Wednesday, January 15, 2020

Os Melhores Cookies com Gotas de Chocolate da Bon Appétit em pleno janeiro

Os Melhores Cookies com Gotas de Chocolate da Bon Appétit

Oi, queridos, tudo bem?

Faz tempo que não posto nenhuma receita no blog. Confesso que muitos dias deixei de escrever aqui por falta de tempo, mesmo, e outros por pura preguiça. Sei que vocês me entendem e sinto uma alegria enorme por ainda tê-los comigo mesmo postando de vez em nunca. Obrigada. <3

Janeiro geralmente a gente está naquela pegada de resoluções de Ano Novo, melhorar a alimentação, fazer atividade física regularmente... Eu estou nessa também. Mas não vou cair no clichê de começar o ano postando salada – não, mesmo! :D Trago cookies que foram um sucesso retumbante aqui no escritório antes das festas de final de ano. Mudei um tiquito a receita do Chris Morocco, porque só tinha chocolate ao leite em casa, então diminuí a quantidade de açúcar da massa. Os biscoitos ficaram deliciosos.

Não é à toa que o Chris é o guru do povo da Bon Appétit e estes cookies são chamados de “BA’s Best Chocolate Chip Cookies” – são, sim, maravilhosos. Aconselho dividir com pessoas de quem vocês gostam, porque senão fatalmente comerão tudo sozinhos. :D

Os Melhores Cookies com Gotas de Chocolate da Bon Appétit
um nadinha adaptados dos cookies do Chris Morocco

- xícara medidora de 240ml

1 ½ xícaras (200g) de farinha de trigo
½ colher (chá) de sal
¾ colher (chá) de bicarbonato de sódio
¾ xícara (170g) de manteiga sem sal, temperatura ambiente, uso dividido
150g de açúcar mascavo claro – aperte-o na xícara na hora de medir
¼ xícara (50g) de açúcar cristal
1 ovo grande, temperatura ambiente
2 gemas grandes, temperatura ambiente
2 colheres (chá) de extrato de baunilha
200g de chocolate ao leite, picado grosseiramente, ou em gotas – usei ao leite porque não tinha amargo em casa; certamente com o amargo os cookies ficariam mais gostosos

Preaqueça o forno a 190°C e forre duas assadeiras grandes e rasas com papel manteiga.

Em um tigela média, misture com o batedor de arame a farinha, o sal e o bicarbonato de sódio. Reserve.

Coloque ½ xícara (113g) da manteiga em uma panela média e leve ao fogo médio, mexendo algumas vezes com uma espátula de silicone, até que comece a espumar e a dourar – isso levará cerca de 4 minutos; é importante usar uma panela média, pois a manteiga sobe quando começa a espumar e pode derramar. Transfira para uma tigela refratária grande e deixe esfriar por 1 minuto. Junte o restante da manteiga picada à manteiga derretida – ao adicionar os pedaços de manteiga eles devem começar a derreter, mas sem espumar. Se começar a espumar, deixe esfriar um pouquinho mais antes de adicionar o restante.

Quando toda a manteiga estiver derretida, junte os açúcares e bata com um batedor de arame para dissolver quaisquer grumos de açúcar. Antes de juntar os ovos, verifique a temperatura da mistura: se estiver quente ainda, espere amornar, senão os ovos vão cozinhar. Junte o ovo e as gemas e misture bem com um batedor de arame, por 30 segundos, ou até obter uma mistura homogênea. Incorpore a baunilha. Com a espátula de silicone, incorpore os ingredientes secos completamente, e então faça o mesmo com o chocolate. A massa é molinha mesmo – se estiver com aparência oleosa demais, dê uma boa misturada com a espátula e então aguarde 5-10 minutos antes de assar, para dar tempo de a farinha hidratar mais.

Faça bolinhas usando 2 colheres (sopa) niveladas de massa por biscoito e coloque-as nas assadeiras preparadas deixando 5cm de distância entre elas. Asse por 10-12 minutos ou até que os biscoitos dourem e firmem nas extremidades. Deixe esfriar nas assadeiras por 5 minutos e então deslize o papel com os biscoitos para uma gradinha e deixe esfriar completamente.

