o chocolate branco.

Divida a massa entre as forminhas – elas vão ficar bem cheias. Leve ao forno por 20 minutos ou até que os muffins cresçam e dourem – faça o teste do palito. Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 5 minutos, e então remova os muffins com cuidado da forma e transfira para a gradinha. Sirva mornos ou deixe esfriar completamente.

Rend.: 12 unidades

Monday, May 21, 2018

Gelatina de manga e limão e o casamento de sábado passado


Gelatina de manga e limão

Vocês assistiram ao casamento real no sábado? Eu não consegui ver, mas depois peguei uns vídeos no Twitter e alguns trechos na TV. A noiva estava linda e Victoria Beckham e Amal Clooney podem dividir o troféu de “Melhor Acessório”. :)

Uma das reportagens que vi no GNT falava sobre os anos problemáticos de Harry, quando nudes dele vazaram e quando foi vestido de nazista a uma festa. Longe de mim defender alguém que coloca uma suástica no braço, mas de onde vejo me parece que ele queria mesmo era chamar a atenção. Harry perdeu a mãe muito jovem, de maneira trágica, e falo de cadeira: crescer sem mãe te destrói. Não há referência para zilhões de coisas, não há um colo onde chorar quando você tem problemas, não há voz da razão para lhe dizer “pare, você está fazendo merda”. Não há carinho, amor, afeto, atenção. Há dias em que é difícil seguir.

Também tive uma fase revoltada, lá pelos idos dos meus 14 anos – eu sentia muita raiva. Raiva do mundo. Mas o ambiente em casa era tão opressor que não sobrava espaço nem tempo para me virar contra tudo e todos. O meu mantra diário era “vou estudar, arrumar um emprego e sair daqui”. Durante a minha fase revoltada nasceu a minha irmã caçula, e além de passar por todo o abuso moral e físico diariamente vindos do meu pai e da mulher dele à época me sobrou a responsabilidade de cuidar de um bebê – nunca fui consultada sobre isso. Apenas jogaram no meu colo, literalmente. Eu tinha vontade de fazer tantas outras coisas, entretanto tinha que levar criança para escola, buscar, alimentar, dar banho, vestir. Vai ver seja por isso que no final das contas desisti de ter filhos – já havia brincado de casinha e não estava com vontade de passar por tudo aquilo novamente.

Harry parece ter encontrado seu caminho e torço muito para que ele continue trilhando-o, guiado pelo amor. O post da Maria Eduarda Carvalho no Instagram me marejou os olhos: por menos tempo que Diana tenha passado com os meninos, plantou uma semente forte e bonita. Eu tenho em mim também plantada a semente de minha mãe e mesmo que os 7 anos que passamos juntas não tenham sido muito tempo carrego comigo ensinamentos e lembranças.

A gelatina de manga que trago hoje me remete aos anos da infância em que um dos vizinhos tinha uma mangueira no quintal e a árvore pendia para dentro do nosso, derrubando mangas doces e perfumadas praticamente em nossas cabeças.

Gelatina de manga e limão
receita minha

1 manga madura de 500g, descascada e picada
½ xícara (120ml) de água filtrada ou mineral, fria
raspas da casca de 1 limão taiti e o suco de 2
3 colheres (sopa) de açúcar – ou adoce a seu gosto (quantidade vai depender da doçura das mangas)
5 folhas de gelatina incolor e sem sabor

Bata a manga e a água filtrada/mineral no liquidificador. Passe por uma peneira e transfira para uma panelinha – você precisará de 600ml de suco no total. Caso consiga menos, complete com água mineral/filtrada. Em uma tigelinha, misture as raspas de limão e o açúcar e esfregue com as pontas dos dedos até aromatizar o açúcar. Junte ao suco de manga.
Encha uma tigela larga rasa com água fria e adicione as folhas de gelatina. Aguarde alguns minutos até que amoleçam. Enquanto isso, aqueça a mistura da panelinha somente até amornar- não aqueça demais ou a gelatina perderá o efeito. Quando o suco estiver morno, retire do fogo. Esprema as folhas de gelatina com as mãos e transfira para o suco, misturando bem até dissolver. Junte o suco de limão e então divida a mistura entre 4 potinhos ou copos. As gelatinas da foto foram servidas com uma colherada de iogurte e raspas de limão.

