sexta-feira, agosto 31, 2012

Torta de pêra, amêndoa e gingerbread

English version

Gingerbread pear tart / Torta de pêra e gingerbread

Fui hipnotizada por esta torta quando a vi pela primeira vez na revista DH – era linda e parecia deliciosa! Minha idéia inicial foi prepará-la no final do ano e publicá-la aqui no blog como parte da minha série de Natal, mas daí me toquei de que a época das pêras é agora e, além disso, eu tinha um restinho de geléia de laranja na geladeira que sobrara de um bolo preparado semanas antes e o restinho acabou sendo a quantidade exata pedida na receita da torta; como o universo já havia conspirado em minha cozinha antes com ótimos resultados fui em frente e preparei a torta, e isso acabou sendo uma decisão muito acertada. ;)

Gingerbread pear tart / Torta de pêra e gingerbread

Torta de pêra, amêndoa e gingerbread
da sempre linda e deliciosa revista Donna Hay

- xícara medidora de 240ml

½ xícara + 1 colher (sopa) - 127g - de manteiga sem sal, amolecida
½ xícara (88g) de açúcar mascavo – aperte-o na xícara na hora de medir
2/3 xícara de glucose de milho
2 2/3 xícaras (373g) de farinha de trigo
2 colheres (chá) de gengibre em pó
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
½ xícara (50g) de farinha de amêndoa
1 ½ colheres (sopa) de açúcar cristal
3 pêras firmes, cortadas em meio no sentido do comprimento, e cada metade cortada em 4-5 fatias
¼ xícara (50g) de açúcar cristal, extra
1 colher (chá) de extrato de baunilha
¼ xícara de geléia de laranja
açúcar de confeiteiro, para polvilhar
chantilly, para servir

Coloque a manteiga e o açúcar na tigela grande da batedeira e bata até obter um creme claro. Junte a glucose de milho, a farinha, o gengibre, o bicarbonato e o sal e bata somente até incorporar os ingredientes e a mistura virar uma massa. Divida em duas partes iguais, formate cada parte em um retângulo e embrulhe em filme plástico. Leve à geladeira por 1 hora.
Em uma tigelinha, misture a farinha de amêndoa e 2 colheres (sopa) do açúcar. Reserve. E uma tigela média, misture as pêras, o açúcar extra, a baunilha e a geléia de laranja e mexa gentilmente para incorporar.
Forre uma assadeira grande, de beiradas baixas, com papel alumínio. Com um rolo, abra cada porção de massa entre duas folhas de papel manteiga ligeiramente enfarinhadas até obter um retângulo de 20x30cm. Espalhe metade da mistura de amêndoa sobre o centro de cada retângulo de massa deixando 5cm de borda sem recheio. Arrume o recheio de pêra sobre a farinha de amêndoa e dobre as extremidades da massa sobre o recheio, cobrindo parte deste. Transfira com cuidado para a assadeira preparada. Leve as tortas à geladeira por 20 minutos – enquanto isso, pré-aqueça o forno a 180°C.
Asse por 30-35 minutos ou até que estejam assadas e douradas. Deixe esfriar na assadeira sobre uma gradinha – você pode servir as tortas mornas ou em temperatura ambiente
Polvilhe com açúcar de confeiteiro e sirva.

Rend.: 2 tortas, cada uma serve 4-6 porções

quarta-feira, agosto 29, 2012

Bolo de banana com calda de rum

English version

Banana cake with rum glaze / Bolo de banana com calda de rum

Um dos canais a cabo estava passando “A.I. Inteligência Artificial” ontem à noite e depois de rever meia hora do filme minha opinião continuava a mesma de anos atrás: o filme não é Kubrick. Sei que ele trabalhou no projeto do filme por muitos e muitos anos e relendo a trivia me lembrei de que vários detalhes haviam sido escolhidos/decididos por Kubrick, mas acho que não foi o bastante; acho Spielberg chato – e muitas vezes piegas – e por isso ele não deveria ter sido escolhido para dirigir algo tão sombrio e perturbador; contem com Cronenberg, Fincher e até mesmo Nolan para lidar com esse tipo de filme, e não alguém que digitalmente substitui armas por walkie-talkies.
Entretanto, há algo de que gosto bastante em “A.I.”: acho Jude Law perfeito como Gigolo Joe – é um ator bem versátil e um dos meus favoritos.