Rend.: cerca de 22 unidades

Wednesday, December 04, 2019

Amanteigados com pedaços de chocolate da Alison Roman

Amanteigados com pedaços de chocolate da Alison Roman

Outro dia eu estava trabalhando e uma das executivas da empresa me falou que eu ficava prometendo trazer cookie e não trazia nunca – fiquei me sentindo a Monica Geller naquele episódio dos vizinhos insanos pedindo doce, quem lembra? :D

Eu disse a ela que sim, eu já tinha levado cookies e brownies, e que não tinha culpa se ela não estava na empresa bem naqueles dias. Tempos depois eu deparei com os shortbreads da Alison Roman, enquanto fuçava o Instagram dela – estou aguada para fazer o ensopado de grão-de-bico – e pensei: vou fazer os cookies, provar um (alguns?) e levar o resto pro povo do escritório, ganhar uns brownie points com a galera.

Fiz exatamente isso há algumas semanas e o pessoal pirou com os biscoitos – são mesmo deliciosos! Desmancham na boca e o chocolate dá um sabor intenso maravilhoso. Nem preciso lhes dizer que me tornei a pessoa mais popular do escritório, né? :D Se vocês estão querendo agradar alguém, esta receita é perfeita. A única coisa que não fiz foi polvilhar os cookies com sal em flocos antes de assar – achei que ficariam um pouco salgados demais, pois já estava usando manteiga com sal. Da próxima vez faço isso com alguns para provar como fica.

Amanteigados com pedaços de chocolate da Alison Roman

Amanteigados com pedaços de chocolate da Alison Roman
via NYT

250g de manteiga com sal, temperature ambiente, picada
100g de açúcar cristal
55g de açúcar mascavo claro
1 colher (chá) de extrato de baunilha
325g de farinha de trigo comum
170g de chocolate amargo ou meio-amargo, picado grosseiramente – usei um com 63% de cacau que tinha um sabor bem amargo, combinou super bem com a massa do biscoito

Para finalizar os biscoitos:
1 ovo, batido com um garfo
açúcar demerara, para polvilhar

Na tigela da batedeira, junte a manteiga, os açúcares e a baunilha e bata até obter um creme claro e fofo – raspe as laterais da tigela algumas vezes durante todo o preparo da receita. Com a batedeira na velocidade mínima, acrescente a farinha e misture até que uma massa comece a se formar. Em seguida, junte o chocolate picado – não bata demais para não desenvolver o glúten da farinha. Se for preciso, termine de misturar o chocolate à mão, usando uma espátula de silicone.

Divida a massa em duas partes iguais e coloque cada metade em um pedaço grande de papel manteiga; forme um cilindro de aproximadamente 3,5cm de diâmetro com a massa, fechando-a dentro do papel manteiga usando uma régua – como a Martha faz aqui. Feche as pontas e leve à geladeira até firmar bem, cerca de 4 horas ou de um dia para o outro – os cilindros de massa podem ser congelados por até 1 mês: apenas embrulhe-os com papel alumínio por cima do papel manteiga para proteger a massa de umidade.

Pré-aqueça o forno a 180°C; forre duas assadeiras grandes com papel manteiga. Desembrulhe um dos cilindros de massa (mantenha o outro na geladeira), pincele-o com o ovo batido e polvilhe com o açúcar demerara. Em seguida, corte em fatias de 1cm e coloque-as nas assadeiras preparadas deixando um espaço de 2cm entre uma e outra – eu geralmente corto este tipo de massa com um movimento de guilhotina da faca, mas neste caso isso não funcionou por causa dos pedaços de chocolate; acabei fazendo um movimento de serra e deu mais certo. De qualquer forma, algumas fatias se partiram por causa dos pedaços do chocolate: apenas grude-as de volta com os dedos.

Asse por 12-15 minutos ou até que os biscoitos dourem nas extremidades. Deixe esfriar nas assadeiras sobre gradinhas por 5 minutos e então deslize o papel com os biscoitos para a gradinha e deixe esfriar completamente. Repita o processo com o outro cilindro de massa.

