segunda-feira, março 12, 2018

Pão de forma do meu jeito (sem lactose)

English version

Simple breakfast bread / Pão de forma do meu jeito

Estava em busca de uma receita de pão de forma para fazer sanduíches, transformar em torrada no café da manhã, ou seja, tudo o que a gente faz com pão de forma de pacote. Em casa não consumimos mais este tipo de produto e as versões caseiras que eu vi por aí levavam leite ou manteiga (ou ambos). Pensei em fazer o pão de aveia da Kim Boyce, que é delicioso, substituindo a manteiga por azeite, mas o modo de preparo não era tão simples quanto eu queria naquele momento.

Fui até o site da King Arthur Flour e dei o meu toque a esta receita de pão deles: um pouco de farinha integral, outro punhado de aveia, nada de leite ou manteiga. Não é um pão leve como um pão de forma industrializado e é justamente por isso que gostei tanto do resultado, mas a surpresa veio mesmo com o meu sobrinho de três anos: ao ver o pão esfriando na bancada, ele pediu um pedaço. Dei um quadradinho minúsculo para ele provar, certa de que ele não iria gostar de um pão denso como aquele, mas ele devorou rapidinho e pediu bis (e tris). :)

Pão de forma do meu jeito
um tiquinho adaptado daqui

- xícara medidora de 240sml

1 1/3 xícaras (320ml) de água morna
1 ½ colheres (chá) de fermento biológico seco
1 colher (sopa) de açúcar demerara – usei pelo sabor caramelado; pode ser substituído por açúcar cristal
½ colher (sopa) de mel
1 ½ colheres (sopa) de azeite de oliva extra virgem
3 xícaras (420g) de farinha de trigo comum
½ xícara (70g) de farinha de trigo integral
1/3 xícara (30g) de aveia em flocos
1 ½ colheres (chá) de sal

Coloque a água, o fermento, o açúcar e o mel na tigela de uma batedeira planetária e misture com um garfo. Reserve até espumar. Junte o azeite, as farinhas, a aveia e o sal e bata com o batedor de gancho por 8-10 minutos ou até obter uma massa elástica e homogênea – se sovar na mão, 12 minutos são suficientes. Transfira para uma tigela grande levemente pincelada com azeite, cubra com filme plástico e deixe crescer em um lugar quentinho, livre de correntes de ar, por 1 ½ horas ou até dobrar de volume.

Pincele com azeite uma forma de bolo inglês com capacidade para 5 xícaras de massa. Dê um soquinho na massa para retirar o excesso de ar e transfira para uma superfície levemente enfarinhada. Abra com um rolo formando um retângulo grande, e em seguida dobre como uma carta comercial, fazendo com que fique da largura da forma. Transfira para a forma, cubra e deixe crescer novamente em um lugar quentinho, livre de correntes de ar, por 1 hora – enquanto isso, preaqueça o forno a 200°C.

Asse o pão por cerca de 30 minutos ou até que cresça e doure bem - para verificar se o pão está pronto dê batidinhas na superfície com os nós dos dedos: o som deve ser de algo oco. Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 5 minutos e então desenforme com cuidado sobre a gradinha. Deixe esfriar completamente.

Rend.: cerca de 10 fatias

segunda-feira, fevereiro 19, 2018

Macarrão com molho de tomate e cebola e a mudança no meu jeito de cozinhar

English version

Pasta with onion and tomato sauce / Macarrão com molho de tomate e cebola

Outro dia estava conversando com meu marido sobre o quanto o meu jeito de cozinhar mudou no último ano: não faço mais tantos doces como antes (falta de tempo + a minha intolerância à lactose) e também não testo tantas receitas novas como antigamente. Há vezes em que folheio meus livros e revistas de culinária e as fotos me dão uma vontade doida de experimentar, mas de uns tempos para cá tenho sentido mesmo a necessidade de comer receitas com as quais estou familiarizada.