***

Adorei esse bolo de banana macio e delicioso – os bolos da Lisa Yockelson são sempre maravilhosos – mas ao colocá-lo no forno achei que ficaria simplesinho demais (como o Spielberg); por isso, dei-lhe um bom banho com calda de rum e isso tornou as coisas bem mais interessantes. :)

Bolo de banana com calda de rum
adaptado dos ótimos e deliciosos Baking Style: Art, Craft, Recipes e Sticky, Chewy, Messy, Gooey: Desserts for the Serious Sweet Tooth

- xícara medidora de 240ml

Bolo:
2 xícaras (280g) de farinha de trigo
2/3 xícara (80g) de farinha para bolo (caseira: ½ xícara de farinha de trigo + 1 colher (sopa) de amido de milho)
1 ¼ colher (chá)s de bicarbonato de sódio
1 colher (chá) de fermento em pó
½ colher (chá) de sal
150g de manteiga sem sal, amolecida
1 ¼ xícaras + 1 colher (sopa) - 262g - de açúcar cristal
3 ovos grandes
2 colheres (chá) de extrato de baunilha
1 ½ xícaras de bananas maduras e amassadas
½ xícara (120ml) de buttermilk*

Calda:
¼ xícara (56g) de manteiga sem sal
2 colheres (sopa) de água
¼ xícara (44g) de açúcar mascavo claro – aperte-o na xícara na hora de medir
¼ xícara (50g) de açúcar cristal
¼ xícara (60ml) de rum escuro

Pré-aqueça o forno a 180°C; unte com manteiga e enfarinhe uma forma de furo central (tipo Bundt) com capacidade para 10 xícaras de massa.
Em uma tigela média, peneire juntos a farinha de trigo, a farinha para bolo, o bicarbonato, o fermento e o sal. Reserve.
Na tigela grande da batedeira, usando o batedor em formato de pá, bata a manteiga e o açúcar até obter uma mistura clara e fofa. Junte os ovos, um a um, e raspe as laterais da tigela com uma espátula após cada adição. Acrescente a baunilha e a banana.
Em velocidade baixa, junte os ingredientes peneirados em três adições e o buttermilk em duas adições, alternando-os, começando e terminando com os ingredientes secos, batendo apenas até incorporar. Raspe as laterais da tigela novamente. Misture apenas até incorporar.
Despeje a massa na forma preparada e alise a superfície. Asse até dourar e crescer, 50-60 minutos (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma, sobre uma gradinha, por 15 minutos – enquanto isso, faça a calda: junte a manteiga, a água e os açúcares em uma panelinha de fundo grosso e leve ao fogo médio-alto até começar a ferver. Imediatamente reduza para fogo baixo e ferva por 5 minutos. Retire do fogo e acrescente o rum.
Desenforme o bolo com cuidado sobre a gradinha e pincele-o generosamente com a calda (você pode reservar um pouquinho de calda para servir com o bolo). Deixe esfriar completamente.

* para fazer 1 xícara de buttermilk: coloque 1 colher (sopa) de suco de limão em uma xícara medidora de 240ml, complete com leite integral em temperatura ambiente e aguarde 10-15 minutos para sorar; use todo o conteúdo da xícara na usa receita

Rend.: 10-12 porções

segunda-feira, agosto 27, 2012

Biscotti de limão siciliano

English version

Lemon glazed biscotti / Biscotti de limão siciliano

Já sei o que vocês vão pensar: depois de ter me tornado viciada em biscotti era apenas uma questão de tempo para fazer biscotti de limão siciliano, certo? Pois aqui estão, e para compensar todo o tempo perdido estes são biscotti duplos de limão siciliano: além de a massa ser perfumada com as raspas da casca da fruta há também uma coberturazinha deliciosa feita com o suco – quem está na chuva é para se queimar, não é mesmo? :D

Biscotti de limão siciliano
um tiquinho adaptados do maravilhoso Great Cookies: Secrets to Sensational Sweets

- xícara medidora de 240ml

Biscotti:
2 xícaras (280g) de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
¾ colher (chá) de cardamomo em pó
¼ colher (chá) de sal
½ xícara (113g) de manteiga sem sal, um pouquinho firme
raspas de casca de 2 limões sicilianos
¾ xícara (150g) de açúcar cristal
1 ovo grande
2 gemas grandes
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Cobertura:
1 ½ xícaras (210g) de açúcar de confeiteiro, peneirado
1 colher (sopa) de suco de limão siciliano
1 colher (sopa) de glucose de milho
cerca de 1 colher (sopa) de água quente

