Wednesday, April 22, 2015

Cookies com gotas de chocolate do tipo slice and bake

English version

Slice and bake choc chip cookies / Cookies com gotas de chocolate do tipo slice and bake

Ando viciada em biscoitos do tipo slice and bake (aqueles em que a massa é formatada em cilindro, refrigerada e depois cortada em fatias na hora de assar) e por isso mesmo pensei: “por que não fazer o biscoito mais icônico de todos – o cookie com gotas de chocolate – desta forma também?”.

Encontrei uma receita no livro da Fanny Zanotti e parecia ótima, porém troquei um pouquinho da farinha comum por integral, diminuí o açúcar e optei por um chocolate com 70% de cacau em vez do ao leite pedido por ela: os biscoitos ficaram uma delícia!

Estes cilindros de massa não são super fáceis de fatiar como outras receitas por causa dos pedacinhos de chocolate, mas não achei que isso fosse um grande problema: uma ajeitadinha com a ponta dos dedos em algumas das fatias antes de assar e os biscoitos saíram do forno perfeitos.

Tenho certeza de que a ideia de ter uma fornada destes biscoitos em alguns minutos vai deixar muita gente aí me lendo contente, provavelmente tão contentes quanto eu fiquei com a volta dos episódios de “Mad Men”, mesmo sendo a última temporada.

Cookies com gotas de chocolate do tipo slice and bake
um nadinha adaptados do Paris Pastry Club: A Collection of Cakes, Tarts, Pastries and Other Indulgent Recipes

160g de farinha de trigo
40g de farinha de trigo integral
½ colher (chá) de fermento em pó
¼ colher (chá) de sal
90g de manteiga sem sal, amolecida
110g de açúcar mascavo claro
40g de açúcar cristal
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 ovo
75g de chocolate amargo, picado em pedacinhos – usei um com 70% de cacau

Em uma tigela média, misture com um batedor de arame as farinhas, o fermento e o sal. Reserve.
Usando a batedeira, bata a manteiga e os açúcares até obter um creme claro. Junte a baunilha e bata. Junte o ovo e bata – raspe as laterais da tigela. Em velocidade baixa, junte os ingredientes secos e bata somente até incorporar. Com uma espátula, incorpore os pedacinhos de chocolate.

Divida a massa em duas partes iguais e coloque cada metade em um pedaço grande de papel manteiga; forme um cilindro de aproximadamente 3,5cm de diâmetro com a massa, fechando-a dentro do papel manteiga usando uma régua – como a Martha faz aqui (se a massa estiver mole demais, leve à geladeira por 10 minutos antes de moldar os cilindros). Feche as pontas e leve à geladeira por 3 horas ou até firmar bem.

Pré-aqueça o forno a 180°C; forre duas assadeiras grandes com papel manteiga. Desembrulhe um dos cilindros de massa (mantenha o outro na geladeira). Corte em fatias de 6mm e coloque-as nas assadeiras preparadas deixando um espaço de 5cm entre uma e outra. Asse por cerca de 10 minutos ou até que os biscoitos dourem nas extremidades. Deixe esfriar nas assadeiras sobre gradinhas por 5 minutos e então deslize o papel com os biscoitos para a gradinha e deixe esfriar completamente. Repita o processo com o outro cilindro de massa.

Os biscoitos duram até 5 dias em um recipiente hermético em temperatura ambiente, ou até 1 mês no freezer.

Rend.: cerca de 25 unidades

Thursday, April 16, 2015

Rigatoni de forno com pesto e abobrinha para um marido que não odeia mais o legume

English version

Pesto & courgette pasta bake / Rigatoni de forno com pesto e abobrinha

Quem cozinha para enjoadinhos conhece o sentimento, tenho certeza: quando a pessoa que sempre odiou algo começa a comer a determinada coisa é uma pequena vitória.

Quando meu marido decidiu provar cogumelos pela primeira vez na vida e gostou deles eu comecei a adicioná-los às refeições e foi ótimo (o bolonhesa vegetariano é mesmo uma delícia, adoro aquela receita). Agora que ele chegou à conclusão de que na verdade não odeia abobrinha tenho usado o legume cada vez mais, e este macarrão de forno é um jeito gostoso de consumi-la.

Mudei a receita um tiquinho – por exemplo, a versão original pedia por crème fraîche, que substituí por ricota caseira – e consegui um prato mais leve, sem contar que a receita é fácil e gostosa: a cobertura crocante de pão e parmesão deixa o macarrão ainda mais especial.

Rigatoni de forno com pesto e abobrinha
adaptado da sempre deliciosa revista Good Food

- xícara medidora de 240ml

150g de rigatoni
1/3 xícara de pesto de manjericão
200g ricota – usei caseira
200g de abobrinha, ralada no ralador grosso
½ xícara de parmesão ralado fininho, uso dividido
sal e pimenta do reino moída na hora
30g de farelo de pão
azeite de oliva extra-virgem, para regar

Preaqueça o forno a 180°C. Cozinhe o macarrão por 1-2 minutos a menos do que o tempo indicado na embalagem. Escorra, mas reserva 1 xícara da água do cozimento.