Rend.: 45-48 unidades

Wednesday, November 27, 2019

Sopa de cenoura, grão-de-bico e tahine com foto, sim, senhor

Sopa de cenoura, grão-de-bico e tahine

Tem horas em que a dinâmica de refeições aqui em casa é engraçada: eu cozinho algo novo, o João logo pergunta se eu vou fotografar para colocar no blog. Às vezes digo que não, porque não ficou tão bom assim (acontece, né? Pelo menos é raro), ou porque estou com preguiça de montar o circo todo. Se digo que sim, ele já vai no quarto da bagunça - carinhosamente apelidado assim por causa da, digamos, bagunça, mas o Pingo já andou falando pra todo mundo que o quarto é dele, então vamos ter que rever isso aí logo – e pega a minha tabuinha de fotografar e coloca na mesinha de centro, abre bem as cortinas, separa o tripé para mim... É marido & assistente de produção & cobaia. :D

Esta sopa, por exemplo, ficou uma delícia: leve, saborosa, e congela bem. Fiz em um domingo para jantar durante a semana. Estava com uma preguiça mortal de fazer foto, então falei pro João que não precisava pegar o arsenal. Só que, depois que almoçamos, fui guardar a sopa na geladeira, roubei uma colherada e... Estava gostosa demais para não dividir com vocês. “Amor, pega as tralhas aí que vai rolar foto, sim!”. :D

Pois bem, receitinha boa, fácil e vegana, cheia de sabor. Espero que vocês gostem e também a tenham no freezer para noites de preguiça – estou indo agora aquecê-la para o meu jantar. x

Sopa de cenoura, grão-de-bico e tahine
inspirada pela sopa de cenoura da Deb

- xícara medidora de 240ml

1 ½ colheres (sopa) de azeite de oliva
½ cebola grande em cubinhos
1/3 xícara de salsão em cubinhos – pique, depois meça
4 cenouras (500g), descascadas e em cubinhos – quanto menor você cortar a cenoura, menos tempo de cozimento será necessário para a sopa como um todo
1 dente de alho grande, picadinho
¼ colher (chá) de cominho em pó
¾ colher (chá) de sementes de mostarda amarela
1 litro de água fervente
1 folha de louro
1 folha de salsão – se não tiver, sem problema, use 2 de louro
4 raminhos de tomilho
sal e pimenta do reino moída na hora
1 lata (300g, 200g drenada) de grão-de-bico
2 colheres (sopa) de tahine
suco de limão taiti ou siciliano, para servir

Aqueça o azeite em uma panela média ao fogo médio-alto. Junte a cebola, o salsão e a cenoura e refogue, mexendo às vezes, por cerca de 10 minutos ou até que amaciem. Junte o alho e refogue por 1 minuto – não deixe o alho queimar ou a receita vai amargar.
Acrescente o cominho e as sementes de mostarda e misture bem. Adicione a água, a folha de louro e a folha de salsão, o tomilho, tempere com sal e pimenta do reino e, assim que ferver, abaixe o fogo e cozinhe, mexendo de vez em quando, por cerca de 25 minutos ou até a cenoura ficar bem macia. Junte o grão-de-bico, cozinhe por mais 5 minutos para aquecer.

Desligue o fogo, retire as folhas de louro e salsão, o tomilho, e então bata a sopa com um mixer até que fique cremosa – se preferir bater no liquidificador tome muito cuidado para não se queimar: remova a tampinha menor e então cubra a tampa com um pano de prato seco dobrado – desta forma o vapor tem por onde sair e a mistura não espirrará em você. Misture o tahine.

Na hora de servir, regue com um pouco de suco de limão espremido na hora – faz toda a diferença!

Rend.: 4 porções como entradinha, ou 3 mais generosas

Friday, November 22, 2019

Bolo cítrico com casquinha de açúcar, um texto que me fez chorar e o querido Nigel

Bolo cítrico com casquinha de açúcar

Uma vez lhes contei o quanto chorei (e também ri) com o filme “Toast”, que conta a vida do maravilhoso Nigel Slater - preciso tomar vergonha e ler o livro. Nigel tem um jeito tão particular com as palavras, tão único e belo – ele se denomina um cozinheiro que escreve, mas para mim ele é um escritor que cozinha.