Rend.: 4 porções

Friday, May 18, 2018

Risoto de ervilha e bacon


Risoto de ervilha e bacon

Estava dando uma olhada nas trocentas fotos que tenho para publicar aqui no blog e dei de cara com este risoto: lembrei de como ele é saboroso e fácil de fazer – para mim, tudo bem ficar 20 minutos mexendo o arroz na panela. Fiquei com água na boca! Lembrei de que não faço risoto há séculos e fiquei meio de teto baixo (ultimamente tenho ficado de teto baixo, às vezes, e algumas delas pelos motivos mais tronchos do mundo – vocês também tem isso às vezes?).

Pronto, resolvi que vou fazer risoto no final de semana, de qualquer jeito. :) Não sei ainda se vai ser uma receita antiga ou uma receita nova, mas se for nova e ficar gostosa prometo dividir com vocês.

Risoto de ervilha e bacon
receita minha

- xícara medidora de 240ml

4 tiras de bacon, picadas
½ colher (sopa) de azeite
1 alho poró, somente a parte verde clara, cortado ao meio no sentido do comprimento para facilitar a lavagem, e em seguida cortado em meias-luas
sal e pimenta do reino moída na hora
1 xícara (220g) de arroz arbóreo ou carnaroli
¼ xícara (60ml) de vinho branco seco
3 xícaras (720ml) de caldo de legumes, quente
1 xícara (130g) de ervilhas frescas ou congeladas – tire do freezer no começo do preparo do risoto
1 colher (sopa) de manteiga sem sal
2 colheres (sopa) de parmesão ralado na hora

Aqueça uma panela média em fogo médio-alto. Junte o bacon e vá mexendo algumas vezes até que doure e fique crocante. Remova-os da panela com a escumadeira e transfira para um prato forrado com papel toalha. Junte o azeite à gordura do bacon e adicione o alho poró e refogue, mexendo algumas vezes, até que fique transparente. Junte o arroz e refogue por 2-3 minutos, mexendo, até que todos os grãos fiquem cobertos de gordura. Junte o vinho e refogue até que evapore. Acrescente 1 concha de caldo quente e vá mexendo até que o caldo quase seque. Acrescente outra concha de caldo e vá mexendo novamente até que ele quase seque – vá repetindo o processo até que o arroz fique al dente, o que vai levar cerca de 20 minutos (talvez você não use todo o caldo). Junte a ervilha, tempere com sal e pimenta – não exagere no sal, pois o bacon já é salgadinho.

Acrescente o parmesão e a manteiga e misture. Prove e acerte o sal se necessário, tampe a panela e aguarde 2 minutos. Transfira o risoto para os pratos de servir e salpique com o bacon crocante. Sirva imediatamente.

Rend.: 2 porções

Wednesday, May 16, 2018

Ragu de ossobuco


Ragu de ossobuco

Uma das coisas de que gosto na Nigella e na Rita Lobo é o fato de elas geralmente dizerem que uma receita demorada não é a mesma coisa que uma receita trabalhosa. Há mesmo pratos que demoram para ficar prontos, mas muitas vezes o forno faz praticamente todo o trabalho.

Eu também tenho dias em que não quero nem passar perto da cozinha, gente. Aqueles dias em que o jantar é guacamole. :)

Este ragu de ossobuco fica quase três horas no forno, mas o preparo não é difícil nem leva muito tempo, e há um bônus: ele fica ainda mais saboroso quando feito de véspera.

Ragu de ossobuco
receita minha

- xícara medidora de 240ml

800g de ossobuco (3-4 fatias)
sal e pimenta do reino moída na hora
1 ½ colheres (sopa) de farinha de trigo
3 colheres (sopa) de azeite de oliva
1 cebola pequena, picadinha
1 cenoura pequena (aprox. 100g) descascada e em cubinhos
1 talo de salsão (aprox. 70g) em cubinhos
2 dentes de alho grandes, bem picadinhos
1 colher (sopa) de extrato de tomate
½ xícara (120ml) de vinho tinto seco
1 vidro de passata (680g)
1 colher (sopa) de açúcar
2 folhas de louro
3 raminhos de tomilho fresco
1 punhado de folhas de manjericão fresco