Enquanto isso, em uma tigela grande misture o pesto, a ricota, a abobrinha e metade do parmesão. Junte o macarrão e misture bem. Acrescente um pouco da água do cozimento reservada e misture – você quer que o molho fique cremoso (caso contrário o macarrão vai ressecar no forno). Prove e tempere com sal e pimenta do reino.
Espalhe o macarrão em um refratário raso e polvilhe com o farelo de pão e o parmesão. Regue com um pouco de azeite. Asse por 15 minutos ou até a cobertura ficar crocante.

Rend.: 2 porções

Tuesday, April 14, 2015

Brownies com amaranto e um filme ruim de doer

English version

Amaranth brownies / Brownies com amaranto

Estava presa no shopping dias atrás e não havia mais nada a fazer a não ser assistir a um filme, porém o problema era que não tinha muita coisa para escolher e o horário só dava certo com “Velozes e Furiosos 7” – nunca vira nenhum filme da franquia e meodeos, como pode algo ser tão ruim, ainda estou tentando entender.

Sei que não sou o público alvo, entendo isso perfeitamente, mas mesmo assim não dá para acreditar que algo tão porcamente escrito – escola James Cameron de diálogos constrangedores e piadas sem graça – e com atuações tão horrorosas possa ser tamanho sucesso e lucrar tanto em bilheteria, e isso sem contar as marmeladas enormes nas cenas de ação e a mulherada com pouca roupa.

Cada louco com a sua mania, minha mãe dizia isso quando eu era pequena e acho que ela tinha razão – é provável que haja mais alguns filmes dessa franquia horrorosa no futuro, mas se é pra repetir alguma coisa à exaustão eu prefiro fazer isso com brownies: há mais de trinta receitas de brownie no blog e hoje lhes trago outra, desta vez com farinha de amaranto: o ingrediente deixa um finalzinho granuloso nos brownies e eu não acho que isso seja um problema, mas quem não gostar disso ou não tiver amaranto por perto pode usar um total de 150g de farinha de trigo comum e fazer um bom brownie tradicional – de ruim já basta o filme, né? :D

Brownies com amaranto
um tiquinho adaptados do trEATs: Delicious Food Gifts to Make at Home

- xícara medidora de 240ml

150g de manteiga sem sal, em pedacinhos
150g de chocolate amargo picadinho – usei um com 53% de cacau
1 xícara (200g) de açúcar cristal
½ xícara (88g) de açúcar mascavo – aperte-o na xícara na hora de medir
3 ovos
1 colher (chá) de extrato de baunilha
¾ xícara (105g) de farinha de trigo
1/3 xícara (45g) de farinha de amaranto
¼ colher (chá) de sal

Preaqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma quadrada de 20cm, forre-a com papel alumínio deixando sobras em dois lados opostos e unte-o também.

Em uma tigela refratária média, junte a manteiga e o chocolate e leve ao banho-maria (fogo baixo, sem deixar o fundo da tigela tocar a água) até que derretam. Deixe esfriar um pouquinho.
Na batedeira, com o batedor de arame, bata os açúcares, os ovos e a baunilha até obter uma espuma leve. Continue batendo e vá acrescentando o chocolate e manteiga derretidos. Com uma espátula de silicone, incorpore gentilmente as farinhas e o sal, misturando de baixo para cima. Transfira a massa para a forma e asse por cerca de 30 minutos ou até que o topo e as laterais estejam firmes e o centro ainda úmido.
Deixe esfriar completamente na forma. Corte em quadradinhos para servir.

Os brownies podem ser guardados em um recipiente hermético em temperatura ambiente por até 1 semana.

Rend.: 16 unidades

Friday, April 10, 2015

Bolo simples de banana para o final de semana

English version

Simple banana cake / Bolo simples de banana

Não sei vocês, gente, mas finais de semana para mim tem tudo a ver com bolo: uma fatia no café da manhã preguiçoso ou para acompanhar um filminho no sofá.

Outra vez lhes contei que aqui em casa é difícil fazer receitas com banana já que eu e o marido as devoramos em pouco tempo, mas por causa do verão isso acabou mudando um pouquinho: continuamos comendo banana feito doidos, mas por causa dos dias quentes as frutas amadureciam rápido demais, e por isso agora tenho algumas bananas no meu freezer e a primeira receita que fiz com elas foi este bolo da sempre ótima Stephanie Alexander.

O bolo ficou incrivelmente macio e úmido, com um toque sutil de canela e um sabor delicioso de banana – até pensei em espalhar uma cobertura de chocolate sobre ele, mas como o nome da receita era “bolo simples de banana” resolvi manter a simplicidade e servi com uma chuvinha de açúcar de confeiteiro, apenas – foi uma decisão acertada, pois este bolo não precisa mesmo de nada mais.