Hoje mais cedo li este texto incrível da revista The New Yorker e chorei, de soluçar, e fiquei tentando disfarçar as lágrimas/não borrar a maquiagem, torcendo para não dar muito vexame (tudo em vão, pois além dos olhos de panda fiquei também com o nariz do Rudolph).
O jeito como Kathleen Alcott fala de Nigel e suas receitas é tão amável, tão querido, e aquele final, meu deus, que tijolada no dedão (daí as várias lágrimas). Recomendo demais o texto da Kathleen para quem lê em inglês, mesmo que não curta cozinhar, porque Nigel Slater é tão mais do que simplesmente comida ou receitas – seus textos tocam a alma da gente.

O bolo de hoje é uma receita saborosa da Gourmet Traveller, um bolo do jeito que gosto: cítrico e encharcado. É delicioso, sim, apesar de eu ficar devendo uma casquinha de açúcar decente, porque não tive coragem de usar 100g de açúcar por cima de um bolo que já era docinho. Adaptei a receita e achei que ficou gostoso e doce o suficiente. Este bolo me lembra um dos meus favoritos de todos os tempos, o de limão siciliano e tomilho do meu querido Nigel, e eu me lembro exatamente do dia em que o vi na TV preparando a receita no extinto canal da BBC na Net, e de como corri para a cozinha para fazer o bolo assim que o programa terminou. O bolo de hoje é uma delícia e eu adoraria que vocês o provassem, mas o do Nigel tem um gostinho mais especial no meu coração.

Bolo cítrico com casquinha de açúcar

Bolo cítrico com casquinha de açúcar
adaptado da sempre lindíssima Gourmet Traveller

- xícara medidora de 240ml

Bolo:
1 ½ xícaras (210g) de farinha de trigo
1 ½ colheres (chá) de fermento em pó
¼ colher (chá) de sal
1 xícara (200g) de açúcar cristal
raspas da casca de 1 laranja e de 1 limão taiti
200g de manteiga sem sal, amolecida
3 ovos, temperatura ambiente
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Casquinha de açúcar:
suco da laranja usada para o bolo
suco do limão usada para o bolo
3 ½ colheres (sopa) - 42g - de açúcar cristal

Preaqueça o forno a 180°C. Unte uma assadeira de bolo inglês com capacidade para 6 xícaras e massa, forre-a com papel manteiga deixando sobras em lados opostos e unte o papel.

Em uma tigela média, misture bem a farinha, o fermento e o sal usando um batedor de arame. Reserve.
Na tigela da batedeira junte o açúcar e as raspas de limão e laranja e esfregue com as pontas dos dedos até que o açúcar fique aromatizados. Junte a manteiga e bata em velocidade média-alta até obter um creme claro e fofo – raspe as laterais da tigela algumas vezes durante todo o preparo da receita.

Junte os ovos, um a um, batendo bem a cada adição. Acrescente a baunilha e bata bem. Em velocidade baixa, junte os ingredientes secos e bata somente até incorporar – não bata demais para não deixar o bolo duro ou solado. Despeje na forma e alise a superfície. Asse por 45-50 minutos ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito).
Misture os ingredientes da calda em uma tigelinha até dissolver o açúcar. Ao retirar o bolo do forno, faça furos em todo o bolo com um palito de churrasco ou faca bem fina. Despeje a calda aos poucos até que toda ela seja absorvida pelo bolo. Deixe esfriar completamente na forma sobre uma gradinha. Remova o bolo da forma usando as alças de papel e sirva.

Rend.: 8-10 fatias

Thursday, November 07, 2019

Salada de batatas com especiarias

Salada de batatas com especiarias

Preciso começar o post de hoje sendo sincera com vocês: eu não gosto de salada de batata, nem de salada de maionese. É uma coisa que não me atrai mesmo, não me perguntem o porquê. Só que aqui em casa tenho um fã número um de salada de maionese, capaz de comer a travessa toda sozinho feliz da vida, e quando estava ainda criando receitas para o livro ele me disse que eu tinha que colocar a minha salada no livro. Como é uma receita simples e comum demais, disse para o João que colocaria uma quase salada de maionese, uma salada de batatas, mas que tivesse um algo a mais para que ficasse interessante.

