segunda-feira, outubro 09, 2006

Bolo de limão siciliano e blueberries

Gosto de cozinhar (quase) tudo. Ultimamente, tenho tido uma quedinha por pães e muffins. O que é ótimo, pois posso trazê-los para o trabalho e tapear aquela fominha que bate entre o café da manhã (sempre tomado às pressas) e o almoço.
Mas, de vez em quando, bate a vontade de fazer um bolo (como aconteceu neste dia).

Delícia de bolo. A combinação de amêndoas, limão e as blueberries é divina.

O único porém foi as berries terem ficado no fundo do bolo... Não achei que deveria polvilhá-las com farinha (como faço com gotas de chocolate ou nozes, por exemplo, em outras receitas) porque estavam congeladas - imagnei que a farinha viraria uma massa em contato com a umidade das frutinhas. A Valentina (de quem peguei a receita) me explicou que devo, sim, envolver as berries em farinha para que elas fiquem uniformemente distribuídas na massa do bolo, mesmo estando congeladas.

Só alterei o momento de acrescentar a baunilha - como uso essência, que é mais fraquinha, se levá-la ao fogo ela evapora e o sabor some junto.

Além do sabor maravilhoso, o modo de preparar do bolo também é diferente e interessante. Recomendo muito.

Bolo de limão siciliano e blueberries

125g de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento em pó peneirado
83g de amêndoas moídas
185g de manteiga sem sal
225g de açúcar
60ml de sumo de limão siciliano
2 colheres de chá de extrato de baunilha
2 ovos
120g de blueberries

Unte e forre o fundo de uma forma redonda de 20cm com papel manteiga. Unte o papel e polvilha a forma toda com farinha de trigo. Reserve.
Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Peneire a farinha e o fermento numa tigela. Acrescente as amêndoas moídas. Numa panela, coloque a manteiga em pedaços médios, o açúcar, o sumo de limão e leve ao fogo baixo, mexendo bem até que a manteiga derreta toda e o açúcar se dissolva. Retire do fogo, acrescente a baunilha e vá derramando aos poucos na mistura com a farinha, mexendo sempre para que a mistura fique bem homogênea. Acrescente os ovos um por um, mexendo bem após cada adição. Derrame a mistura na forma e espalhe o mirtilo por cima. Leve ao forno por 40 minutos.
Retire e deixe esfriar na forma por 10 minutos antes de desenformar.
Você pode servir com chantilly ou com iogurte natural.

sexta-feira, outubro 06, 2006

Muffins de blueberry (mirtilo)

Havia tempo que eu queria experimentar muffins de blueberry. Porque aparecem em tantos lugares. A impressão que tenho é que sempre que muffins são citados são blueberry muffins ou choc chip muffins. Posso estar falando uma bobagem enorme aqui pois não tenho vivência fora do Brasil (infelizmente - elevado à décima quinta potência).

Graças a uma dica da Karen, encontrei mirtilos (blueberries) congelados no Pão de Açúcar. Usei para fazer outra receita deliciosa e sobrou bastante. Daí pensei logo nos muffins.

As receitas que eu tinha em mente levavam sour cream, coalhada ou iogurte. Mas a minha geladeira estava um deserto e procurei uma outra que levasse leite. Usei essa aqui.
Gosto bastante do site Williams-Sonoma. As fotos são bonitas e as receitas parecem deliciosas!

Ficaram macios, mas não deveria ter usado canela (e olha que sou doida por canela). Acho que o sabor dos mirtilos deve brilhar sozinho, sem concorrência.
Quero fazer outra receita qualquer hora - vou escolher uma das que levam iogurte ou coalhada, gosto da textura que eles dão aos bolos e pães.

Ficaram branquelinhos, né? :(

Ah, tenho uma perguntinha para vocês que me lêem: será que posso trocar uma parte da farinha por farinha de aveia?