Bolo simples de banana
um nadinha adaptado do tão maravilhoso The Cook's Companion: The Complete Book of Ingredients and Recipes for the Australian Kitchen

- xícara medidora de 240ml

1 ½ xícaras (210g) de farinha de trigo
¼ xícara (35g) de farinha de trigo integral
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
½ colher (chá) de canela em pó
125g de manteiga sem sal, amolecida
1 ¼ xícaras (250g) de açúcar cristal
2 ovos
2 bananas grandes e bem maduras, amassadas com um garfo
½ colher (chá) de extrato de baunilha
½ xícara (120ml) de buttermilk*
açúcar de confeiteiro, para polvilhar

Preaqueça o forno a 180°C. Unte com manteiga uma forma quadrada de 20cm, forre o fundo com um quadrado de papel manteiga e unte-o também. Polvilhe tudo com farinha e retire o excesso.

Em uma tigela média, misture com um batedor de arame as farinhas, o bicarbonato, o sal e a canela. Reserve.
Em uma tigela grande, usando a batedeira, bata a manteiga e o açúcar até obter um creme claro e fofo. Junte os ovos, um a um, batendo bem a cada adição – raspe as laterais da tigela ocasionalmente. Em velocidade média, acrescente a banana e a baunilha. Bata. Em velocidade baixa, acrescente os ingredientes secos em três adições, alternando com o buttermilk em duas adições (comece e termine com os ingredientes secos). Bata somente até incorporá-los e obter uma massa lisa. Despeje na forma preparada e alise a superfície. Asse por cerca de 50 minutos ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito). Deixe esfriar completamente na forma, sobre uma gradinha. Polvilhe com açúcar de confeiteiro antes de servir.

* para fazer 1 xícara de buttermilk em casa: coloque 1 colher (sopa) de suco de limão em uma xícara medidora de 240ml, complete com leite integral em temperatura ambiente e aguarde 10 minutos para sorar; use todo o conteúdo da xícara na usa receita

Rend.: 16 porções

Tuesday, April 07, 2015

Macarrão com pinoli e berinjela e o macarrão da minha infância

English version

Fusilli with pine nuts and eggplant / Macarrão com pinoli e berinjela

Tenho sangue italiano nas veias, por isso macarrão é algo que comi a vida inteira: minha mãe, apesar de ser de uma família alemã, fazia sempre em casa, e quando ela faleceu e minha avó paterna veio morar definitivamente conosco ela fazia macarrão com frequência, também – meu avô paterno era italiano, então cozinhar macarrão era algo natural para minha avó.

Não havia, ou pelo menos eu não me recordo, tanta variedade nos molhos: havia o tradicional molho de tomate, o bolonhesa, molho branco e o ocasional alho e óleo, mas era basicamente isso. Quando comecei a comprar livros de receita e a ler sites de culinária, anos atrás, percebi que havia tanta coisa que poderia ser feita com macarrão, uma variedade enorme de molhos interessantíssimos – aquilo me deixou boquiaberta.

Uma das maneiras de que mais gosto de preparar macarrão é usando legumes e verduras no molho: toneladas de sabor enquanto comemos algo bom pra saúde. A receita de hoje vem do incrível Antonio Carluccio e quando terminei de cozinhar o molho e o provei estava uma delícia, realmente saboroso. Pensei na hora no quão gostoso o molho ficaria espalhado sobre pão e servido como bruschetta em vez de misturado ao macarrão – é desse jeito que pretendo comê-lo da próxima vez. :D

Macarrão com pinoli e berinjela
um nadinha adaptado do ótimo Antonio Carluccio: The Collection

400g de berinjelas, cortadas em cubos pequenos
sal
90ml de azeite de oliva extra virgem
2 dentes de alho grandes, bem picadinhos
4 colheres (sopa) de extrato de tomate
2 colheres (sopa) de pinoli
2 colheres (sopa) cheias de alcaparras, enxaguadas, escorridas e picadas
1 pitada de pimenta calabresa
pimenta do reino moída na hora
15 azeitonas pretas grandes, sem os caroços e rasgadas em pedaços
1 punhado de folhas de manjericão fresco, rasgadas
400g de fusilli ou outro tipo de pasta curta
parmesão ralado fininho, para servir

Coloque os cubinhos de berinjela em uma tigela com água levemente salgada e deixe de molho por 1 hora. Escorra, retire todo o excesso de água e seque a berinjela com papel toalha.
Aqueça o azeite em uma panela grande e junte a berinjela. Refogue por 3 minutes, misturando ocasionalmente para não grudar no fundo da panela. Junte o alho e continue refogando até que a berinjela esteja bem dourada. Junte o extrato de tomate, o pinoli, as alcaparras, a pimenta calabresa, a pimenta do reino e as azeitonas e cozinhe em fogo baixo, mexendo ocasionalmente, por 10 minutos – junte um pouquinho de água se o molho estiver seco demais.
Acrescente o manjericão, misture, tampe e retire do fogo.
Cozinhe o macarrão em água salgada até que fique al dente, escorra e misture ao molho. Sirva salpicado com o parmesão.

Rend.: 4 porções

Related Posts with Thumbnails