Foi assim que a receita de hoje apareceu. João não curtiu muito, porque não é muito fã de especiarias (como pode, né, gente?), e eu não curti muito simplesmente porque salada de batata não é a minha praia. Portanto, a decisão fica com vocês: quem fizer a receita volta aqui para me contar o que achou.

Salada de batatas com especiarias
receita minha

500g de batata bolinha
1 colher (sopa) de azeite
½ colher (chá) de cominho em pó
¼ colher (chá) de cúrcuma em pó
1 pitada de pimenta caiena em pó
1 colher (chá) de coentro em grãos
sal e pimenta do reino moída na hora
raspas de 1 limão taiti pequeno
suco de ½ limão taiti pequeno
¼ xícara de iogurte natural integral
2 colheres (sopa) de maionese
1 cebolinha picada, incluindo a parte verde
1 punhado de salsinha picada

Lave bem as batatas e esfregue bem as cascas. Coloque em uma panela grande, cubra com água e leve ao fogo alto até começar a ferver. Acrescente 1 colher (chá) de sal e cozinhe até que as batatas fiquem macias – espete com um garfo para testar. Escorra a água e deixe as batatas no escorredor por alguns minutos para eliminar o excesso de umidade.

Enquanto as batatas cozinham, aqueça o azeite em uma frigideira média antiaderente. Junte as especiarias e doure-as no azeite por 1-2 minutos, até perfumarem – vá misturando para que não queimem. Retire do fogo e deixe amornar.

Corte as batatas ao meio e transfira para uma tigela grande enquanto ainda estiverem mornas. Junte as especiarias e o azeite que estiver a frigideira. Misture. Acrescente as raspas e o suco de limão, o iogurte e a maionese, a cebolinha e a salsinha e misture, com cuidado para não quebrar as batatas. Leve à geladeira por pelo menos 1 hora antes de servir.

Rend.: 4 porções

Friday, November 01, 2019

Curry de berinjela, grão-de-bico e espinafre

Curry de berinjela, grão-de-bico e espinafre

Nem preciso lhes dizer o quanto gosto de tirar foto de comida, mas confesso que alguns pratos são chatinhos de fotografar: sorvete, por exemplo, derrete rápido demais (pensem no sufoco que é fotografar sorvete em pleno janeiro), suflê murcha em um instante. Há, também, o caso das comidas feias, e o curry entra nesta categoria. O que lhes trago hoje ficou uma delícia, foi besta de fazer de tão fácil, usei tudo o que estava na geladeira (a receita em que me baseei, por exemplo, usava espinafre fresco e tomate pelado), mas ficou tão, mas tão feinho o coitado.

Daí fui no truque de caprichar no tecido e na louça para deixar a foto interessante e desviar a atenção da comida desprovida de beleza - mais ou menos quando a gente tá com cara de cansada e/ou em um bad hair day e capricha no batom vermelho para mudar o foco. #quemnunca :D

Curry de berinjela, grão-de-bico e espinafre
adaptado desta receita

- xícara medidora de 240ml

1 colher (sopa) de azeite
½ cebola grande, picadinha
1 berinjela grande (200g) em cubos pequenos
sal e pimenta do reino moída na hora
1 dente de alho grande, picadinho
½ colher (chá) de sementes de mostarda amarela
½ colher (chá) de cominho em pó
¼ colher (chá) de cúrcuma em pó
1 lata (300g) de grão-de-bico
2 tomates maduros, sem as sementes e em cubinhos
1 xícara (240ml) de água fervente
150g de espinafre congelado
1 punhado de coentro fresco picado

Em uma panela média, aqueça o azeite em fogo médio-alto. Junte a cebola e refogue, mexendo de vez em quando, até que fique transparente. Junte a berinjela e refogue, mexendo algumas vezes, até que doure e murche ligeiramente. Acrescente o alho e refogue por 1 minuto – não deixe queimar ou vai amargar a receita. Junte as especiarias, refogue por 1 minuto e junte o grão-de-bico e o tomate. Cozinhe, mexendo às vezes, por 5 minutos ou até o tomate começar a desmanchar.