Volto toda hora às receitas que chamo de “clássicas” na minha casa, comida que conforta e alimenta tanto o corpo quanto a alma. Faço molho de tomate com bastante frequência (inclusive para ter sempre uma porção no freezer para emergências ou dias/noites de preguiça), mas há vezes em que eu o vario um pouco (quando tenho mais tempo) com a receita que lhes trago hoje: é deliciosa e um sucesso comigo e com o meu marido, ambos fãs de cebola. Além de parafuso, gosto de usar orecchiette nesta receita, pois são como piscininhas de molho. :)

Macarrão com molho de tomate e cebola
um nadinha adaptado do maravilhoso Antonio Carluccio

2 colheres (sopa) de azeite de oliva
2 cebolas médias (300g), descascadas e cortadas em meias-luas finas
1 colher (sopa) de vinho tinto seco
1 lata de 400g de tomates pelados picados
1 colher (sopa) de extrato de tomate
1 colher (chá) de açúcar cristal
1 folha de louro
sal e pimenta do reino moída na hora
1 punhado de folhas de manjericão fresco, rasgadas
200g de macarrão do tipo curto
parmesão ou pecorino ralados, para servir

Aqueça o azeite em uma frigideira antiaderente grande em fogo médio-baixo. Junte as cebolas e refogue até que fiquem transparentes e macias, cerca de 20 minutos – mexa algumas vezes para que a cebola não queime e não grude no fundo da panela. Junte o vinho e raspe os queimadinhos no fundo da panela. Acrescente o tomate pelado, o extrato de tomate, 1/3 da lata de água, o açúcar, o louro e tempere com sal e pimenta do reino. Abaixe o fogo para o mínimo e cozinhe, mexendo algumas vezes, por 15 minutos. Junte o manjericão e desligue o fogo.

Enquanto o molho apura, cozinhe o macarrão em água fervente com sal até ficar al dente (siga o tempo descrito na embalagem). Escorra bem e incorpore o macarrão ao molho. Sirva imediatamente com parmesão ou pecorino.

Rend.: 2 porções

quinta-feira, fevereiro 08, 2018

Barquinhas de batata com espinafre, bacon e queijo

English version

Loaded potatoes with spinach, bacon and cheese / Barquinhas de batata com espinafre, bacon e queijo

Trabalho em uma empresa suíça e esta semana várias pessoas da matriz tem me perguntado sobre o Carnaval, ou me desejando um ótimo feriado – é engraçado porque não sou uma pessoa de Carnaval (minhas colegas não sabem disso), mas eu adoro os dias de folga. :)

Acho estas barquinhas de batata perfeitas para dias de preguiça: meia dúzia de ingredientes, preparo fácil e um resultado delicioso. Minhas versões mais recentes não incluem mais o queijo Canastra: eu adiciono um pouco de levedura nutricional ao recheio para dar um gostinho de queijo. Há vezes em que polvilho o topo das barquinhas com queijo pecorino antes de levar ao forno, já que este queijo não me causa problemas digestivos.

Barquinhas de batata com espinafre, bacon e queijo
receita minha

- xícara medidora de 240ml

4 batatas grandes
6 fatias de bacon picadas
2 dentes de alho, amassados e picadinhos
1 ¾ xícaras (120g) de folhas de espinafre – aperte-as na xícara na hora de medir
sal e pimenta do reino moída na hora
¾ xícara (75g) de queijo Canastra ralado grosseiramente – rale, depois meça

Preaqueça o forno a 200°C. Forre uma assadeira média e rasa com papel alumínio.
Faça furinhos em todas as batatas com um garfo. Coloque-as inteiras no papel alumínio e leve ao forno for cerca de 50 minutos (o tempo pode variar dependendo do tamanho das batatas). Retire do forno, mas mantenha-o ligado. Quando conseguir manusear as batatas sem se queimar (use um pano de prato para proteger as mãos), corte-as ao meio no sentido horizontal e, com uma colher, remova parte da polpa, transferindo para uma tigela (não retire muita polpa, senão as cascas ficarão muito finas e não aguentarão o peso do recheio). Transfira as barquinhas de volta para o papel alumínio.

Em uma frigideira antiaderente grande em fogo alto, frite o bacon, mexendo algumas vezes, até que fique crocante. Junte o alho e refogue por 1 minuto – não deixe o alho queimar para não amargar a comida. Acrescente o espinafre, tempere com sal e pimenta do reino e refogue por 3-4 minutos ou até murchar. Retire do fogo, junte a polpa de batata reservada e misture. Incorpore ½ xícara do queijo e recheie as barquinhas de batata. Salpique com o queijo restante e volte ao forno por mais 15 minutos ou até o topo dourar bem.