Pré-aqueça o forno a 180°C. Forre uma assadeira grande, de beiradas baixas, com papel manteiga.
Em uma tigela média, peneire juntos a farinha, o fermento, o cardamomo e o sal. Reserve.
Na tigela grande da batedeira, usando o batedor em formato de pá, bata amanteiga e as raspas de casca de limão em velocidade médio-baixa. Aumente para a velocidade média e junte o açúcar em fio contínuo. Bata por mais 1 minuto.
Junte o ovo, seguido das gemas e da baunilha e bata por mais 1 minuto. Em velocidade baixa, junte os ingredientes peneirados em duas adições, misturando apenas até incorporar.
Espalhe metade da massa em um dos lados da assadeira preparada e, com as mãos levemente enfarinhadas, modele como um cilindro de 5x35cm. Repita com a outra metade da massa.
Asse por 18-20 minutos ou até que o topo esteja firme e levemente dourado. Retire do forno e coloque sobre uma gradinha por 15 minutos. Baixe a temperatura do forno para 160°C e forre outra assadeira grande com papel manteiga.
Com cuidado, remova os cilindros de massa do papel manteiga e corte em fatias de aproximadamente 1cm de espessura. Arrume as fatias na assadeira preparada e leve ao forno por 10 minutos ou até que doure. Vire os biscotti e asse por mais 10 minutos do outro lado ou até que doure também. Retire do forno e coloque sobre uma gradinha.
Faça a cobertura: em uma tigelinha, misture o açúcar, o suco de limão, a glucose de milho e a água e misture até conseguir uma cobertura com consistência para regar os biscotti – junte um pouquinho mais de água se necessário. Enquanto os biscotti ainda estiverem mornos, coloque-os próximos uns aos outros, e então mergulhe um garfo na cobertura e mova rapidamente para frente e para trás, regando os biscotti. Deixe em temperatura ambiente para que a cobertura seque antes de guardar.
Os biscotti podem ser guardados em um recipiente hermético em temperatura ambiente por até 3 semanas.

Rend.: cerca de 40 biscotti

quinta-feira, agosto 23, 2012

Pãezinhos de cebola e queijo e mudando de idéia após a primeira mordida

English version

Cheese and onion scrolls / Pãezinhos de cebola e queijo

Na hora em que tirei estes pãezinhos do forno decidi que não iria publicar a receita no blog: eles não estavam bonitos como os da revista, e sendo esta louca perfeccionista fiquei bem desapontada com a aparência dos pães. Mas o cheirinho na minha cozinha estava tão bom que senti uma vontade enorme de provar um dos pãezinhos e foi aí que mudei de idéia completamente: estava tão saboroso que eu tinha que dividir a receita com vocês. Peguei a câmara na mesma hora porque os pãezinhos estavam tão bons que achei que não sobraria nenhum para as fotos depois. :D

A massa é super macia e por isso foi difícil formatas os rolinhos, mas os aconselho a não adicionarem mais farinha, mesmo que se sintam tentados a fazê-lo: vocês vão amar a textura ultra macia dos pãezinhos, e esta textura ótima se mantém mesmo depois de frios.

Pãezinhos de cebola e queijo
adaptados da sempre lindíssima e deliciosa Australian Gourmet Traveller

- xícara medidora de 240ml

1 cebola, cortada ao meio no sentido do comprimento e depois em fatias bem fininhas
1 colher (sopa) de azeite de oliva
1 ¾ xícaras + 1 colher (sopa) - 255g - de farinha de trigo
¾ xícara (105g) de farinha integral
1 ½ colheres (sopa) de açúcar mascavo claro – aperte-o na colher na hora de medir
2 ¼ colheres (chá) - 7g - de fermento biológico seco
2 colheres (sopa) de cebolinha miúda picadinha – pique e depois meça
150g de queijo fontina, ralado no ralador grosso, uso dividido
1 colher (chá) de sal
½ xícara (120ml) de leite integral + um pouquinho extra para pincelar
1/3 xícara (80ml) de água

Coloque a cebola e o azeite em uma panela média, leve ao fogo médio-alto e refogue, misturando ocasionalmente, até a cebola ficar macia (4-5 minutos). Retire do fogo e reserve.
Na tigela grande da batedeira, junte as farinhas, o açúcar, o fermento, a cebolinha, 50g do queijo Fontina, a cebola refogada e o sal. Aqueça o leite e a água juntos até amornar e despeje sobre os ingredientes na tigela. Usando o batedor em formato de gancho, misture a massa e sove até que fique homogênea e elástica, 4-5 minutos – ou sove na mão por cerca de 8 minutos. Transfira a massa para uma tigela grande levemente pincelada com óleo, cubra com filme plástico e deixe em um lugar morninho, livre de correntes de ar, até dobrar de volume (45 minutos a 1 hora).
Pré-aqueça o forno a 180°C; forre uma forma de 20x30cm com papel alumínio, deixando sobras em dois lados opostos, formando “alças”.
Em uma superfície levemente enfarinhada, abra a massa em um retângulo de aproximadamente 20x40cm. Espalhe o queijo Fontina restante sobre a massa e enrole-a como um rocambole, formando um longo cilindro. Corte em 8 fatias iguais e coloque-as com o lado cortado virado pra cima na forma preparada, deixando 1cm de distância entre uma e outra. Cubra e deixe crescer levemente por 10-15 minutos. Pincele o topo dos pãezinhos com leite e asse até que dourem, 20-25 minutos. Sirva mornos (achei deliciosos também em temperatura ambiente).