Muffins de blueberry (mirtilo)

280g de farinha de trigo
135g de açúcar
2 1/2 colheres (chá) de fermento em pó
1/4 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1/2 colher (chá) de sal
1 colher (chá) de canela em pó
240ml de leite - usei semidesnatado
115g de manteiga derretida, fria
2 ovos
150g de blueberries

Pré-aqueça o forno a 205ºC. Prepare 16 forminhas de muffin.
Em uma tigela, peneire a farinha, o fermento, o bicarbonato, o sal e a canela. Junte o açúcar. Reserve.Em outra tigela ou numa jarrinha, misture o leite, a manteiga e os ovos. Despeje sobre os ingredientes secos e misture rapidamente, usando um garfo. A massa fica meio irregular. Adicione os mirtilos, misture levemente e coloque a massa nas forminhas. Asse por 20 minutos aproximadamente (faça o teste do palito se preferir).

Rend.: 16 muffins (consegui 15)

quinta-feira, outubro 05, 2006

Pão recheado de banana

Depois de tanto tempo ausente, será que minhas queridas leitoras ainda me visitarão?

Levei um tombo no trabalho semana passada e o resultado foram contusões nos braços, ombros e pernas, além de uma costela trincada. :S
A receita que vou postar hoje é de um pãozinho que fiz há bastante tempo.

O pão leva um pouquinho só de farinha integral e açúcar mascavo no lugar do refinado, por isso a cor dele ficou tão bonita. A textura é macia e fofinha, e o aroma da banana assada dá água na boca!
Sempre gosto de colocar o rendimento das minhas receitinhas, mas esqueci de pesar o pão antes de comer alguns (vários?) pedaços - se ajudar em alguma coisa, usei uma forma de pudim de 20cm de diâmetro.

Fiz meia receita (mas vou postar igual à do site) pois só tinha uma banana em casa. Cortei em rodelinhas bem finas, para render mais (pobreeeeeeeza....)
Ah, não coloquei passas porque não gosto. Como vocês já sabem, não sou muito fã de pincelar pães com ovo, então pulei essa etapa.
Quero repetir esta receita e fazer direitinho, usando mais recheio da próxima vez. Quem sabe substituindo as passas por nozes??

Pão recheado de banana

Massa:
420g de farinha de trigo
60g de farinha de trigo integral
1 colher (chá) de sal
240ml de leite
1 tablete (15g) de fermento biológico
70g de açúcar mascavo
60g de manteiga
1 ovo para pincelar

Recheio:
3 bananas-nanicas grandes picadas em rodelas
2 colheres (sopa) de suco de limão
1/2 xícara (chá) de uva passa

Massa: peneire os dois tipos de farinha com o sal e reserve. Numa panela, amorne o leite. Despeje-o numa tigela, junte o fermento biológico e o açúcar e misture até dissolver o fermento. Junte 120g de farinha de trigo e misture até ficar homogêneo. Cubra a tigela com o filme plástico e deixe descansar, em local aquecido, por 40 minutos, ou até dobrar de volume.
Depois disso, adicione 50g de manteiga amolecida e misture. Incorpore, aos poucos, o restante da farinha de trigo, amassando bem. Transfira a massa para uma superfície enfarinhada e sove por 5 minutos, ou até ficar lisa, desgrudar das mãos e formar bolhas. Coloque a massa novamente na tigela e cubra com filme plástico. Deixe crescer, em local aquecido, por 40 minutos, ou até dobrar de volume.

Recheio: coloque em uma tigela as bananas, regue-as com o suco de limão e deixe descansar por 10 minutos. Em seguida, escorra o suco de limão e reserve as bananas.
Montagem: coloque a massa em uma superfície enfarinhada, abra-a com um cilindro no formato de um retângulo (38cm X 42cm) e distribua a banana e a uva passa. Enrole a massa como um rocambole e corte em rodelas de 6cm de largura. Com a manteiga restante, unte uma assadeira redonda com furo no meio de 25 cm de diâmetro e polvilhe farinha de trigo. Disponha as rodelas da massa uma do lado da outra, formando um círculo. Reserve.
Bata rapidamente o ovo numa tigela e pincele a massa. Deixe crescer, em local aquecido, por mais 30 minutos. Cerca de 10 minutos antes de assar, ligue o forno à temperatura média.
Leve o pão ao forno por 30 minutos, ou até assar e dourar.

quarta-feira, setembro 27, 2006

Bolo branco

Para não parecer que postei a foto do bolo que fiz para a minha sogra gratuitamente, vou postar também a receita de bolo branco que usei.

