quarta-feira, maio 28, 2008

Streuselkuchen

English version

Streuselkuchen

Agora vocês verão o meu lado superficial. :)

Como alguém pode NÃO querer preparar algo chamado streuselkuchen?? Quero dizer, não é bacana de dizer? Então deve ser bacana de comer – é a minha teoria. A mesma que aplico aos snickerdoodles.

Somente metade da receita de massa é usada na receita, por isso você pode preparar mesmo só metade ou usar o que sobrar no dia seguinte (vide observação). Fiz uns pãezinhos recheados de geléia de amora (do tipo pull-aparts, com uma bolinha junto da outra) e ficaram uma delícia; porém, uma parte do recheio vazou enquanto assavam. Pelo sabor e consistência da massa, acho que vocês não terão problema em inventar algo para fazer com ela.

Streuselkuchen

Streuselkuchen (German crumb cake)
do A Baker's Odyssey

- xícara medidora de 240ml

½ receita da massa alemã (receita abaixo), depois de ter crescido, sido moldada como uma bola e “descansado” por 10 minutos

Streusel (cobertura):
¾ xícara (105g) de farinha de trigo comum
6 colheres (sopa) de açúcar de confeiteiro
6 colheres (sopa) - 84g – de manteiga sem sal, gelada, em pedaços médios
açúcar de confeiteiro aromatizado com baunilha, para polvilhar – usei açúcar de confeiteiro comum

Unte uma forma quadrada de 22cm* com manteiga – não use óleo nem cooking spray, pois a massa tem de aderir à assadeira. Abra a massa com um rolo, sobre uma superfície ligeiramente enfarinhada, até que ela fique com o tamanho da forma – vai ficar fininha, com pouco mais de meio centímetro de espessura. Coloque a massa na assadeira e espalhe até cobrir todo o fundo – não forme bordas, pois a massa deve ficar lisa. Cubra com um pano de prato limpo.

Para a cobertura: coloque a farinha, o açúcar de confeiteiro e a manteiga no processador de alimentos (usei a Kitchen Aid, com o batedor em formato de pá) e pulse 5 ou 6 vezes; depois deixe a lâmina terminar de processar a mistura, somente até que se forme uma farofa grossa, cerca de 30 segundos. Não processe por mais tempo.

Descubra a massa; usando as pontas dos dedos, pressione porções de cobertura para que fiquem do tamanho de ervilhas grandes, e vá colocando-as sobre a massa. Continue até terminar com toda a mistura – haverá uma cobertura generosa no pão. Cubra novamente com o pano de prato e deixe em temperatura ambiente por 20 minutos.

Pré-aqueça o forno a 180ºC – você vai usar a grade central para assar o pão.

Descubra o pão e leve-o ao forno. Asse por cerca de 30 minutos, até que cresça quase até o topo da forma e esteja dourado – faça o teste do palito para saber se o kuchen está assado.
Retire do forno e imediatamente polvilhe com bastante açúcar de confeiteiro. Deixe esfriar na assadeira e remova-o com cuidado para não estragar a cobertura.
Sirva em fatias – é melhor consumi-lo fresco, no mesmo dia.

* usei uma forma quadrada de 20cm e funcionou bem.

Rend.: 8 porções

Streuselkuchen

Massa alemã

½ xícara (120ml) de leite integral
2 ¼ colheres (chá) de fermento biológico seco
¼ xícara (50g) de açúcar granulado
2 ¼ xícaras (315g) de farinha de trigo, mais se necessário
4 colheres (sopa) - 57g – de manteiga sem sal, gelada, cortada em cubos médios
raspas da casca de 1 limão siciliano
2 ovos grandes, em temperatura ambiente

Esquente o leite numa panelinha em fogo médio – quando vir vapor saindo da superfície do leite e bolhinhas nas beiradas, desligue o fogo e coloque um termômetro culinário dentro do líquido; quando este atingir entre 48-54ºC (ou quando sentir o leite morno com a ponta dos dedos), você vai usá-lo.

Polvilhe o fermento e 1 colher (chá) do açúcar no leite e misture bem. Deixe descansar por aproximadamente 10 minutos, até que o fermento borbulhe e forme uma espuma.

Para fazer a massa na batedeira tipo Kitchen Aid (fiz assim): misture as 2 ¼ xícaras de farinha e o açúcar restante na tigela da batedeira e acrescente a manteiga e as raspas de casca de limão siciliano. Com o batedor em formato de pá, bata em velocidade baixa por cerca de 3 minutos, até obter uma farofinha. Retire a tigela da batedeira, adicione o fermento e os ovos, e misture com uma espátula de borracha/silicone, até obter uma massa úmida e espessa. Volte a tigela à batedeira e, com o batedor em formato de gancho, bata em velocidade baixa por 1 minuto. Aumente para a veloc. média e bata por 5 minutos, até que a massa fique grudenta e elástica e comece a se soltar das laterais da vasilha. Raspe a vasilha e o batedor.