Rend.: 8 unidades

terça-feira, agosto 21, 2012

Financiers de groselha + The Smiths

English version

Red currant financiers / Financiers de groselha

Como lhes contei outro dia, eu não conhecia quase ninguém do elenco do fantástico “Reino Animal”, por isso, assim que o filme terminou, corri para o IMDb para saber mais sobre os atores e foi assim que descobri que um dos próximos projetos de James Frecheville é um filme sobre o final da banda que mais amo: achei a sinopse bem interessante e o título escolhido para o filme é perfeito (além de ser uma das minhas canções favoritas).

Num bate-papo ao final da Cerimônia de Encerramento dos Jogos Olímpicos de Londres comentei com algumas amigas que eu achava que os Smiths deveriam ter sido mencionados no show por serem uma das bandas inglesas mais importantes da História e nos pegamos pensando se a decisão teria sido tomada pelas pessoas encarregadas pela cerimônia por causa das críticas políticas da banda ou se o Morrissey teria proibido o uso das canções – achei que ambas as possibilidades faziam sentido. :)

***

Acho groselhas umas das frutas mais lindas da natureza: parecem pedras preciosas. A primeira vez que vi groselhas frescas foi há alguns anos, no Borough Market – nunca as tinha visto no Brasil. Que surpresa boa foi encontrá-las em um mercado semanas atrás: ignorei o preço e levei uma caixinha das frutinhas preciosas para casa, e algumas delas viraram estes delicados financiers.

Red currant financiers / Financiers de groselha

Financiers de groselha
adaptados do ótimo Simply Bill

- xícara medidora de 240ml

2/3 xícara (67g) de farinha de amêndoa
¾ xícara (105g) de açúcar de confeiteiro + um pouquinho extra para polvilhar
1/3 xícara (47g) de farinha de trigo
1 pitada de sal
4 claras grandes (112g)
½ colher (chá) de extrato de baunilha
1/3 xícara (75g) de manteiga sem sal, derretida e fria
cerca de 70g de groselhas frescas*

Unte com manteiga e enfarinhe 18 forminhas de financier com capacidade para 2 colheres (sopa) de massa cada.
Em uma tigela média, peneire juntos a farinha de amêndoa, o açúcar de confeiteiro, a farinha de trigo e o sal. Junte as claras e a baunilha e misture até incorporar. Junte a manteiga. Leve à geladeira por 30 minutos – enquanto isso, pré-aqueça o forno a 180°C.
Divida a massa de maneira uniforme entre as forminhas. Arrume as groselhas sobre a massa.
Asse por 12-15 minutos ou até que dourem e cresçam – faça o teste do palito. Retire do forno e deixe esfriar nas forminhas, sobre uma gradinha, por 5 minutos, e então desenforme com cuidado. Transfira para a gradinha e deixe esfriar.
Polvilhe com açúcar de confeiteiro antes de servir.

* esta receita de financiers é ótima e bem básica, já fiz com diversas frutas e você pode usar outras em vez de groselhas

Rend.: 18 unidades

domingo, agosto 19, 2012

Barrinhas de laranja - doce com camadas, música idem

English version

Orange cream bars / Barrinhas de laranja

Adoro camadas – camadas em bolos, em performances, em música... Esta é uma das razões pelas quais amo tanto a maioria das canções do Silverchair, especialmente as do álbum "Diorama": elas têm tantas camadas diferentes, tantos detalhes diferentes que dá pra perceber que houve uma preocupação genuína com aquelas melodias – sinto que tenho sorte por ouvir algo de tamanha qualidade, como ouvinte me sinto até mesmo mimada sendo tratada assim. Uma de minhas canções favoritas é “Across the Night” – como não amar uma canção que começa com um cravo seguido de um som de big band? E então, no final, há uma mudança drástica no arranjo e é como se fossem duas canções em uma (o que me lembra a maravilhosa “Layla”) – dizer que é sublime é pouco.

Com esses meninos talentosos e sua música cheia de camadas em mente lhes trago estas barrinhas deliciosas, também cheias de camadas e que podem parecer dar trabalho, mas na verdade, não: levam um certo tempo para ficar prontas, é verdade, já que cada camada é feita separadamente e elas precisam esfriar/firmar em intervalos, mas usei tais intervalos para ver um pouco de TV já que naquele sábado eu ainda não havia começado ler este livro.