Li no Baking Sheet (de onde tirei esta receita) que um bom baker tem que ter as receitas perfeitas de bolo de chocolate e de bolo branco. Concordo.
Tenho uma de bolo de chocolate muito boa - além de saboroso, o bolo tem uma maleabilidade ótima para ser cortado e recheado, além de ser firme o suficiente para ser coberto com pasta americana (que é bem pesada). Eu buscava isso numa receita de bolo branco - a que usava era, sim, gostosa e firme, mas faltava algo...
Pão de ló costuma ser seco demais, então não uso.
A receita que fiz no final de semana preencheu todos os requisitos. Na hora em que tirei os bolos do forno, o aroma era tão delicioso que tive vontade de cortar um pedaço e comer imediatamente!! Isso não costuma acontecer. :D

Reguei o bolo com um xarope feito de 1 parte de açúcar para 4 partes de água, aromatizado com essência (tem que ter cuidado na hora de molhar o bolo, senão ele fica mole demais). Recheei com doce de leite e cobri com pasta americana.

Bolo branco

240ml de leite, em temperatura ambiente
6 claras
1 colher (chá) de extrato de amêndoa - usei essência
1 colher (chá) de extrato de baunilha - usei essência
315g de farinha de trigo
350g de açúcar
4 colheres (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de sal
170g de manteiga, amolecida

Pré-aqueça o forno a 175ºC.
Unte duas formas redondas de 22cm, forre o fundo com papel manteiga e unte o papel. Polvilhe tudo com farinha de trigo.
Misture levemente o leite, as claras (sem bater, mesmo) e as essências usando um garfo. Reserve.
Coloque a farinha, o açúcar, o fermento e o sal numa tigela de batedeira com o batedor em forma de pá (eu não tenho, então usei os comuns mesmo), junte a manteiga e bata até obter uma textura parecida com areia úmida.
Adicione a mistura de leite, reservando 120ml, e bata em velocidade média por 1 minuto e meio. Acrescente o restante da mistura de leite e bata em velocidade alta por 30 segundos - não bata demais.
Divida a massa entre as assadeiras e asse por 30-35 minutos (faça o teste do palito). Os bolos ficam bem amarelinhos por cima e mais branquinhos por dentro.
Deixe esfriar por 15 minutos nas formas e depois coloque em grelhas para esfriar completamente antes de confeitar.

terça-feira, setembro 26, 2006

Douillon (pêra assada envolta em massa folhada)

A carinha da sobremesa não ficou bonita como eu queria (culpa minha), mas o sabor ficou muito bom. Para quem gosta de frutas assadas (adoro!), é uma opção bárbara.
Receita do site Basílico.

Se alguém não gostar de pêra, acho que ficaria bem gostoso também com maçã. O toque das nozes no recheio é delicioso.

Ah, adivinhem se não esqueci de pincelar a massa com gema?? :S

Douillon (pêra assada envolta em massa folhada)

4 pêras pequenas e maduras
4 colheres (sopa) de açúcar
4 colheres (chá) de canela em pó
2 colheres (sopa) de nozes picadas
4 quadrados (de 15 cm x 15 cm) de massa folhada aberta e gelada - comprei 1 pacote de 300g e sobrou um pedacinho
1 gema para pincelar
chantilly ou sorvete de creme para acompanhar

Descasque as pêras, retirando miolos e cabinhos. Role as pêras na mistura de açúcar e canela e coloque, cada uma delas, sobre um quadrado de massa folhada. Misture as nozes ao restante do açúcar com canela e com esta mistura preencha as cavidades das pêras.
Dobre as pontas da massa, moldando para que as frutas fiquem completamente fechadas e com o formato original. Descarte o excedente de massa, formando um cabinho na ponta. Com o restante da massa, corte folhas e cole-as ao lado do cabinho com um pouco de gema (ooops, não fiz isso). Pincele toda a massa com gema.
Leve a assadeira à geladeira por 10 minutos enquanto aquece o forno a 200ºC (forno quente).
Leve a assadeira ao forno abaixando a temperatura para 160ºC (forno médio) e deixe por 15 minutos. Suba a temperatura para 200ºC (forno quente) para terminar o cozimento (mais 15 minutos, mais ou menos). Ao final do tempo, a massa deverá estar bem dourada e crocante.
Sirva as pêras acompanhadas de chantilly ou sorvete de creme.