Preaqueça o forno a 150°C. Tempere a carne com sal e pimenta do reino. Polvilhe as fatias de carne em ambos os lados com a farinha de trigo. Em uma panela com tampa e que possa ir ao forno, aqueça 1 colher (sopa) do azeite em fogo alto e sele metade da carne dos dois lados – trabalhe em etapas para que o excesso de carne não resfrie o fundo da panela. Transfira a carne para um prato e reserve. Adicione outra colher de azeite à panela e sele a carne restante. Transfira para o prato. Abaixe o fogo para médio, aqueça o azeite restante e refogue a cebola, a cenoura e o salsão até que murchem, cerca de 5 minutos. Junte o alho e refogue por 1 minuto, somente até perfumar – não deixe o alho queimar para não amargar a receita. Tempere com sal e pimenta. Junte o extrato de tomate e misture bem, cozinhando por 1 minuto. Junte o vinho e com a colher de pau raspe bem os queimadinhos do fundo da panela – eles vão dar mais sabor ao molho.

Acrescente a passata, encha a garrafa vazia com água até a metade de junte à panela. Tempere novamente com sal e pimenta do reino, acrescente o açúcar, o louro e o tomilho, volte a carne à panela e mantenha-a submersa no molho. Tampe a panela, transfira para o forno e cozinhe por 2 ½ horas, checando de vez em quando – se o líquido começar a secar, junte mais água quente. Ao final do cozimento, retire os ramos de tomilho e o louro e desfie a carne. Junte o manjericão. Sirva com macarrão ou polenta.

Rend.: 3-4 porções, dependendo de como é servido

Monday, May 14, 2018

Quiche de alho poró, queijo e tomate


Quiche de alho poró, queijo e tomate

A vida às vezes pode ser engraçada, com um toque de sadismo. :/

Depois de anos, ANOS, convencendo meu marido a comer quiche – ele não come ovos nem creme de leite – fiz a receita abaixo algumas vezes, com sucesso. Só que logo depois que ele topou se aventurar pelo mundo das quiches e outras comidas com creme de leite (ovos ainda não, ainda sofro com esta derrota) eu desenvolvi essa porcaria de intolerância à lactose.

Ei, Universo, que humor negro, hein?

De qualquer forma, a quiche abaixo é deliciosa e você pode adaptá-la para fazê-la de outros sabores - de brócolis com gorgonzola, por exemplo, fica bem saborosa.

Quiche de alho poró, queijo e tomate
receita minha

- xícara medidora de 240ml

Massa:
1 ¼ xícaras (175g) de farinha de trigo
½ colher (chá) de sal
1/3 xícara (75g) de manteiga sem sal, gelada e em cubinhos
3 colheres (sopa) de água gelada

Recheio:
2 colheres (sopa) de manteiga
2 alhos porós grandes, cortados ao meio no sentido do comprimento para facilitar a lavagem, e em seguida cortados em meias-luas
sal
1 ½ colheres (sopa) de vinho branco seco
pimenta do reino moída na hora
¾ xícara (180ml) de creme de leite fresco
2 ovos grandes
folhas de 3 raminhos de tomilho fresco
1 xícara de queijo Canastra ralado grosseiramente – rale, depois meça
1 pitada de noz moscada ralada na hora
½ xícara (80g) de tomates cereja cortados ao meio no sentido do comprimento – meça, depois corte

Comece pela massa: no processador de alimentos, junte a farinha e o sal e pulse algumas vezes para misturá-los bem. Acrescente a manteiga e pulse novamente, mais algumas vezes, até obter uma farofa grossa. Aos poucos, vá juntando a água gelada e pulsando, até que uma massa comece a se formar. Retire a massa do processador, forme um retângulo de aproximadamente 12x15cm com ela – assim ficará mais fácil moldá-la no tamanho da forma; se for usar uma forma redonda, molde um disco com a massa. Trabalhe rapidamente para manter a massa fria, e então embrulhe em filme plástico e leve à geladeira por 1 hora.

Enquanto isso, prepare o recheio: em uma frigideira grande, aqueça a manteiga em fogo alto – se usar panela de fundo triplo, use fogo médio. Assim que derreter, junte o alho poró, polvilhe com um pouquinho de sal e refogue, mexendo de vez em quando, até amaciar. Junte o vinho, raspe os queimadinhos do fundo da panela e cozinhe por mais 2 minutos ou até o vinho secar. Acerte o sal, tempere com a pimenta e desligue o fogo. Deixe esfriar completamente.

