terça-feira, março 22, 2022

Cookies com gotas de chocolate e castanha de caju com farinha de centeio, um tuíte grosseiro, e posts de blogs de comida


Cookies de chocolate e castanha de caju com farinha de centeio


Umas duas semanas atrás fui marcada no Twitter pela minha leitora querida Carol Himura em um tuíte de uma mulher chamada Catharine Richert, grossa feito um cão, que dava um conselho aos blogueiros de comida: que tudo o que as pessoas querem é a receita, que não estão nem aí para as histórias que a acompanham, entre outras coisas.



(ao começar a digitar este texto, escrevi o nome dela como “Chatharine”, vão vendo). :)

A Carol, muito linda, dizia que lia o blog por causa das minhas histórias: eu abri um sorriso largo quando li isso, me senti super lisonjeada e feliz – obrigada, querida. <3

Eu imagino que nem todo mundo tenha vontade de ler as histórias, eu mesma, quando ainda tinha tempo de ler blogs de comida (muitos anos atrás) nem sempre lia as histórias todas, dependia muito de quem estava escrevendo e o assunto do post. Mas achei uma atitude tão mesquinha e cretina a da Catharine, pois se ela quer só a receita é só rolar a página até encontrá-la: não vai cair o dedo. Não precisa fazer post grosseiro no Twitter, dando um “conselho” que, na verdade, ninguém pediu.

O que me conforta é o tanto de comentário que ela recebeu de volta, de pessoas argumentando com educação (ao contrário da própria) sobre o quanto ela estava sendo egoísta, pois muitos blogueiros recebem dinheiro dos anúncios nas páginas, e que ela estava reclamando de um conteúdo incrível postado na internet totalmente DE GRAÇA. Amei que teve gente falando pra ela comprar livros de receita para apoiar escritores, alguns disseram pra ela então gastar dinheiro em uma assinatura de revista de receitas, enquanto outros falaram para ela acessar sites como o Epicurious.

Aquele quentinho no coração de que ainda existe gente sensata nesse mundo doido. Alegria pensando que se eu conseguir terminar o meu livrinho e publicá-lo, vai ter gente lendo as histórias da minha vida com prazer.

Pensando em tudo isso, fiz um chá bem gostoso, sentei em frente ao computador e escrevi este post, e juntei a ele a receita de uns cookies deliciosos que fiz para levar para o trabalho tempos atrás. Sei que nem todo mundo vai ler o post em si e vai rolar direto para a receita, e tudo bem. Vai ter gente que vai ler o post, vai ter gente que vai ver só a receita, vai ter gente que vai fazer os cookies em casa e vai me marcar nas redes – todas as opções me deixam feliz. Se você ainda passa pelo meu cantinho depois de quase dezesseis anos nessa internet de meu deos (cheguei aqui quando era tudo mato!), muito obrigada – tenha certeza de que eu aprecio cada minuto que você passa por aqui. xx

 

Cookies com gotas de chocolate e castanha de caju com farinha de centeio

receita minha


- xícara medidora de 240ml

 

¾ xícara (105g) de farinha de trigo

½ xícara (70g) de farinha de centeio fina - pode ser substituída por farinha de trigo integral

½ colher (chá) de bicarbonato de sódio

1/8 colher (chá) de canela em pó

¼ colher (chá) de sal

½ xícara (113g) de manteiga sem sal, temperatura ambiente

¼ xícara (50g) de açúcar cristal

½ xícara (88g) de açúcar mascavo claro – aperte-o na xícara na hora de medir

1 ovo grande, temperatura ambiente

½ colher (chá) de extrato de baunilha

2 colheres (chá) de Frangelico (opcional)

1 xícara (175g) de gotas de chocolate amargo ou meio amargo – chocolate picado também funciona; se desejar, aumente um pouco a quantidade de chocolate para decorar os topos dos biscoitos antes de assar

2/3 xícara (93g) de castanhas de caju torradas sem sal, picadas – meça, depois pique

 

Em uma tigela média, misture bem com um batedor de arame a farinha de trigo, a farinha de centeio, o bicarbonato de sódio, a canela e o sal. Reserve.

Na tigela da batedeira, junte a manteiga e os açúcares e bata em velocidade médio-alta até obter um creme claro – raspe as laterais e o fundo da tigela algumas vezes durante todo o preparo da receita.

Junte o ovo e bata bem. Junte a baunilha e o Frangelico e bata.

Com a batedeira desligada, junte os ingredientes secos e então misture em velocidade mínima, somente até uma massa se formar. Desligue a batedeira e incorpore o chocolate e as castanhas de caju usando uma espátula de silicone.