Rend.: 4 porções servidas com uma saladinha de folhas

terça-feira, fevereiro 06, 2018

Tagine de legumes e um pouco de planejamento na cozinha

English version

Vegetable tagine / Tagine de legumes

Há vezes em que o ritmo no trabalho fica tão intenso (como semana passada, por exemplo) e o que tenho feito nestas épocas é deixar refeições prontas ou quase prontas na geladeira ou no freezer – faz uma diferença enorme. Planejamento é mesmo tudo.

Almôndegas, molho de tomate, pesto (que agora faço vegano e fica delicioso), ensopados de carne: estes tem sido os meus aliados ultimamente. Agora posso incluir outro prato na lista: esta tagine de legumes. É deliciosa e congela super bem – é só não adicionar o coentro fresco e deixar para incorporá-lo à tagine só na hora de servir. Já fiz a receita algumas vezes e acrescentei azeitonas verdes em rodelas – fica ainda mais gostosa, com um toque salgadinho interessante. Eu não tinha azeitona na geladeira no dia da foto, mas quem gosta delas como eu precisa considerar a minha sugestão.

Tagine de legumes
receita minha, inspirada por diversas que vi na Internet

- xícara medidora de 240ml

1 ½ colheres (sopa) de azeite de oliva
½ pimentão amarelo, picadinho
½ cebola grande, picadinha
3 dentes de alho amassados e picadinhos
1 ½ colheres (chá) de cominho em pó
1 colher (chá) de cúrcuma em pó
½ colher (chá) de páprica picante – use a doce se não gostar de comida apimentada
1 colher (chá) de pimenta síria
¼ xícara de vinho branco seco
1 cenoura média, descascada e cortadas em moedas de ½cm (as da foto estão muito grossas, demoraram mais para cozinhar)
1 batata doce (cerca de 250g), descascada e cortada em cubos de 2cm
200g de abóbora menina ou pescoço, descascada e cortada em cubos de 2cm
1 lata (400g) de tomates pelados picados
2 xícaras de água fervente + um pouquinho extra se for necessário
2 folhas de louro
1 berinjela pequena (cerca de 250g) cortada em cubos de 3 cm
sal e pimenta do reino moída na hora
1 xícara de ervilhas frescas congeladas (não precisa descongelar antes de usar)
1 punhado de folhas de coentro fresco

Aqueça o azeite em uma panela grande ou frigideira funda em fogo alto. Junte o pimentão e a cebola e refogue, mexendo de vez em quando, até a cebola ficar transparente. Junte o alho e refogue por 1 minuto – não deixe o alho queimar para não amargar a tagine. Acrescente as especiarias e refogue por 1 minuto. Junte o vinho e raspe os queimadinhos do fundo da panela com uma colher de pau ou espátula de silicone – eles dão mais sabor à comida. Acrescente a cenoura, a batata doce e a abóbora e cozinhe, mexendo algumas vezes, por 5 minutos. Junte o tomate pelado e quebre os pedaços com as contas da colher. Junte a água, o louro, a berinjela, tempere com sal e pimenta do reino e cozinhe, parcialmente tampado, por 30-35 minutos ou até que os legumes estejam macios – dê uma olhadinha de vez em quando e se o molho estiver secando junte mais água. Junte as ervilhas, cubra, retire do fogo e aguarde 5 minutos. Misture o coentro e sirva.

Rend.: 4-5 porções

terça-feira, janeiro 30, 2018

Cookies de aveia, limão siciliano e passas

English version

Lemon and raisin oatmeal cookies / Cookies de aveia, limão siciliano e passas

Dias atrás eu estava pensando (de novo) em ingredientes que despertam a ira em pessoas: além de coco e coentro, não consigo lembrar de outro que divida as pessoas tanto quanto as passas, pelo menos aqui no Brasil. É só dezembro chegar que os memes no Facebook e no Twitter aparecem aos montes, alguns celebrando o ódio pelas passas e o horror de vê-las nos pratos natalinos e outros com declaração de amor pelo ingrediente, “soca uva passa em tudo, sim”. É muito doido. :D

Eu gosto de passas e não tenho nada contra as pobrezinhas, entretanto as prefiro em pratos doces a pratos salgados. Em biscoitos as passas vão bem demais e aqui, combinadas com limão siciliano e aveia, os tornam ainda mais gostosos.