Separe uma forma retangular de 30x10cm e pincele-a levemente com manteiga – se o fundo for removível, melhor ainda. Coloque a massa entre duas folhas de papel manteiga e abra usando o rolo até obter um retângulo de aproximadamente 40x20cm – novamente, trabalhe de maneira rápida para manter a massa gelada, assim ela não vai grudar no papel. Se a massa começar a grudar, polvilhe-a com um pouquinho de farinha de trigo, porém evite o excesso para que a massa não resseque. Forre a forma preparada com a massa, deixando sobrar 1 ou 2cm nas bordas – asse com a sobra e remova só depois de a torta estar assada, desta forma a massa não vai encolher. Faça furinhos no fundo de toda a massa e leve-a ao freezer por 20 minutos – enquanto isso, preaqueça o forno a 180°C.
Forre a massa da torta com um pedaço de papel alumínio, pincelado com manteiga, deixando uma sobra de aprox. 2,5cm. Encha o papel com feijões secos ou pesinhos de cerâmica e leve ao forno por 15-20 minutos. Remova os feijões/pesinhos e o papel alumínio e volte a massa ao forno até que doure levemente, mais 10 minutos. Retire do forno.

Em uma tigela média, misture bem com um batedor de arame o creme de leite, os ovos e o parmesão. Junte os ¾ xícara do queijo canastra, o tomilho, o alho poró já frio e a noz moscada. Tempere com sal e pimenta. Despeje cuidadosamente na massa – com jeitinho para evitar que entre recheio entre a massa e as paredes da forma – e espalhe os tomates por cima. Polvilhe com o restante do queijo e volte ao forno por mais 25-30 minutos ou até que o recheio firme e doure na superfície.

Sirva com uma saladinha verde.

Rend.: 4 porções

Thursday, May 10, 2018

Sablés de laranja e tomilho e uma carta para alguém especial


Sablés de laranja e tomilho

Oi, mãe, tudo bem?

Que saudade de você. Domingo próximo é Dia das Mães e a saudade aperta mais ainda. Se você estivesse aqui o almoço seria na minha casa. Tem tanta receita boa, mãe. Tanta coisa diferente que você não experimentou e tenho certeza de que iria amar.

Beterraba, que você adorava e fazia tanto, eu faço assada – fica tão mais gostosa, mãe! O sabor se intensifica e a textura não fica aguada. E quando rego com um molhinho de vinagre balsâmico, então? Sei que você iria querer colocar esse molho em tudo quanto é salada...

Ah, a comida fica muito mais gostosa com ervas frescas, mãe. Tem que ver o bolonhesa que eu faço, com bastante manjericão: o teu neto ama e diz que é a comida preferida dele. É, mãe, você tem um neto agora, sabia? Ele tem os teus traços, o teu nariz. É inteligente e faladeiro. E hoje recebi um áudio da sua nora com o pequeno dizendo que ele quer comer “panquequinha com meipu da Dedé” – faço aqui em casa quando ele vem visitar, mãe. Para ele, eu sou Dedé – ninguém sabe de onde ele inventou esse apelido, mas eu adoro. Maple é uma calda doce e gostosa, conheci depois de adulta, você iria gostar, também.

Ah, mãe, as ervas a gente usa também em pratos doces, sabia? O resultado fica bem interessante! Aqui misturei tomilho com laranja e os biscoitinhos ficaram deliciosos e perfumados. Se você estivesse aqui eu passaria um café para acompanhar os biscoitos. Que pena que você não está. Te amo pra sempre, mãe.

Sablés de laranja e tomilho
receita minha

- xícara medidora de 240ml

½ colheres (chá) de folhas de tomilho fresco
raspa da casca de 2 laranjas grandes
¾ xícara (150g) de açúcar cristal
1 xícara (226g) de manteiga sem sal, temperatura ambiente
1 ovo grande, temperatura ambiente
½ colher (chá) de extrato de baunilha
2 ¾ xícaras (385g) de farinha de trigo
½ colher (chá) de sal

Para envolver a massa:
2 colheres (sopa) de açúcar cristal

Coloque o tomilho, as raspas de laranja e o açúcar em um pilãozinho ou miniprocessador de alimentos e pile/bata bem até aromatizar o açúcar. Transfira para a tigela da batedeira, junte a manteiga e bata até obter um creme claro – raspe as laterais da tigela algumas vezes durante todo o preparo da receita. Junte o ovo e bata bem. Junte a baunilha e bata. Acrescente a farinha e o sal e misture em velocidade baixa somente até uma massa se formar.