Separe porções de 2 colheres (sopa) niveladas de massa por cookie e coloque em uma assadeira forrada com papel manteiga – como a massa ainda vai para a geladeira, as bolinhas podem ficar próximas umas das outras. Se quiser, decore o topo de cada cookie com um pedacinho de chocolate.

Leve à geladeira por 1 hora e, se quiser, pode refrigerar por até 24 horas.

Preaqueça o forno a 180°C. Forre duas assadeiras grandes com papel manteiga.

Arrume as porções de massa nas formas preparadas, deixando 5cm entre uma e outra.

Asse por 13-15 minutos ou até que comecem a dourar nas extremidades. Retire do forno, deixe esfriar nas assadeiras por 5 minutos, e então deslize o papel com os cookies para uma gradinha. Deixe esfriar completamente.

Os cookies podem ser guardados em um recipiente hermético em temperatura ambiente por até 5 dias. As bolinhas de massa crua podem ser congeladas por até 2 meses – congele em aberto, e então transfira para um saquinho plástico.

Rend.: cerca de 22 cookies

 

13 comentários:

Maraisa disse...

Li inteirinho! Como sempre :)

Unknown disse...

Chatharine com certeza! Doida ela adorei a receita, minhas filhas AMAM cookies💕

Márcia Amaral (eme.amaral) disse...

Que deselegante a Chatarine! Pois eu venho muito aqui por causa das tuas histórias, resenhas de filmes e séries. Não é só pelas receitas. Gente chata é assim mesmo, só olha o próprio umbigo.
Beijo e continue contando muitas histórias pra gente!

Liu disse...

Patrícia, vou admitir que o seu é um dos poucos blogs que eu leio a história antes da receita. Mas como você mesma falou, é só pular direto pra receita. E muitos blogs tem aquele botão mágico "jump to recipe" que eu adoro!
E pra falar da receita, tava mesmo procurando receita de doces com farinhas alternativas. Aqui na Alemanha já não se encontra mais farinha branca nos supermercados por causa da guerra, então pra fazer um bolo ou biscoito tô tendo que me virar com a farinha integral. Você acha que dá pra mudar a proporção e usar mais farinha integral do que branca?

Eloisa Vidal Rosas disse...

Querida, muitas vezes nem me interesso pela receita, mas seus textos são sempre muito bem vindos, sensíveis e honestos. Adoro, assim como os da Ana Eliza 🧡🧡🧡

Unknown disse...

Patrícia! Sou leitora do seu blog desde o início, fiz menos receitas que gostaria... Mas salvo todas e um dia farei várias delas ❤️ Admiro seu conhecimento de cinema, já assisti filmes após ler sobre por aqui. Já me emocionei lendo sobre sua vida, sua irmã, seu sobrinho. Compartilho o mesmo desespero com a situação política do país e anseio por tempos mais felizes, de novo. Pois siga do mesmo jeitinho, mesmo não a conhecendo pessoalmente, agradeço por partilhar tanto conosco! Beijo carinhoso!

AnaC disse...

Cheguei aqui há uns 12 anos por causa das receitas e, desde então, eu sempre leio a história e de vez em quando esqueço de olhar a receita...

EDNA disse...

Eu adoro as suas histórias e venho muito por elas… claro depois imagino as emoções e estas passando para as receitas, nos fazendo lembrar, que Ser Humano é isso…é contar e se emocionar…
Muito obrigada por seu estilo de escrita tão elegante, dinâmico e por suas receitas carregadas de Emocão!

A C Barros disse...

O que é interessante são as histórias!!!
Eu leio minuciosamente e depois vou pra receita, já fiz muffins, pães, bolos e agora vou fazer esses cookies!!!
Seu site é maravilhoso!!

Michelly disse...

Eu estou aqui desde 2011, amo suas receitas, já fiz e refiz várias delas
(inclusive voltei aqui hj para refazer o pão de aveia) e eu volto sempre para ler as histórias, que eu acho a aprte mais legal.
Cada receita tem uma historinha
Por isso que eu nem copio as receitas, só para retornar e ler o que tem por trás de cada uma delas

Ana Paula disse...

Eu amo suas histórias e suas receitas. Escrevo as que gosto no meu caderno de receitas para fazer quando aparecer a ocasião. Quando tinha meu blog (dos artesanais que vendo) contava a história que tinha originado aquela peça. Recebia bastante comentário das pessoas que liam. Mas sempre tem o #teamchatharine né? Beijos e sucesso! Não vejo a hora de ter seu livro em minhas mãos! <3

Dona Lilian disse...

Eu leio os blogs justamente por causa das histórias. Várias vezes eu fiz receita porque a história era fofa. Coisa de gente azeda na vida, reclamar de algo que se não interessa, é tão fácil ignorar.

DiLuaa disse...

E eu que nem cozinho ultimamente... só venho pelas histórias S2

.