Cookies de aveia, limão siciliano e passas
receita minha

- xícara medidora de 240ml

¾ xícara (105g) de farinha de trigo
½ colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
1/3 xícara (67g) de açúcar cristal
1/3 xícara (58g) de açúcar mascavo claro – aperte-o na xícara na hora de medir
raspas da casca de 2 limões sicilianos
½ xícara (113g) de manteiga sem sal, temperatura ambiente
1 ovo grande, temperatura ambiente
½ colher (chá) de extrato de baunilha
1 1/3 xícaras (120g) de aveia em flocos
1 xícara (150g) de passas, claras ou escuras

Preaqueça o forno a 180°C e forre duas assadeiras grandes e rasas com papel manteiga. Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha, o bicarbonato e o sal. Reserve.

Na tigela da batedeira, junte os açúcares e as raspas de casca de limão e esfregue com as pontas dos dedos até aromatizar. Acrescente a manteiga e bata até obter um creme claro – raspe as laterais da tigela ocasionalmente durante todo o preparo da receita.
Junte o ovo e a baunilha e bata para incorporar. Acrescente a mistura de farinha e a aveia de uma vez e misture em velocidade baixa somente até incorporar e uma massa se formar. Com uma espátula de silicone, misture as passas.

Faça bolinhas usando 2 colheres (sopa) niveladas de massa por biscoito e coloque-as nas assadeiras preparadas deixando 5cm de distância entre elas. Asse por 12-14 minutos ou até que os biscoitos dourem nas extremidades. Deixe esfriar nas assadeiras por 5 minutos e então deslize o papel com os biscoitos para uma gradinha e deixe esfriar completamente.

Rend.: 20 unidades

sexta-feira, janeiro 26, 2018

Panzanella com um toque espanhol - perfeita para o final de semana

English version

Panzanella with a Spanish touch / Panzanella com um toque espanhol

Eu me lembro da primeira vez em que fiz uma panzanella em casa: foi uma revelação. Quem poderia imaginar que uma salada feita com pão amanhecido seria tão deliciosa? Os italianos, claro. :)

Por mais que eu ame comida italiana – metade do meu sangue é italiano, aliás – adicione uns toques espanhóis à minha panzanella: chorizo crocante, grão-de-bico, vinagre de xerez no molho. A salada ficou incrível e é uma ótima ideia para almoço ou jantar nos dias quentes que estamos tendo aqui em São Paulo ultimamente (para deixar a salada ainda mais refrescante, adicione um pepino japonês em fatias bem finas). A salada vai bem também em finais de semana preguiçosos como o que pretendo ter. :)

Panzanella com um toque espanhol
receita minha

- xícara medidora de 240ml

½ cebola roxa, descascada e cortada ao meio
1 colher (sopa) de vinagre de xerez – ou use o vinagre que preferir
2 xícaras de cubos de pão amanhecido (os cubos devem ter aproximadamente 2cm)
3 colheres (sopa) de azeite de oliva extra virgem
3 tomates bem maduros, sem as sementes e cortados em pedaços grandes
100g de chorizo em cubinhos
¾ xícara (127g) de grão-de-bico cozido e escorrido
½ colher (chá) de mostarda de Dijon
sal e pimenta do reino moída na hora
1 punhado de folhas de manjericão fresco

Corte a cebola em meias-luas bem fininhas, transfira para uma tigelinha, regue com o vinagre e deixe descansar por 15 minutos ou pelo tempo necessário para preparar as outras etapas da salada.

Preaqueça o forno a 180°C. Forre uma assadeira rasa com papel manteiga ou papel alumínio, espalhe os cubos de pão sobre ele e regue com 1 colher (sopa) do azeite. Leve ao forno por cerca de 8 minutos ou até o pão dourar. Retire do forno e reserve.
Enquanto isso, aqueça uma frigideira antiaderente em fogo alto. Junte os cubinhos de chorizo e frite, mexendo algumas vezes, até dourar. Transfira os cubinhos para um prato forrado com papel toalha.

Transfira o pão, o chorizo, os tomates e o grão-de-bico para uma travessa grande. Escorra a cebola à salada (reserve o vinagre para fazer o molho da salada). Ao vinagre da tigelinha junte o azeite restante, a mostarda, o sal e a pimenta do reino e misture bem. Despeje sobre a salada, misture bem e reserve por 30 minutos. Junte o manjericão e sirva em seguida.