Rend.: 4 porções

quarta-feira, setembro 20, 2006

Penne com fundo de alcachofra

Esse macarrão é muito rápido e simples de fazer, porém delicioso!
Para agilizar, deixei os ingredientes picadinhos em cima da pia e depois foi só colocar a água para ferver. Fácil e prático.

A receita pede fundos de de alcachofra congelados, mas usei em conserva - deixei de molho em água fresca por um tempinho para tirar o excesso de sal. Fiz a mesma coisa com as azeitonas.

Outras duas coisas que modifiquei - lá dizia para retirar as peles dos tomates antes de levá-los ao forno. Deixei para fazer isso depois: era só puxar uma pontinha da pele que ela saía inteirinha. Também deixei o alho de lado, preferir usar somente a cebola.

Receita da revista Gula.

Penne com fundo de alcachofra

6 tomates frescos sem sementes e cortados ao meio
2 colheres (sopa) de azeite
1 cebola pequena picada
3 dentes de alho picados
9 fundos de alcachofra congelados
120ml de vinho branco seco
160g de azeitonas pretas, sem os caroços e fatiadas
500g de penne (ou outra massa curta de que gostar)
manjericão fresco a gosto
sal e pimenta-do-reino a gosto

Tempere os tomates com um pouquinho de sal e coloque-os numa grelha acomodada sobre uma assadeira, deixando o lado cortado para baixo (eu não tinha grelha e coloquei-os diretamente na forma).
Leve ao forno prá-aquecido a 200ºC e asse até que fiquem murchos. Tire as peles dos tomates e pique-os em cubinhos.
Numa frigideira grande, aqueça o azeite e refogue a cebola e o alho. Adicione os fundos de alcachofra descongelados e fatiados. Refogue por alguns minutos, regue com o vinho e deixe secar.
Junte os tomates e as azeitonas. Tempere com sal e pimenta.
Cozinhe a massa em bastante água salgada. Escorra-a quando estiver al dente e misture-a rapidamente ao molho na frigideira. Sirva com o manjericão.

Além disso, coloquei uma tigelinha na mesa com parmesão ralado momentos antes de servir.

Rend.: 5 porções

terça-feira, setembro 19, 2006

Mallorcan tumbet

Um casal de amigos queridos foram à minha casa sábado. Foi muito gostoso tê-los por lá: conversamos e rimos bastante.

A Débora é uma amiga que fiz na outra empresa em que trabalhei. Faz quase 1 ano e meio que saí de lá, mas sempre mantivemos contato. Eu e o João fomos jantar na casa dela há alguns meses e foi muito bom! Finalmente conseguimos combinar e eles (ela e o marido, o Denys) vieram nos visitar desta vez.
Fiquei ansiosa pois queria preparar uma comidinha gostosa, que agradasse a todos. Foram muitos dias escolhendo mil receitas e decidindo o que fazer!

Vou compartilhar aqui com vocês as receitas do jantar. Espero que gostem!

Fiz esta receita da Jill Dupleix (sempre ela!) e servi com pão italiano, para beliscarmos antes do prato principal. Foi uma coincidência bacana descobrir que o Denys a-do-ra beringela!

A escolha do prato teve o "dedo" do marido - eu estava folheando o livro, buscando inspiração. Ele viu e falou "Volta! Volta naquela página!" - a foto grande, de cores vibrantes, chamou a atenção dele. Dei uma lida nos ingredientes e ele deu o veredicto: "faz essa para comermos com um pãozinho!". Bati o martelo.

Mallorcan tumbet*

400g de batatas descascadas e em rodelas fininhas
400g de beringela em rodelas fininhas
2 pimentões vermelhos cortados em palitinhos
3 colheres (sopa) de azeite - precisei de um pouco mais
sal e pimenta a gosto

Molho:

1 lata de tomates pelados picados - eu tinha tomates frescos e preferi usá-los (5 unidades)
3 ramos de orégano fresco, ou 1 colher (chá) de orégano desidratado - troquei por manjericão
3 dentes de alho finamente fatiados - troquei por 1 cebola pequena
2 colheres (sopa) de azeite

Prepare o molho: misture todos os ingredientes e deixe apurar, com panela tampada, por 20 minutos (eu refoguei a cebola no azeite, antes). Reserve.