Acrescente a água, misture bem, e então junte o espinafre. Tempere com sal e pimenta do reino e cozinhe tampado por 15 minutos, mexendo de vez em quando para que o espinafre descongele e se misture à receita.

Acerte o tempero, misture o coentro e sirva.

Rend.: 2-3 porções generosas – eu comi no almoço com arroz, levei de marmita para o trabalho no dia seguinte e congelei o restante em 2 porções para outras refeições

Wednesday, October 30, 2019

Waffles formigueiro

Waffle formigueiro

Outro dia comentei com o João que precisava comprar mais chocolate granulado, para quando meu Pequeno Polegar viesse pudéssemos fazer bolo formigueiro. “O Pequeno Polegar está com 1,25cm, só 30cm a menos do que você” – eu ri alto e em seguida me toquei de que ele está a apenas uma régua de distância de mim. :D

O bichinho do formigueiro me mordeu mesmo (olhem que trocadilho pobrinho, haha), porque depois dos bolos com o Pingo me deu uma vontade doida de fazer outras coisas com aquele granulado – uma das ideias foi colocar na massa de waffle, junto com um pouquinho de canela para intensificar o sabor do chocolate. Ficou tão gostoso que lhes trago a receita hoje - e farei novamente os waffles quando o Pingo vier me visitar.

Waffles formigueiro
receita minha, uma pequena variação dos waffles de laranja e azeite de oliva

- xícara medidora de 240ml

1 ¼ xícaras (175g) de farinha de trigo
2 colheres (chá) de fermento em pó
¼ colher (chá) de canela em pó
1 pitada de sal
2 colheres (sopa) de açúcar cristal
1 ovo grande, temperatura ambiente
¼ xícara (60ml) de azeite de oliva extra virgem
¾ xícara (180ml) de leite integral, temperatura ambiente
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1/3 xícara de chocolate granulado

Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha, o fermento, a canela, o açúcar e o sal. Reserve.
Em uma tigela pequena, misture com um batedor de arame o ovo, o azeite, o leite e a baunilha. Verta os líquidos sobre os ingredientes secos e misture somente até incorporar – não misture demais. Com uma espátula de silicone, incorpore o granulado.

Preaqueça a máquina de waffle. Cozinhe porções de massa por vez, até que cada waffle doure - siga as instruções do fabricante. Sirva com mel, melado ou com o que preferir.

Rend.: 5-6 waffles

Wednesday, October 23, 2019

Frittata de arroz integral alla Norma - ou não

Fritatta de arroz integral alla Norma

Já lhes contei que nem sempre me sinto inspirada cozinhar, às vezes por pura falta de vontade mesmo, outras vezes por querer preparar algo diferente e não ter ideia de por onde começar. Semana passada, por exemplo, eu queria algo gostoso para o almoço em um dia de folga e, ao mesmo tempo, não sabia exatamente o quê.

Ao dar uma espiada no meu e-mail pessoal, havia uma newsletter da Bon Appétit com uma receita de frittata de arroz – exatamente o que eu precisava para dar um fim digno ao arroz integral que sobrara de outro dia. Ao abrir o gavetão de legumes da geladeira para pegar a cebola dei de cara com algumas berinjelas, e como tinha feta na prateleira minha frittata estava completa. Minha receita não leva tomates e troquei a ricota defumada por feta, mas acho que ninguém vai me processar por chamar a minha frittata de alla Norma mesmo assim – pelo menos eu acho que não... :D

Frittata de arroz integral alla Norma
adaptação minha da frittata de arroz da Bon Appétit

- xícara medidora de 240ml

1 ½ colheres (sopa) de azeite de oliva, uso dividido
1 berinjela pequena (150g), em pedaços médios
½ cebola média, em meias-luas
sal e pimenta do reino moída na hora
1 xícara (110g) de arroz cozido integral – se preferir, use arroz branco
3 ovos grandes, temperatura ambiente
1 colher (sopa) de folhas de orégano fresco
35g de queijo feta, ralado ou esmigalhado

Preaqueça o forno a 180°C.