Para fazer a massa à mão: misture a farinha e o açúcar restante numa vasilha grande. Acrescente a manteiga e, com a ajuda de duas faquinhas, vá cortando-a e ao mesmo tempo misturando-a aos ingredientes secos, até obter uma farofinha. Adicione as raspas de casca de limão, o fermento e os ovos e misture – a massa vai ficar úmida e espessa. Bata vigorosamente com uma colher de pau por 5-8 minutos para obter uma massa grudenta e elástica – ao levantar a massa com a colher, ela deve esticar bastante. Raspe as laterais da vasilha e a colher.

Polvilhe a massa com 1 colher (sopa) de farinha. Cubra a tigela firmemente com filme PVC e deixe a massa crescer até dobrar de volume, cerca de 1 hora, dependendo da temperatura da sua cozinha.

Polvilhe a superfície de trabalho levemente com farinha e transfira a massa para lá. Vire-a para cobrir ambos os lados de farinha. Divida a massa em 2 partes iguais e forme uma bola com cada uma delas. Cubra-as com um pano de prato e deixe-a descansar por 10 minutos. A massa estará pronta para ser usada.

Obs.: se usar somente metade da massa, coloque a outra metade num pote hermético e leve à geladeira. No dia seguinte, molde-a para fazer mais um streuselkuchen.

17 comentários:

Laurinha disse...

Acho que as 'cucas' tem como origem estes tipos de bolo/pão...

Me chamou a atenção a temperatura do leite, para receber o fermento...

Este kuchen deve ser delicioso, que vontade!! ......
Já estou até imaginando fazer, com a metade da massa restante, com recheio de canela, ou um purê de maçã com noz-moscada... aiai, minhas lonbrigas falam mais que eu!!

Adorei a sugestão! Obrigada!

Beijinhos

Silvia Arruda disse...

Logo de cara, percebi que o bolo era alemão... por que será, não? hehe

O bolo lembra muito uma cuca, como disse a Laurinha.

Luciana Macêdo disse...

Pelo nome eu não faria...logo pensaria que é muito trabalhoso apesar de imponente...mas depois de ver a receita fiquei com as mãos coçando e imaginando esta delícia para a hora do meu cafezinho.
Bjs!

Silvinha disse...

Hehehe, lembrou-se de seu passeio aqui? X)

Esse tipo de bolo tem em quase toda padaria aqui, mas é diferente do cuque brasileiro. Eu não resisto e ponho mirtilo ou banana ;)

Beijos!

Leila disse...

Patricia, isso tem cara de cuca das mais gostosas. Me apaixonei!
vou salvar e fazer um dia desses.
beijinhos

laila disse...

Pat compartilho da mesma superficialidade q vc...adorei o nome e só isos já me deu vontade de fazer o bolo.

mas lógico q as fotos me convenceram mais q o nome! bjs

Clumbsy Cookie disse...

É verdade só o novo já é delicioso! Traduzido nem tem muita graça (acho que fica bolo de migalhas). Essa cubertura deu-me água na boca!

Axly disse...

Minha mãe ia adorar essa receita, já que lembra muito as cucas, e ela é doida por cuca!!!
Gostei bastante, anotada^^
Kisss.

Agdah disse...

Todos esses "kuchens", incluindo Ashton, são muito atrativos.

Cinara disse...

Que bolo lindo, amiga!!! Adoro todos os bolos que levam essa farofinha por cima, por isso sou fã de coffeecakes... Receita anotada! ;o)
Beijos e bom final de semana!

Patricia Scarpin disse...

Laurinha, eu lembrei das cucas, também! Cresci comendo cuca, minha avó era alemã e a minha família, do sul. :)
As suas variações ficaram maravilhosas, tenho certeza!
Beijo!

Si, lembra sim!

Lu, é bem simples, só requer paciência para esperar a massa crescer todas as vezes.
Beijos!

Silvinha, tenho umas gotinhas de sangue alemão nas veias, amiga, minha avó materna era alemã! :)
Beijo!

Leila, espero que faça no seu novo forno, querida!
Beijo!

Laila, que bom que gostou!
xoxo

Rita, por isso coloquei o nome original mesmo, vc tem toda a razão!

Axly, faz pra ela. :)

Agdá, morri de rir de ti, amiga.

Ci, também adoro streusel!
Beijo grande!

tati perolada disse...

Patrícia, querida, cresci no meio de cucas e tou doida pra fazer.
Mas, me conta:
como pronuncia o nome?
(hohohoho)

Bia Belliard disse...

a origem da cuca ! uma delicia ! beijinhos

Valentina disse...

Pat, o nome nao da para pronunciar.risos.Agora a escolha da receita está show.

Lolla Moon disse...

menina, eu comi MUUUUUUUITO esse bolo lá na alemanha, mas MUUUUUUUITO mesmo (razão para os quilos extras).

uma delícia. em toda feira/market havia uma barraquinha, geralmente a primeira onde eu caía. :) valeu pela receita, vou tentar faezr em casa!

amanda disse...

estava no google atras de receitas e caí aqui.
eu moro numa cidade extremamente 'alemã'. 90% das pessoas aqui são descendentes e se come muito esse bolo.
eles mesmo chamam de cuca.
e comem com comida, na hora do almoço ou jantar. não é raro ir a um churrasco e ver na mesa salada, arroz e cuca.

belissima receita.
meus parabens!

Patricia Scarpin disse...

Amanda, que bom saber! Obrigada por me contar!
Beijo!

Related Posts with Thumbnails