Barrinhas de laranja
do sempre delicioso The Good Cookie

- xícara medidora de 240ml

Base:
1 ¼ xícaras (175g) de farinha de trigo
2/3 xícara (94g) de açúcar de confeiteiro, peneirado se estiver muito empedrado
1 pitada de sal
10 colheres (sopa) - 140g - de manteiga sem sal, em cubinhos de 1cm

Recheio de curd de laranja:
2 ovos
4 gemas
¾ xícara (150g) de açúcar cristal
1 colher (sopa) de suco de limão siciliano ou tahiti
½ xícara (120ml) de suco de laranja
2 colheres (sopa) de raspas de casca de laranja
1 pitada de sal
½ xícara (113g) de manteiga sem sal, amolecida

Cobertura:
¾ xícara (180ml) de creme azedo (sour cream)*
¼ xícara (60ml) de creme de leite fresco
2 colheres (sopa) de açúcar cristal
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Pré-aqueça o forno 180°C. Forre uma forma quadrada de 23cm com papel alumínio, deixando sobras em dois lados opostos, formando “alças”. Unte o papel com manteiga.
Base: coloque a farinha, o açúcar e o sal no processador de alimentos e pulse para misturar. Coloque a manteiga sobre os ingredientes e pulse 6-8 vezes ou até que a mistura pareça uma farofa grossa. Processe por 15-20 segundos ou até que grumos se formem e se juntem, formando uma massa, quando pressionados com as pontas dos dedos - tive que acrescentar 1 colher (chá) de água gelada à massa para conseguir esta consistência.
Transfira a massa para a forma preparada e aperte no fundo, formando a base. Faça furinhos em toda a massa com um garfo. Asse por 30-35 minutos ou até que esteja bem dourada nas extremidades. Retire do forno e deixe esfriar completamente.
Recheio: coloque uma peneira fina sobre uma tigela média e reserva.
Em uma panela média, misture com um batedor de arame os ovos, as gemas e o açúcar. Junte os sucos, as raspas de laranja, o sal e a manteiga e leve ao fogo médio, mexendo sempre, até a mistura engrossar, cerca de 7 minutos (não deixe ferver porque pode talhar).
Imediatamente passe a mistura pela peneira, pressionando com uma espátula para extrair o máximo possível.
Transfira ¼ xícara da mistura para uma tigela média, cubra com filme plástico e leve à geladeira. Espalhe a mistura restante sobre a base já fria e leve à geladeira até esfriar e firmar, cerca de 30 minutos.
Pré-aqueça o forno a 180°C.
Cobertura: misture o creme azedo, o creme de leite, o açúcar e a baunilha à curd de laranja reservada. Espalhe cuidadosamente sobre a camada de curd de laranja. Asse por 10 minutos somente para firmar a cobertura**. Deixe esfriar completamente sobre uma gradinha e então leve à geladeira por pelo menos 2 horas (ou de um dia para o outro).
Com uma faca afiada, corte as barrinhas, limpando a faca entre os cortes (fiz isso umas três vezes apenas). Sirva geladas.
As barrinhas podem ser guardadas em um recipiente hermético na geladeira por até 5 dias.

* creme azedo (sour cream) caseiro: para preparar 1 xícara de creme azedo, misture 1 xícara (240ml) de creme de leite fresco com 2-3 colheres (chá) de suco de limão ou limão siciliano em uma tigela. Vá mexendo até que comece a engrossar. Cubra com filme plástico e deixe em temperatura ambiente por 1 hora ou até que engrosse um pouco mais (geralmente faço o meu na noite anterior e deixo sobre a pia – com exceção de noites extremamente quentes – coberto com filme plástico; na manhã seguinte o creme fica bem cremoso – leve à geladeira para ficar mais espesso ainda)

** minhas barrinhas ficaram no forno por 25 minutos (!!) e mesmo assim a cobertura não firmou – isso só aconteceu na geladeira e mesmo assim não ficou firme o bastante e sim com uma consistência mais cremosa

Rend.: 16 barrinhas – fiz exatamente a receita acima usando uma forma quadrada de 20cm

sexta-feira, agosto 17, 2012

Muffins de limão-cravo e amêndoa e uma cozinheira ranzinza

English version

Rangpur lime and almond muffins / Muffins de limão-cravo e amêndoa

Tenho de ser honesta com vocês: estes muffins trouxeram à tona o meu lado mais rabugento; enquanto os preparava, pensei coisas como “muffins têm de ser práticos e rápidos de fazer!” e “com tantas etapas assim eu poderia fazer logo um bolo”. Sim, eu sei, não foi muito civilizado de minha parte, mas É uma receita com algumas frescurinhas e há mesmo etapas DEMAIS e ingredientes DEMAIS. Mas no final o resultado foi tão bom que deixei tudo pra lá e achei que deveria dividir a receita com vocês, especialmente porque menos de 30 minutos depois de ter colocado os muffins no forno eu já estava saboreando um deles, algo que eu não poderia ter feito com um bolo. :D

A receita original pedia limão siciliano, mas resolvi usar os limões-cravo perfumadíssimos que tinha em casa.