Em uma frigideira antiaderente de 20 ou 22cm de diâmetro e que possa ir ao forno, aqueça 1 colher (sopa) do azeite em fogo médio-alto. Junte a berinjela e doure por todos os lados, cerca de 5 minutos. Empurre a berinjela para as extremidades da frigideira, coloque o azeite restante no centro da panela e junte a cebola. Vá refogando e mexendo algumas vezes, por mais 3-4 minutos, até a cebola começar a ficar translúcida. Tempere com sal e pimenta do reino. Espalhe os ingredientes de maneira uniforme no fundo da panela e cubra tudo com o arroz – depois disso, você não mexerá mais nos ingredientes. Cozinhe desta forma por 3-4 minutos para dourar o arroz – enquanto isso, em uma tigela grande, bata os ovos até combinar bem as gemas com as claras. Tempere com sal e pimenta do reino, misture bem e espalhe sobre o arroz – vai parecer que o ovo não é suficiente para cobrir toda a panela, mas não se preocupe, vai dar certo. 

Salpique as folhinhas de orégano sobre o arroz e sem seguida cubra com o queijo. Desligue o fogo e leve a frittata ao forno for 10 minutos. Sirva imediatamente.

Rend.: seriam 2 porções servidas com salada, mas preciso contar a vocês que comi ¾ da danada sozinha no almoço. :S


Thursday, October 17, 2019

Biscoitinhos de pecã e nibs de cacau

Biscoitinhos de pecã e nibs de cacau

Na minha busca por uma alimentação mais balanceada incorporei mais alimentos integrais às minhas refeições, troquei os lanchinhos à base de biscoitos prontos e outras porcarias por iogurte, granola, mais frutas – quem me acompanha por aqui sabe. O meu pão 100% integral anda fazendo sucesso com algumas de vocês, o que me deixa muito feliz.

Mas nem tudo são flores, e em um passado longínquo eu comprei nibs de cacau para colocar na minha granola de chocolate, mas confesso que não sou tão fã assim do ingrediente: não gostei dele na granola e o pacotinho ficou rodando no meu armário. A solução foi usar em receitas de biscoitos, algo que eu já tinha feito e que havia dado super certo. Os biscoitinhos de hoje são deliciosos, desmancham na boca e deram um fim digno aos nibs de cacau esquecidos na minha despensa.

Biscoitinhos de pecã e nibs de cacau
receita minha, inspirada em muitas outras aqui do blog

- xícara medidora de 240ml

2 ¼ xícaras (315g) de farinha de trigo
1 pitada de noz-moscada ralada na hora
1/8 colher (chá) de sal
1 xícara (226g) de manteiga sem sal, temperatura ambiente
¾ xícara (105g) de açúcar cristal ou refinado
2 gemas
1 colher (chá) de extrato de baunilha
¾ xícara (82g) de pecãs, picadas – meça, depois pique
¼ xícara (30g) de nibs de cacau

Em uma tigela média, misture a farinha, a noz-moscada e o sal com um batedor de arame. Reserve.
Na tigela da batedeira bata a manteiga e o açúcar até obter um creme claro – raspe as laterais da tigela algumas vezes durante todo o preparo da receita. Adicione as gemas, uma a uma, batendo a cada adição. Junte a baunilha. Em velocidade baixa, junte os ingredientes secos reservados e bata somente apenas uma massa se formar. Incorpore as pecãs e os nibs de cacau.

Divida a massa em duas partes iguais. Coloque cada metade em um pedaço grande de papel manteiga; forme um cilindro de aproximadamente 3,5cm de diâmetro com a massa, fechando-a dentro do papel manteiga usando uma régua – aperte bem para compactar a massa dentro do papel – como a Marta faz aqui. Feche as pontas e leve à geladeira até firmar bem, cerca de 4 horas ou de um dia para o outro.

