Thursday, December 22, 2016

Arroz doce de eggnog com cerejas assadas e a razão pela qual eu amo tanto o Natal

English version

Eggnog rice pudding with roasted cherries / Arroz doce de eggnog com cerejas assadas

Acho que posso dizer que a principal razão pela qual eu adoro tanto o Natal é porque me lembra demais minha mãe: ela adorava esta época do ano e para mim é impossível esquecer toda a arrumação pela casa ao som do disquinho de músicas natalinas tocando na vitrola. Por isso, decidi encerrar a série de Natal deste ano com uma receita que faço toda vez em que a saudade bate mais forte do que o coração consegue suportar: arroz doce.

Infelizmente a receita não é exatamente a da minha infância – quando meu pai se casou de novo a mulher dele fez questão de destruir e jogar fora tudo o que fora de minha mãe, e os cadernos de receita dela se perderam para sempre –, mas não tem problema: de qualquer forma, esta receita me lembra as tardes de chuva com arroz doce pelando e desenhos animados na TV.

Desta vez servi o arroz doce frio por causa das cerejas assadas que o acompanharam e também adicionei um tiquinho de noz-moscada e conhaque ao arroz, para evocar o sabor de eggnog – ficou bem gostoso e encheu meu coração de alegria.

Desejo a todos vocês um Natal maravilhoso, cheio de amor e felicidade, e um Ano Novo incrível – obrigada por me fazerem companhia todo esse tempo! xx

Arroz doce de eggnog com cerejas assadas
criação minha

- xícara medidora de 240ml

Cerejas assadas:
150g de cerejas frescas
1 ½ colheres (sopa) de açúcar cristal
o suco de ½ laranja grande, espremido na hora
1 pau de canela pequeno

Arroz doce:
½ xícara (110g) de arroz agulhinha
3 xícaras (720ml) de leite integral
½ xícara de leite condensado
1 pitada de sal
½ colher (chá) de noz-moscada ralada na hora - deixe-a soltinha na colher na hora de medir, sem apertar
1 colher (sopa) de conhaque
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Comece pelas cerejas: preaqueça o forno a 200°C. Corte as cerejas ao meio e retire os caroços. Transfira as cerejas para um refratário raso com capacidade para 4 xícaras. Junte o açúcar, o suco de laranja e o pau de canela, misture e leve ao forno por cerca de 20 minutos ou até que a mistura esteja borbulhando e o suco reduza bastante. Deixe esfriar completamente e então leve à geladeira.

Enquanto as cerejas estão no forno, prepare o arroz: lave bem o arroz até que a água saia clara. Deixe escorrer até que seque levemente. Transfira para uma panela média, junte o leite, o leite condensado e o sal e leve ao fogo alto, mexendo, até que a mistura comece a ferver. Abaixe o fogo, junte a noz-moscada e o conhaque, e então cozinhe, mexendo para não grudar no fundo, por 20 minutos ou até que o arroz fique macio. Deixe esfriar, cubra e leve à geladeira.
Sirva o arroz doce com as cerejas.

Rend.: 4 porções

Monday, December 19, 2016

Bolinhas de rum e noz moscada e lidando com massa de biscoito num dia quente

English version

Rum nutmeg snowballs / Bolinhas de noz-moscada e rum

Semanas atrás, enquanto fazia a lista de receitas que eu queria fazer para presentear alguns amigos, vi estes biscoitinhos em uma das edições digitais da revista da Martha Stewart (a assinatura que saiu por quase nada). Decidi fazer bom uso do dinheiro gasto e usar a receita – os biscoitos eram bonitinhos e a combinação de sabores me parecia bem gostosa.

Entretanto, estava fazendo biscoitos em um dia bem quente e foi um pesadelo tentar formatar a massa em meias-luas – na hora em que consegui moldar dois a massa já estava ficando mole demais. Coloquei-a de volta na geladeira e resolvi transformar as meias-luas em bolinhas – bolinhas de neve, vejam só. :) No final foi uma boa ideia: os biscoitos ainda assim ficaram lindinhos e deliciosos.

Bolinhas de rum e noz moscada
um nadinha adaptadas da Rainha Martha

- xícara medidora de 240ml

2 xícaras (280g) de farinha de trigo
1 ½ colheres (chá) de noz moscada ralada na hora – deixe-a soltinha na colher na hora de medir, sem apertar
¼ colher (chá) de sal
¾ xícara (170g) de manteiga sem sal, temperatura ambiente
½ xícara (70g) de açúcar de confeiteiro, peneirado – meça, depois peneire
2 colheres (sopa) de rum (Martha usa conhaque)
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Para envolver os biscoitos já assados:
½ xícara (70g) de açúcar de confeiteiro, peneirado – meça, depois peneire

Em uma tigela media, misture com um batedor de arame a farinha, a noz-moscada e o sal. Reserve.
Na tigela da batedeira, bata a manteiga e o açúcar de confeiteiro até obter uma mistura cremosa e clara, cerca de 2 minutos. Junte a baunilha e o rum e bata para incorporar – raspe as laterais da tigela ocasionalmente durante todo o preparo da massa. Em velocidade baixa, junte os ingredientes secos e bata somente até incorporar. Divida em duas partes iguais, formate um disco com cada uma delas e embrulhe em filme plástico. Leve à geladeira até firmar, cerca de 1 hora (ou faça de um dia para o outro).