Muffins de limão-cravo e amêndoa
um tiquinho adaptados de um livro que comprei recentemente

- xícara medidora de 240ml

Cobertura:
½ xícara (55g) de amêndoas em lâminas
2 colheres (sopa) de açúcar cristal
1 colher (sopa) de leite integral
¼ colher (chá) de extrato de baunilha

Muffins:
1 ¼ xícaras + 1 colher (sopa) - 185g - de farinha de trigo
1/3 xícara (46g) de açúcar de confeiteiro
1 ¼ colheres (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
2 ovos
2 ½ colheres (sopa) de leite integral
1 ½ colheres (sopa) de creme de leite fresco
raspas da casca de 1 limão-cravo
1 colher (sopa) de suco de limão-cravo
½ colher (chá) de extrato de baunilha
1/3 xícara (75g) de manteiga sem sal, amolecida
½ xícara (100g) de açúcar cristal
1/3 xícara (36g) de amêndoas em lâminas, levemente tostadas e frias

Pré-aqueça o forno a 180°C; unte uma forma para muffins cujas cavidades comportem 1/3 xícara (80ml) de massa – você usará 10 das 12 cavidades.
Cobertura: em uma tigelinha, misture as amêndoas, o açúcar, o leite e a baunilha. Reserve.
Em uma tigela grande, misture com um batedor de arame a farinha, o açúcar de confeiteiro, o fermento em pó e o sal. Reserve. Em outra tigelinha, misture bem os ovos, o leite, o creme de leite, as raspas e o suco de limão.
Na tigela grande da batedeira, bata a manteiga, o açúcar cristal e as amêndoas em velocidade média por 1 minuto. Em velocidade baixa, derrame aos poucos na tigela os ingredientes líquidos – a mistura vai ficar empelotada. Com uma espátula, incorpore ligeiramente a farinha aos demais ingredientes em três adições, sem misturar demais.
Transfira a massa para a forma preparada, enchendo cada cavidade até 2/3 de sua capacidade. Cubra com colheradas da cobertura e, antes d elevar ao forno, encha as cavidades vazias com água até a metade.
Asse até que os muffins cresçam e dourem, 20-25 minutos (faça o teste do palito).
Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por cerca de 7 minutos e então, com bastante cuidado, remova os muffins da forma e coloque-os sobre a gradinha para esfriar.

Rend.: 10 unidades

quarta-feira, agosto 15, 2012

Bolo de maçã e cream cheese, o bolo mais macio que já vi e mais um ótimo filme

English version

Cream cheese apple cake / Bolo de maçã e cream cheese

Minha maré de filmes ótimos continua e aparentemente está em pleno vapor: assisti ao fantástico “Reino Animal” há alguns dias e ainda estou impressionada com o filme.
A primeira vez que li algo a respeito de “Reino Animal” foi na minha fonte para todas as coisas de cinema e mal podia esperar para ver o filme – como acontece com tantos bons filmes, este demorou horrores pra chegar aqui e foi direto pra DVD. Mas a espera valeu a pena: é um roteiro ótimo, lindamente dirigido e com performances igualmente maravilhosas. Guy Pierce, um de meus atores favoritos, foi o único nome que reconheci no elenco e me lembrava de Jackie Weaver do Oscar, mas era só isso: o diretor também me era completamente novo e ele também é responsável pelo roteiro.

* spoilers *

Apesar de o elenco não me ser familiar, fiquei impressionada com todos de uma maneira muito boa: James Frecheville não poderia pedir por um debut mais poderoso – ele acerta em cheio como J., lidando bem tanto com a maneira como o personagem inicia o filme quanto com a curva à sua frente (isso sem contar o final poético); ele está sublime na cena no banheiro da casa da namorada. O personagem de Ben Mendelsohn, que inicialmente para mim parecia um bebê chorão implorando por atenção, pedindo a todos que falassem com ele, aos poucos vai mostrando porque é o líder do bando – ele é maldade pura e parece ser o único a não gravitar ao redor da mãe, brilhantemente interpretada por Weaver; depois de alguns minutos de filme fiquei me perguntando onde estava a atuação de indicada a Melhor Atriz Coadjuvante – sabem, adoro Judi Dench mas não compro a história de Oscar por 8 minutos de atuação, por isso esperava mais de Weaver e quando comecei a duvidar ela simplesmente quebrou tudo: sua personagem é, ao mesmo tempo, angelical e demoníaca, incestuosa e maternal – divina. Depois de ver o filme li que David Michôd escrevera o papel especialmente para ela – que homem sábio. E este mesmo homem sábio dirige lindamente esse ótimo filme, colocando suas próprias idéias e palavras em ação, movendo a câmera em diferentes velocidades e conseguindo efeitos memoráveis com o uso da câmera lenta (algo que Zack Snyder arruinou completamente em “Sucker Punch” – me enlouqueceu e me fez detestar o filme), combinado a uma trilha sonora sutil porém eficiente que me fez lembrar a trilha de “O Informante”.
“Reino Animal” é um filme excelente, daqueles que dá vontade de ter em casa para rever inúmeras vezes.