Pré-aqueça o forno a 180°C; forre duas assadeiras grandes com papel manteiga. Desembrulhe um dos cilindros de massa (mantenha o outro na geladeira). Corte em fatias de 5mm e coloque-as nas assadeiras preparadas deixando um espaço de 2,5cm entre uma e outra. Asse por 10-12 minutos ou até que os biscoitos estejam dourados nas extremidades. Deixe esfriar nas assadeiras sobre gradinhas por 5 minutos e então deslize o papel com os biscoitos para a gradinha e deixe esfriar completamente. Repita o processo com o outro cilindro de massa.

Os biscoitos podem ser guardados em um recipiente hermético em temperatura ambiente por até 4 dias. Se não quiser assar todos os biscoitos de uma vez, embrulhe o cilindro de massa com papel alumínio e mantenha-o no freezer por até 1 mês.

Rend.: cerca de 50 unidades

Wednesday, October 09, 2019

Bolo formigueiro com farinha integral

Bolo formigueiro com farinha integral

Eu lhes contei outro dia que a visita mais ilustre da Maison Scarpin, meu pequeno Pingo, ama fazer bolo com a Dedé e que quando ele vem aos sábados já vai logo dizendo que quer fazer bolo – e dependendo de quanto tempo ele fica aqui em casa pede para fazermos pizza também. :D Semana passada não foi diferente: estávamos jogando Super Mario quando ele parou do nada e soltou: “Dedé, eu tive uma ideia. Vamos fazer um bolo?” <3

O pequenino conhece bem a Dedé que ele tem. :D

De uns tempos para cá ele só quer saber de bolo formigueiro e por isso acabei comprando um granulado um pouquinho melhor, que parece mais com chocolate do que com gordura hidrogenada. Como não fiquei muito satisfeita com o resultado do bolo formigueiro que tem aqui no blog (casa de ferreiro...), resolvi dar uma adaptada em outra receita que sempre me rendeu resultados deliciosos – não tem como errar com receita da Alice Medrich, né, gente? Por isso, o bolo de noz-moscada e uísque virou bolo formigueiro com um pouquinho de farinha integral e fez o maior sucesso com o pequeno. E ele ainda me ajudou a produzir a foto - só não deixei chegar perto da faca. <3 <3 <3


Bolo formigueiro com farinha integral
adaptado deste bolo maravilhoso da Alice Medrich

- xícara medidora de 240ml

3 colheres (sopa) de leite integral, temperatura ambiente
3 ovos grandes, temperatura ambiente
2 colheres (chá) de extrato de baunilha
¾ xícara (105g) de farinha de trigo comum
1/3 xícara + 1 colher (sopa) - 55g - de farinha de trigo integral, de preferência fina, como a Mãe Terra
1 ½ colheres (sopa) de amido de milho
¾ xícara (150g) de açúcar cristal ou refinado
¾ colher (chá) de fermento em pó
¼ colher (chá) de canela em pó
1/8 colher (chá) de sal
¼ xícara de chocolate granulado
180g de manteiga sem sal, amolecida e em pedacinhos

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma de bolo inglês com capacidade para 5 xícaras de massa, forre-a com papel manteiga e unte o papel também.
Em uma tigela média, misture com um batedor de arame o leite, os ovos e a baunilha.

Na tigela da batedeira, misture com um batedor de arame as farinhas, o amido de milho, o açúcar, o fermento, a canela e o sal. Junte o granulado e misture bem. Acrescente a manteiga e metade da mistura de ovos e bata com a batedeira em velocidade baixa apenas até os ingredientes secos umedecerem. Aumente para a velocidade média e bata por 1 minuto. Raspe as laterais e o fundo da tigela. Adicione metade da mistura de ovos restante e bata por 20 segundos. Junte o restante da mistura e bata por mais 20 segundos. Raspe as laterais e o fundo da tigela.
Transfira a massa para a forma preparada e alise a superfície. Asse até que o bolo cresça e doure, 55-60 minutos (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma por 20 minutos, desenforme com cuidado e transfira para uma gradinha. Deixe esfriar completamente e remova o papel.

Rend.: 8-10 porções

Related Posts with Thumbnails