Rend.: 2 porções

quinta-feira, janeiro 25, 2018

Muffins de banana com farofinha de castanha de caju

English version

Banana muffins with cashew nut streusel / Muffins de banana com farofinha de castanha de caju

Geralmente fazer doces com banana em casa não é fácil, pois eu e meu marido amamos tanto a fruta que comemos todas as bananas antes de ficarem maduras o suficiente para bolos e muffins. Entretanto, quando os dias estão quentes como agora as bananas amadurecem do dia para a noite, e estes muffins são um jeito ótimo de usá-las.

Desenvolvi esta receita há séculos, ainda para o livro. Ultimamente tenho feito os muffins sem a farofinha (por causa da intolerância à lactose) e os muffins ficam gostosos também. Porém, se vocês puderem, preparem os muffins com a cobertura: ela os torna mais especiais ainda.

Muffins de banana com farofinha de castanha de caju
receita minha

- xícara medidora de 240ml

Farofinha:
½ xícara (70g) de farinha de trigo
½ xícara (88g) de açúcar mascavo claro – aperte-o na xícara na hora de medir
¼ colher (chá) de canela em pó
1 pitada de sal
5 colheres (sopa) - 70g - de manteiga sem sal, gelada e em cubinhos
2/3 xícara de castanhas de caju sem sal, picadinhas – meça, depois pique

Muffins:
2 xícaras (280g) de farinha de trigo
1 ½ colheres (chá) de bicarbonato de sódio
¼ colher (chá) de sal
¼ colher (chá) de canela em pó
4 bananas pequenas maduras
¾ xícara (150g) de açúcar demerara – usado para dar cor e um sabor caramelado à massa; pode ser substituído por açúcar granulado
½ xícara (120ml) de óleo de canola
2 ovos grandes
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Preaqueça o forno a 200°C. Forre uma forma de muffins com 12 cavidades com forminhas de papel.

Farofinha: em uma tigela pequena, misture a farinha, o açúcar, a canela e o sal. Junte a manteiga e misture com as pontas dos dedos até obter uma farofinha grossa. Acrescente as castanhas, misture usando um garfo e leve à geladeira enquanto prepara a massa dos muffins.

Muffins: em uma tigela grande, peneire a farinha, o bicarbonato, o sal e a canela. Reserve. Em uma tigela média, amasse as bananas com um garfo. Acrescente o açúcar, o óleo, os ovos e a baunilha e misture bem. Despeje sobre os ingredientes secos e misture levemente com o garfo até incorporar os ingredientes, mas sem misturar demais – massa de muffin é empelotada mesmo, e não lisa como a de bolo; se mexer demais os muffins ficarão duros. Divida a massa entre as forminhas e cubra com a farofinha, apertando levemente com a mão em concha para que grude na massa.
Asse por 20-25 minutos ou até que os muffins cresçam e dourem (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma por 5 minutos e então desenforme com cuidado, transferindo para uma gradinha. Sirva mornos ou em temperatura ambiente.

Rend.: 12 unidades

sexta-feira, janeiro 19, 2018

Bolo de chocolate e amendoim (sem farinha de trigo)

English version

Flourless chocolate peanut cake / Bolo de chocolate e amendoim (sem farinha de trigo)

Hoje de manhã brinquei em um post do Instagram que esta semana que está durando 45 dias – estou completamente exausta e feliz por hoje ser sexta-feira. \0/ Em comemoração, trago uma receita que é perfeita para o final de semana: um bolo úmido, quase cremoso, com um sabor intenso de chocolate, para ser servido com chantilly ou sorvete.

O bolo é parecido com este aqui, também sem farinha de trigo, porém mais úmido e mais saboroso. A receita é fácil de fazer e leva amendoim, um ingrediente super brasileiro, barato e que combina bem com chocolate.

Bolo de chocolate e amendoim (sem farinha de trigo)
receita minha

- xícara medidora de 240ml

200g de chocolate com 70% de cacau, picadinho
¾ xícara (170g) de manteiga sem sal, picada
1 xícara (200g) de açúcar cristal
4 ovos grandes
1 colher (chá) de extrato de baunilha
2/3 xícara (65g) de farinha de amendoim
1 pitada de sal
chantilly ou sorvete, para servir

Preaqueça o forno a 180°C. Unte com manteiga uma forma redonda de 20cm de diâmetro com fundo ou aro removível, forre o fundo com um círculo de papel manteiga e unte-o também.