* fim dos spoilers *

A idéia de misturar manteiga e cream cheese em uma massa de bolo não somente parece genial – É. Este é o bolo mais macio que já vi, fiz ou comi e acho que a receita pode ser feita de diversas formas: as maçãs podem ser substituídas por frutas vermelhas ou gotas de chocolate ou então omitidas para torná-lo um bolo cítrico, apenas trocando a canela por raspas de limão/limão siciliano/laranja; estas são apenas algumas idéias das quais achei que vocês poderiam gostar.

Bolo de maçã e cream cheese
adaptado do delicioso e ótimo The Grand Central Baking Book

- xícara medidora de 240ml

2 ¼ xícaras (315g) de farinha de trigo
1 ¼ colheres (chá) de fermento em pó
½ colher (chá) de sal
¾ colher (chá) de canela em pó
¾ xícara (170g) de manteiga sem sal, temperatura ambiente
250g de cream cheese, temperatura ambiente
1 ¾ xícaras + 2 colheres (sopa) - 375g - de açúcar cristal
3 ovos, temperatura ambiente
1 colher (chá) de extrato de baunilha
500g de maçãs Granny Smith, descascadas e em cubinhos de 1cm
açúcar de confeiteiro, para polvilhar

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte com manteiga e enfarinhe uma forma canelada com furo central (tipo Bundt) com capacidade para 12 xícaras de massa.
Em uma tigela média, peneire juntos a farinha, o fermento, o sal e a canela. Reserve.
Na tigela grande da batedeira, com o batedor em formato de pá, bata a manteiga, o cream cheese e o açúcar em velocidade médio-alta até obter um creme liso, fofo e bem claro – quase branco –, cerca de 8 minutos – raspe as laterais da tigela com uma espátula uma ou duas vezes durante esse tempo. Junte os ovos, um a um, batendo bem e raspando a tigela a cada adição. Junte a baunilha.
Com a batedeira em velocidade baixa, acrescente os ingredientes peneirados e bata somente até incorporar. Com o auxílio de uma espátula, incorpore as maçãs. Despeje a massa na forma preparada e alise a superfície.
Asse por 45-55 minutos ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 15 minutos e então desenforme com cuidado sobre a gradinha, deixando esfriar completamente.
Polvilha com açúcar de confeiteiro antes de servir.

Rend.: 10-12 porções

segunda-feira, agosto 13, 2012

Flor de brioche de limão siciliano

English version

Lemon brioche rose cake / Brioche de limão siciliano

Uma das minhas idéias para o final de semana era fazer pão e depois do enorme sucesso do bolo de maracujá do Dan Lepard eu queria fazer os sticky toffee apple buns dele; infelizmente, as maçãs da minha geladeira desapareceram meio que misteriosamente e não sobrou nenhuma fruta para baking, além de um saco de limões sicilianos.

Vocês conhecem o ditado: se a vida lhe der limões faça um brioche bem macio e delicioso com eles. :D

Flor de brioche de limão siciliano
do lindo Dolci: Italy's Sweets

- xícara medidora de 240ml

Massa:
¾ xícara (180ml) de leite integral
2 ¼ colheres (chá) - 7g - de fermento biológico seco
2 ¼ xícaras (315g) de farinha de trigo
2 gemas grandes
2 colheres (sopa) de açúcar cristal
2 colheres (sopa) de azeite de oliva
1/8 colher (chá) de sal

Recheio:
½ xícara (113g) de manteiga sem sal, amolecida
2/3 xícara (133g) de açúcar cristal
raspas da casca de 1 limão siciliano grande
½ colher (chá) de canela em pó

Para pincelar e polvilhar:
1 clara grande, levemente batida com um garfo
2 colheres (sopa) de açúcar cristal