Divida a massa em duas partes iguais e coloque cada metade em um pedaço grande de papel manteiga; forme um cilindro de aproximadamente 3,5cm de diâmetro com a massa, fechando-a dentro do papel manteiga usando uma régua – como a Martha faz aqui. Feche as pontas e leve à geladeira por 4 horas.

Pré-aqueça o forno a 180°C; forre duas assadeiras grandes com papel manteiga. Desembrulhe um dos cilindros de massa (mantenha o outro na geladeira). Role o cilindro pelo açúcar cristal, cobrindo todos os lados. Corte em fatias de 5mm e coloque-as nas assadeiras preparadas deixando um espaço de 2,5cm entre uma e outra. Asse por 12-15 minutos ou até que os biscoitos estejam dourados nas extremidades. Deixe esfriar na assadeira sobre uma gradinha por 5 minutos, e então deslize o papel com os biscoitos para a gradinha e deixe esfriar completamente. Repita o processo com o outro cilindro de massa.

Rend.: cerca de 50 biscoitinhos

Tuesday, May 08, 2018

Berinjelas recheadas com tomate, queijo e pangrattato

Berinjelas recheadas com tomate, queijo e pangrattato

Eu acho curioso e interessante o quanto o nosso apetite muda (ou não) desde a infância até a fase adulta. Li uma vez uma entrevista com o Ricky Gervais em que ele dizia que havia passado 45 anos da vida sem comer nada além de bife e que quando resolveu provar os outros alimentos se achou um otário por ter perdido tanto tempo – acho que é bem por aí, mesmo. Eu ainda sonho que o mesmo aconteça um dia ao meu irmão. :)

Confesso que quando criança berinjela não era dos meus legumes favoritos, mas isso mudou radicalmente: adoro tudo com ela. Tenho feito as almôndegas veganas da Laura com frequência (uso 1 berinjela e 1 abobrinha pequenas para a receita), berinjela à milanesa, babaganoush... Recheada também é sucesso e a receita que lhes trago hoje é vegetariana e deliciosa.

Berinjelas recheadas com tomate, queijo e pangrattato
receita minha

- xícara medidora de 240ml

Barquinhas:
2 berinjelas grandes
1 colher (sopa) de azeite de oliva, para refogar e também para pincelar as berinjelas
sal e pimenta do reino moída na hora
1 colher (sopa) de manteiga sem sal
1 alho poró, cortado ao meio no sentido do comprimento para facilitar a lavagem, e em seguida cortado em meias-luas
1 dente de alho grande, picadinho
3 tomates italianos maduros, sem as sementes e em cubinhos
1 colher (sopa) de extrato de tomate
1 punhado de folhas de manjerona fresca
85g de mozarela ralada grosseiramente
3 colheres (sopa) de pecorino ou parmesão ralado fininho

Pangrattato:
1 colher (sopa) de azeite de oliva
1 xícara (60g) de farelo de pão*
sal e pimenta do reino moída na hora
1 punhado de salsinha fresca picadinha

Preaqueça o forno a 180°C. Forre uma assadeira grande e rasa com papel alumínio e pincele-o com azeite.

Corte as berinjelas ao meio no sentido do comprimento. Com uma colher, remova a polpa, deixando aproximadamente 0,5cm de borda – não retire polpa em excesso para não deixar a barquinha fina demais ou ela não suportará o peso do recheio. Pincele as barquinhas com azeite, tempere com sal e pimenta e leve ao forno por 20 minutos. Pique a polpa em cubinhos.

Enquanto isso, prepare o recheio: em uma frigideira grande, aqueça a manteiga e 1 fio de azeite. Quando a manteiga derreter, junte o alho poró e refogue, mexendo ocasionalmente, até amaciar. Acrescente o alho e refogue até perfumar, cerca de 1 minuto – não deixe o alho queimar para não amargar a receita. Junte a polpa da berinjela, tempere com sal e pimenta e refogue por 5 minutos, mexendo de vez em quando. Acrescente os tomates picados, o extrato de tomate, a manjerona e cozinhe por mais 5 minutos, mexendo vez ou outra. Desligue o fogo, acrescente a mozarela e o pecorino/parmesão. Divida o recheio entre as barquinhas que foram assadas.

Para finalizar, faça o pangrattato: em uma frigideira antiaderente pequena, aqueça o azeite em fogo médio. Junte o alho e refogue por 1 minuto. Junte o farelo de pão e refogue, mexendo, por 1-2 minutos ou até dourar. Retire do fogo, junte e salsinha, tempere com sal e pimenta e espalhe sobre as barquinhas. Leve ao forno por mais 15 minutos. Sirva imediatamente.