Aqueça uma frigideira grande, adicione o azeite e vá dourando as batatas dos dois lados. Coloque numa travessa e tempere. Faça o mesmo com as beringelas e coloque-as sobre as batatas; tempere. Repita a operação com os pimentões - trabalhe aos poucos, para que haja espaço na panela para os vegetais dourarem por igual.
Por cima dos legumes, espalhe o molho de tomate. Leve ao forno pré-aquecido (180ºC) por cerca de 20 minutos ou até que os legumes estejam macios. Sirva morninho ou em temperatura ambiente.

Rend.: 4 porções

* não achei a palavra no dicionário

segunda-feira, setembro 18, 2006

Esfiha de carne

As comidinhas do dia-a-dia não têm lugar em casa às sextas e sábados à noite. São noites em que comemos pizza, fondue (estamos um pouco obcecados com fondue de queijo, é verdade) ou o "nosso barzinho" - definição de uma tábua pequena de frios, fatias de pão italiano e um potinho de sardela. Cerveja e/ou vinho para acompanhar. Ah, tudo isso enquanto ficamos de preguiça no nosso sofá, vendo algum filme na TV. Delícia.

Semana passada, porém, o João me fez um pedido diferente. Ele queria comer esfiha. Fazia muito tempo que eu não fazia esfiha. Nem sabia onde tinha ido parar a receita que eu sempre usava (receita de vovó).

Peguei a receita no site do fermento Fleischmann. Adorei. A massa é super macia e a quantidade de farinha solicitada é perfeita - não precisa adicionar mais, nem ver ponto da massa. Ela cresce bastante também.
Da próxima vez, entretanto, vou aumentar a quantidade de carne (achei que faltou um pouquinho). Não se esqueça de que o recheio deve estar frio para ser usado.

Fiz metade da receita, usando fermento seco (vou postar assim). Se quiser usar fermento fresco, use 30g (dois quadradinhos) e dissolva na água morna, depois acrescente o restante dos ingredientes.

Esfiha de carne

500g de farinha de trigo
10 g (1 sachê) de fermento biológico seco
1 colher (sopa) de açúcar
1 ovo grande
240ml de água morna (35ºC)
55ml de óleo de soja
1 1/2 colheres (chá) de sal

Recheio:
250g de carne moída - refogue e tempere a seu gosto. Eu usei cebola, azeite e azeitonas verdes picadinhas. Da próxima vez, vou usar tomates tb.

Misture o fermento na farinha. Acrescente os demais ingredientes (deixei o sal por último, para que ele não atrapalhe a ação do fermento). Misture bem e sove até obter uma massa lisa (a danada quase não gruda nas mãos nem no granito). Aqui uma diferença: o site diz para fazer pequenas bolas e deixar crescer, sendo que cada bolinha será transformada numa esfiha depois. O que fiz foi fazer uma bola grande e deixar crescer assim mesmo, sem dividi-la. Cresceu muuuuuuuito!
Abra porções de massa, recheie e feche, formando triângulos. Coloque-os em assadeiras levemente untadas. Cubra e deixe crescer novamente (20 minutos).
Leve ao forno pré-aquecido (180ºC) e asse por 30 minutos, ou até que as esfihas estejam douradas.

Rend.: 16 esfihas de 50g + 1 de 60g (que recheei com nozinhos de mozzarella e folhinhas de manjericão - hum!!!)

Bons modos à mesa

A Valentina me convidou a escrever uma lista de 6 itens de etiqueta pessoal. Coincidentemente, ela fez isso no dia em que eu ia receber amigos pela primeira vez.
Minha situação é parecida com o que a Karen contou: recebemos as pessoas da família (meu pai e meus irmãos, minha sogra e cunhada) e só (o que pretendo mudar daqui pra frente).
Quando ainda era solteira, as refeições em casa eram bem simples: todos juntos à mesa, cada um fazia seu prato. Nunca tivemos situações mais formais em casa, por isso o que vou colocar aqui são impressões minhas, pessoais, de coisas que fui aprendendo ao longo do tempo.