Em uma tigela grande, junte o chocolate e a manteiga e leve ao banho-maria em fogo baixo, mexendo até que derretam. Retire do fogo e deixe esfriar.
Junte o açúcar e misture com um batedor de arame. Acrescente os ovos, um a um, misturando bem com o batedor a cada adição. Junte a baunilha.
Acrescente a farinha de amendoim e o sal e incorpore com uma espátula de silicone. Transfira a massa para a forma e leve ao forno por cerca de 35 minutos ou até que o topo do bolo esteja opaco e um palito inserido no centro saia com um pouquinho de massa grudado nele.
Deixe esfriar completamente na forma, sobre uma gradinha. Desenforme com cuidado e sirva com chantilly ou sorvete.

Rend.: 8-10 porções

quarta-feira, janeiro 10, 2018

Focaccia de alho assado e pecorino

English version

Roasted garlic pecorino focaccia / Focaccia de alho assado e pecorino

Posso dizer que depois da adorável Ina Garten minha apresentadora favorita do Food Network é a Rachael Ray: ela é divertida e sua comida sempre parece deliciosa, apesar de eu quase sempre achar as porções um pouco generosas demais. :)

Ela sempre fala sobre o quanto ama alho e super me identifico: tenho a mão pesada na hora de adicionar alho na comida (vai ver é por isso que lá em casa dificilmente alguém fica gripado) e geralmente dobro a quantidade pedida em receitas. E alho assado, então? Amo tanto que tive que colocar o ingrediente em uma massa de focaccia. Ficou deliciosa, mas se você não é tão fã assim de sabores fortes pode cortar a quantidade de alho pela metade e substituir o pecorino por parmesão.

Roasted garlic pecorino focaccia / Focaccia de alho assado e pecorino


Focaccia de alho assado e pecorino
receita minha

- xícara medidora de 240ml

Para o alho assado:
1 cabeça de alho grande, inteira
1 colher (sopa) de azeite de oliva extra virgem

Massa da focaccia:
2 colheres (chá) de fermento biológico seco
¼ colher (chá) de açúcar cristal
300ml de água morna
3 colheres (sopa) de azeite de oliva extra virgem + um pouquinho extra para regar a focaccia
3 ¼ xícaras (455g) de farinha de trigo
1 colher (chá) de sal
1/3 xícara de queijo pecorino ralado fininho – rale, depois meça
2 colheres (sopa) de tomilho fresco, só as folhas

Pré-aqueça o forno a 180°C. Coloque a cabeça de alho inteira em um pedaço médio de papel alumínio, regue com o azeite e feche o papel, apertando bem as extremidades para que o azeite não vaze. Coloque o pacotinho em uma assadeira pequena e leve ao forno por cerca de 45 minutos ou até que o alho esteja macio. Retire do forno e, com cuidado para não se queimar com o vapor, abra o pacotinho para que o alho possa esfriar levemente. Assim que conseguir manusear o alho sem se queimar, remova a polpa das cascas, coloque em um pratinho e amasse bem com um garfo até obter um purê (reserve o azeite que ficou no papel alumínio).

Na tigela da batedeira planetária, ou em uma tigela grande caso vá sovar a focaccia com as mãos, junte o fermento biológico, o açúcar e a água morna. Misture com um garfo e reserve por cerca de 5 minutos ou até que a mistura espume. Acrescente o azeite, a farinha, o sal e metade do pecorino. Bata com o batedor em formato de gancho em velocidade média por 6-8 minutos ou até obter uma massa lisa e homogênea – se sovar na mão, 10-12 minutos. Junte o alho amassado, metade das folhinhas de tomilho e incorpore bem. Transfira a massa para uma tigela grande pincelada com azeite, cubra com filme plástico e deixe crescer em um lugar livre de correntes de ar até que a massa dobre de volume, cerca de 1 hora e meia – em dias muito frios eu ligo o forno e deixo a cozinha mais morninha para que a massa cresça bem.