Comece pela massa: aqueça ¼ xícara (60ml) do leite até ficar morno e transfira para uma tigela grande. Junte o fermento, misture com um garfo para dissolver, e reserve até borbulhar. Acrescente à mistura da tigela 1/3 xícara + 1 colher (sopa) – 55g – da farinha de trigo, misturando até conseguir uma massa (junte algumas gotinhas de leite se a massa estiver seca demais). Sove dentro da tigela mesmo até a massa ficar lisa, cubra com filme plástico e deixe crescer em um lugar morninho, livre de correntes de ar, por pelo menos 1 hora (ou de um dia para o outro).
A esta massinha, acrescente a farinha restante, o leite restante (½ xícara), as gemas, o açúcar, o azeite e o sal. Misture para incorporar os ingredientes e então sove até obter uma massa lisa e elástica (fiz isso na Kitchen Aid). Reserve a massa enquanto prepara o recheio. Unte com manteiga e enfarinhe uma forma redonda de 23cm de diâmetro.
Recheio: usando a batedeira, bata a manteiga, o açúcar, as raspas de limão e a canela até obter um creme homogêneo. Reserve.
Em uma superfície levemente enfarinhada, abra a massa com um rolo até obter um retângulo de 30x45cm. Espalhe o recheio de maneira homogênea na superfície da massa, deixando livre uma beirada de 2,5cm na parte mais longa do retângulo e que está mais longe de você. Enrole a massa gentilmente, começando pelo lado mais comprido e mais próximo a você, como se fosse um rocambole. Com uma faca afiada, corte o cilindro de massa em 8 fatias iguais. Coloque-as na forma preparada, com o lado cortado para baixo, deixando 1cm de distância entre uma fatia e outra. Cubra com filme plástico e deixe crescer em um lugar morninho por cerca de 1 hora.
Pré-aqueça o forno a 180°C. Pincele o pão com a clara batida e polvilhe com o açúcar cristal. Asse por cerca de 35 minutos ou até que dourem. Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha.

Rend.: 8 unidades

sábado, agosto 11, 2012

Madeleines de água de flor de laranjeira e o final de outra trilogia

English version

Orange blossom madeleines / Madeleines de água de flor de laranjeira

Depois de dois meses de altos e baixos, finalmente terminei de ler "Mockingjay" e quero agradecer as leitoras Gertrude e Deh por seus comentários pois foram eles que não me deixaram desistir do livro; depois do que pareceu ser séculos – mas na verdade era apenas um punhado de páginas – a história ficou super interessante novamente, como nos dois livros anteriores: eu não conseguia largar o livro e cheguei a considerar a idéia de levá-lo pra debaixo do chuveiro comigo. :D
Uma visita rápida a um dos meus sites favoritos mostra que a lista de ótimos atores escalados para “Em Chamas” cresce quase que diariamente, e agora que Peter Jackson me fez perder completamente o interesse por “O Hobbit” posso direcionar minha atenção – e ansiedade – para outro filme. :D

Adoro preparar madeleines mas não o fazia havia bastante tempo – acho que haviam ficado meio esquecidas, como o pobre “Mockinjay”. A água de flor de laranjeira dá um toque sutil e gostoso aos bolinhos, mas se vocês não tiverem em casa – ou não gostarem – é só omitir e usar as raspas da laranja inteira para criar madeleines de laranja.

Madeleines de água de flor de laranjeira
um tiquinho adaptadas da sempre lindíssima Australian Gourmet Traveller

- xícara medidora de 240ml

½ xícara + 1 colher (sopa) - 127g - de manteiga sem sal + um pouquinho extra para untar as forminhas
1 colher (sopa) de mel
raspas da casca de ½ laranja
½ colher (chá) de extrato de baunilha
1 xícara (140g) de farinha de trigo
½ xícara + 2 colheres (sopa) - 124g - de açúcar cristal
2 ovos grandes
1 colher (chá) de água de flor de laranjeira (ou a gosto)

Coloque a manteiga em uma panelinha e leve ao fogo médio-alto até derreter e começar a dourar. Retire do fogo, acrescente o mel, as raspas de laranja, a água de flor de laranjeira e a baunilha, misture e deixe chegar à temperatura ambiente.
Enquanto isso, coloque a farinha, o açúcar, o sal e os ovos em uma tigela média e misture com um fuê até obter um creme homogêneo. Deixe descansar por 10 minutos. Aos poucos, incorpore a mistura de manteiga à mistura de farinha e bata bem até ficar homogêneo. Cubra com filme plástico eleve à geladeira de um dia para o outro.
Pré-aqueça o forno a 190°C. Unte com a manteiga derretida extra 24 forminhas de madeleine com capacidade para 1 colher (sopa) de massa cada. Leve as forminhas à geladeira por 10 minutos. Coloque uma colherada de massa em cada forminha e asse até que as madeleines dourem, cresçam e firmem, 10-12 minutos. Ao retirar do forno, remova-as das forminhas e deixe esfriar completamente sobre uma gradinha.

Rend.: 24 unidades

.