Não tenho muita experiência no assunto, mas vamos lá:

1. Acho importante adiantar os pratos o máximo possível, para não ficar tanto tempo na cozinha quando os convidados já estiverem em casa. E fazer comida que encha a casa de fumaça, nem pensar.
2. Procuro "descobrir" se as pessoas têm algum tipo de alergia ou realmente não toleram certos tipo de alimento. Penso nisso porque não como carne e sofro muito quando vou a algum lugar em que esta é a única opção do cardápio. Não deixo de comer o que me é oferecido, é claro, mas daí a refeição já não é mais tão prazerosa. Para que meus convidados não passem por isso, faço uma pequena investigação de antemão.
3. Cigarro à mesa é totalmente imperdoável. Estraga o clima - o ar fica impossível de ser respirado e o paladar vai pro espaço. Aliás, eu sou chata mesmo e acho cigarro uma grosseria em qualquer lugar.
4. Gosto de arrumar a mesa e usar place mats bonitos, taças, talheres diferentes dos que usamos no dia-a-dia. E também acho que um arranjo no centro da mesa, por mais simples que seja, faz toda a diferença.
5. Palitos de dente. Só os tenho em casa para testar se um bolo está assado ou não e para colorir a minha pasta americana, Deus me livre colocá-los à mesa!! Conheço gente que palita os dentes e isso me causa um enorme desconforto.
6. Celular - acho horrível gente que fica falando no telefone à mesa, enquanto as outras pessoas ficam olhando. Isso é mais comum em restaurantes, não se aplica muito à proposta daqui, mas não podia deixar de citar. Não gosto.

Bem, acho que é isso. Tem outras coisas, mas acho que as meninas já cobriram bem - concordo com tudo o que elas postaram!

sexta-feira, setembro 15, 2006

Bolinhos integrais de canela com banana (ou Cinnamon lovers of the world unite)

Nunca tinha preparado nada com farinha integral. Sempre vejo receitas com ela, não só em sites e livros de culinária como também nos blogs que adoro (estes aí na coluna do lado).
Andei lendo um montão de coisas sobre alimentação saudável, alimentos com baixo índice glicêmico, ingestão de fibras, etc... Fui "influenciada" pela leitura e ontem resolvi fazer algo com a farinha.

A receita base foi essa, mas fiz algumas trocas:
- metade da farinha de trigo pela farinha integral;
- a noz-moscada pela canela (oh, que surpresa);
- a coalhada por iogurte natural;

Além disso, não coloquei cobertura (tentando diminuir o açúcar) e adicionei uma rodelinha de banana no meio de cada bolinho. Pensei também em trocar o açúcar por adoçante, mas não sei calcular a proporção (se alguém aí souber, agradeço!!).

Gostei bastante do resultado - eles ficaram super macios e fofinhos. Para quem não gosta de banana, acredito que um pedacinho de maçã ou pêra substituiria muito bem.

Bolinhos integrais de canela com banana

100g de manteiga em temperatura ambiente
130g de açúcar
1 ovo
110g de farinha integral
100g de farinha de trigo
1 1/2 colher (chá) de fermento em pó
1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1/2 colher (chá) de sal
1 colher (chá) de canela em pó
120ml de iogurte natural
1 colher (chá) de essência de baunilha
1 banana em rodelas

Pré-aqueça o forno a 190ºC e prepare as forminhas de muffin.
Bata manteiga com o açúcar até ficar um creme. Junte o ovo e bata novamente (eu me embananei nesta parte e juntei o ovo logo de cara. Tudo bem, vamos em frente).
Em outra tigela, misture as farinhas, o fermento, o sal, o bicarbonato e a canela. Vá adicionando a esta mistura o creme de manteiga, alternando com o iogurte (misturado com a baunilha). Misture rapidamente com um garfo, sem mexer demais.
Coloque um pouco de massa em cada forminha, acrescente uma rodela de banana e cubra com mais massa.
Leve ao forno por 25-30 minutos (faça o teste do palito se achar necessário).

Rend.: 12 bolinhos

.