Unte com azeite uma assadeira rasa de aproximadamente 30x45cm. Transfira a massa para a assadeira preparada com cuidado para não perder o ar e formate-a em um oval de mais ou menos 30x20cm. Polvilhe com farinha as pontas dos três dedos centrais de uma das mãos e faça furinhos em toda a extensão da massa (sem deixar que atravessem o fundo). Meça o azeite que sobrou do alho assado e acrescente azeite (se necessário) até completar 1 colher (sopa). Regue a focaccia com este azeite, salpique com o tomilho e o pecorino restantes. Deixe crescer novamente em um lugar quentinho, livre de correntes de ar, por cerca de 20 minutos ou até estufe levemente e quase dobre de volume – enquanto isso, preaqueça novamente o forno, desta vez para assar a focaccia, a 200°C.

Asse até que a foccacia doure bem, 25-30 minutos. Retire do forno e, com o auxílio de uma espátula grande de metal, transfira para uma gradinha. Sirva morna ou em temperatura ambiente – a focaccia pode ser guardada em um recipiente hermético em temperatura ambiente por até 2 dias e fica como fresca novamente depois de alguns minutos no forno quente.

Rend.: 8-10 porções

quarta-feira, janeiro 03, 2018

Bolo-pudim Floresta Negra para começar 2018

English version

Black Forest self-saucing pudding / Bolo-pudim Floresta Negra

Feliz Ano Novo, pessoal! :)

Há séculos que não posto nada novo aqui no blog, apesar de ter uma lista quilométrica de receitas gostosas para dividir com vocês: o trabalho em dezembro aumentou consideravelmente e trabalhei muito para deixar tudo direitinho e poder tirar alguns dias de férias. Havia prometido a mim mesma que durante os tais dias de férias não me sentaria na frente do computador e estou orgulhosa por ter cumprido a promessa – eu precisava mesmo descansar. Claro que sou humana e cheia de falhas, acabei usando meu celular para postar no Instagram e no Twitter, mas mesmo isso pouco, bem menos do que eu esperava.

Voltei ao trabalho e já que ainda temos cerejas nos mercados achei que era hora de postar esta sobremesa: é deliciosa e fácil de fazer. Quando testei esta receita no passado usei framboesas congeladas em uma das vezes: o bolo-pudim deixa de ser Floresta Negra, mas continua saboroso, e assim dá para prepará-lo em outras épocas do ano.

Bolo-pudim Floresta Negra
receita minha

- xícara medidora de 240ml

Massa:
¾ xícara + 2 colheres (sopa) - 125g - de farinha de trigo
3 colheres (sopa) de cacau em pó, sem adição de açúcar
1/3 xícara (67g) de açúcar cristal
1 ¼ colheres (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
¼ xícara (56g) de manteiga sem sal, derretida e fria
1/3 xícara (80ml) de leite integral, temperatura ambiente
1 ovo grande
1 colher (chá) de baunilha
2 colheres (chá) de conhaque – se tiver kirsch em casa, use-o no lugar do conhaque; se preferir, omita o álcool
1 xícara (150g) de cerejas frescas, sem os caroços e cortadas ao meio – meça, depois remova os caroços
¼ xícara (42g) de chocolate meio amargo em gotas – usei um com 53% de cacau

Cobertura:
½ xícara (88g) de açúcar mascavo claro – aperte-o na xícara na hora de medir
1 ½ colheres (sopa) de cacau em pó, sem adição de açúcar
½ xícara (120ml) de água fervente

Para servir:
chantilly ou sorvete de baunilha

Preaqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga 4 refratários com capacidade para 1 xícara (240ml) cada.

Comece preparando a massa: em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha, o cacau, o açúcar cristal, o fermento em pó e o sal. Reserve.
Em outra tigela média, misture com um batedor de arame a manteiga, o leite, o ovo, a baunilha e o kirsch. Despeje sobre os ingredientes secos e misture até obter uma massa espessa. Incorpore as cerejas e o chocolate. Divida a massa entre os potinhos.

Cobertura: em uma tigela pequena, misture o açúcar mascavo e o cacau. Polvilhe sobre a massa. Arrume os potinhos em uma assadeira rasa e então despeje 2 colheres (sopa) da água fervente sobre cada potinho, delicadamente. Leve ao forno por 20-25 minutos ou até que a mistura cresça e forme uma crosta. Sirva imediatamente com chantilly ou sorvete de baunilha.

Rend.: 4 porções

.