*farelo de pão: pão amanhecido ou levemente tostado no forno passado pelo processador até obter uma farofa grossa. Não use farinha de rosca: ela é fina demais e vai ressecar a textura da receita.

Rend.: 4 porções

Monday, May 07, 2018

Waffles de queijo e quinoa

Waffles de queijo e quinoa

Quando escrevi a receita abaixo, uns bons três anos atrás (acho que até mais), coloquei no texto que duas coisas sem as quais não conseguiria viver seriam pão e queijo. Corta para hoje e meus dias sem (ou quase sem) queijo. Quantas vezes não cheguei em casa do trabalho, morta de fome, e peguei um pedaço de queijo na geladeira para tapear o estômago até o jantar estar pronto? Hoje não faço mais isso, mas nada me impede de dividir com vocês receitas de outros tempos (tenho umas ótimas guardadas!).

Estes waffles são deliciosos, crocantes, fáceis de fazer e ainda dão conta daquela quinoa esquecida na geladeira.

Waffles de queijo e quinoa
receita minha

- xícara medidora de 240ml

1 xícara (140g) de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
½ colher (chá) de sal
pimenta do reino moída na hora
1 ovo grande
1 xícara (240ml) de leite integral
3 colheres (sopa) de azeite de oliva extra-virgem
½ xícara (45g) de mozarela ralada grosseiramente – rale, depois meça (sem apertar na xícara)
¼ xícara (15g) de parmesão ralado finamente – rale, depois meça (sem apertar na xícara)
1 xícara (130g) de quinoa cozida e fria

Preaqueça o forno a 120°C – assim você mantem os waffles já prontos quentinhos enquanto prepara toda a receita.
Em uma tigela grande, misture a farinha, o fermento, o sal e a pimenta com um batedor de arame. Em uma tigela pequena, misture os ovos, o leite e o azeite com um batedor de arame até incorporar bem. Derrame sobre os ingredientes secos e misture bem com uma espátula de silicone. Incorpore os queijos e a quinoa.

Aqueça a máquina de waffle de acordo com as instruções do fabricante. Quando estiver quente, derrame aproximadamente ¼ xícara de massa, feche e cozinhe até dourar. Transfira para uma assadeira, deixe no forno quentinho e prepare o restante da massa.

Rend.: cerca de 6 waffles

Thursday, April 19, 2018

Bolinhos de quinoa, cenoura e mozarela

English version

Quinoa, carrot and mozzarella fritters / Bolinhos de quinoa, cenoura e mozarela

Demorei para embarcar no bonde da quinoa e na verdade não sei bem o porquê. Depois que experimentei, passei a fazer bolinhos e panquequinhas com o ingrediente com certa frequência: com uma saladinha viram um almoço ou jantar leve e gostoso.

Aqui juntei quinoa a outras delícias como cenoura, mozarela e azeitonas – o salgadinho delas combina muita bem com o adocicado suave da cenoura e da mozarela, mas para quem gosta de sabores fortes (eu adoro) dá pra trocar a mozarela por um queijo de sabor mais intenso.

Bolinhos de quinoa, cenoura e mozarela
receita minha

1 cenoura pequena ralada grosseiramente
150g de quinoa cozida e fria
2 colheres (sopa) de parmesão ralado fininho
1 cebolinha picadinha
2 colheres (sopa) de salsinha picadinha
1 colher (sopa) de folhas de tomilho fresco
2 colheres (sopa) de azeitonas verdes picadinhas – pique, depois meça
2 colheres (sopa) de farinha de trigo
60g de mozarela picadinha
2 ovos
sal e pimenta do reino moída na hora
óleo de canola, para fritar

Coloque a cenoura em um pano de prato limpo e seco e esprema para retirar o excesso de líquido. Transfira a cenoura para uma tigela, misture a quinoa, o parmesão, a cebolinha, a salsinha, o tomilho, a cenoura, as azeitonas, a farinha, a mozarela e os ovos. Tempere com sal e pimenta e misture bem.

Aqueça um fio de óleo em uma frigideira antiaderente em fogo médio. Despeje porções de 2 colheres (sopa) na frigideira, formando panquequinhas. Frite por 2-3 minutos de cada lado ou até dourar.

Sirva imediatamente.

Rend.: cerca de 10 bolinhos

Related Posts with Thumbnails