Preaqueça o forno a 180°C. Forre duas assadeiras grandes e rasas com papel manteiga.
Trabalhando com um disco de massa por vez (mantenha o outro na geladeira), faça bolinhas usando 1 colher (sopa) nivelada de massa por biscoito. Arrume-as nas assadeiras preparando deixando 2,5cm entre uma e outra. Leve ao forno até que dourem na base, 16-18 minutos – os biscoitos ficam branquinhos, mesmo, não ganham muita cor no forno. Transfira a assadeira para uma gradinha e deixe esfriar por 5 minutos. Com cuidado, retire os biscoitos do papel e passe-os ainda quente pelo açúcar de confeiteiro, transferindo-os então para a gradinha para que esfriem completamente.

Os biscoitinhos podem ser guardados por até 3 dias em um pote hermético em temperatura ambiente. Passe-os novamente pelo açúcar de confeiteiro antes de servir.

Rend.: cerca de 42 unidades


Thursday, December 15, 2016

Muffins de panetone - para aqueles dias em que não há tempo para (ou vontade de) usar fermento biológico

English version

Panettone muffins / Muffins de panetone

No final de semana passado meu forno trabalhou feito louco: assei diferentes tipos de biscoitos para dar de presente a amigos queridos (um deles foi o pfeffernüsse, meu biscoito de Natal favorito) e também preparei estes muffins de panetone, incrivelmente macios, perfumados e gostosos: eles são a solução perfeita para aqueles dias em que bate uma vontade louca de comer panetone, mas não tenho tempo (e às vezes nem vontade, vamos ser honestos aqui) para trabalhar com fermento biológico.

Usei a mesma combinação de sabores que usara no panetone tradicional – raspas de casca de laranja e limão siciliano, baunilha, Cointreau e Amaretto – e também as mesmas frutas secas, com a adição de damasco. Enquanto eu assava os muffins meu marido veio à cozinha perguntar o que eu estava fazendo, pois o cheiro era fantástico.

Os muffins ficaram extremamente fofinhos e bastante saborosos, e mesmo dois dias depois ainda estavam ótimos – é só guardar bem fechadinhos em um recipiente hermético, o bom e velho tapué. ;) Os muffins também ficam uma delícia tostados com um pouquinho de manteiga por cima – hum!

Muffins de panetone
um tiquinho adaptados das lindezas da farinha King Arthur

- xícara medidora de 240ml

1 laranja grande
1/3 xícara de passas claras
1/3 xícara de passas escuras
1/3 de damascos secos em cubinhos pequenos – pique, depois meça
1/3 xícara de cranberries secas
¼ xícara (60ml) de suco de laranja
¼ xícara (56g) de manteiga sem sal, amolecida
2 colheres (sopa) de óleo de canola
½ xícara (100g) de açúcar cristal
raspas da casca de 1 limão siciliano
2 ovos grandes
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 colher (chá) de Cointreau
1 colher (chá) de Amaretto
2 ¼ xícaras (315g) de farinha de trigo
2 colheres (chá) de fermento em pó
¼ colher (chá) de sal
2/3 xícara (160ml) de leite integral, temperatura ambiente
1 ½ colheres (sopa) de açúcar demerara para polvilhar sobre os muffins

Raspe a casca da laranja evitando remover a parte branca – as raspas tem que ser bem fininhas. Transfira as raspas para a tigela da batedeira e reserve. Esprema o suco até obter ¼ de xícara, transfira para uma panelinha e junte as passas, damasco e cranberries. Leve ao fogo alto e quando começar a ferver retire do fogo e deixe esfriar completamente.

Preaqueça o forno a 190°C. Forre uma forma de muffin de 12 cavidades com forminhas de papel.
Em uma tigela grande, misture com um batedor de arame a farinha, o fermento e o sal.
Às raspas de laranja na outra tigela junte a manteiga, o óleo, o açúcar cristal e as raspas de limão siciliano. Bata até obter um creme claro. Raspe as laterais da tigela ocasionalmente. Junte os ovos, um a um, batendo a cada adição. Junte a baunilha, o Cointreau e o Amaretto.
Em velocidade baixa, acrescente os ingredientes secos em três adições, alternando com o leite em duas adições – comece e termine com os ingredientes secos. Raspe novamente as laterais da tigela. Junte a casca de laranja cristalizada e as frutas secas junto com qualquer resquício de suco de laranja e misture.
Divida a massa entre as forminhas de papel – elas ficarão bem cheinhas e os muffins terão topos altos e bonitos. Salpique o açúcar demerara e asse por cerca de 20 minutos ou até que os muffins cresçam e dourem – faça o teste do palito.
Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 5 minutos e então remova os muffins da forma e transfira para a gradinha. Deixe esfriar completamente.

Rend.: 12 unidades


Monday, December 12, 2016

Panetone

English version

Panetone / Panettone

Apesar de fazer a série de Natal há uns bons anos, há outros muitos eu não fazia panetone – ou chocotone – em casa. Às vezes ganhamos panetone de presente, às vezes o João compra para matar a vontade, mas ele disse que este ano ele queria panetone caseiro. Como eu estava na vibe de Natal decidi fazer: era um sábado chuvoso, eu não queria mesmo sair de casa, então fiz o panetone e assisti a “Carol” (estou ainda tentando entender o auê todo na época dos prêmios de cinema).

Esta é uma adaptação do panetone do Paul Hollywood e ficou muito gostoso – o brioche macio perfumado de cítricos e pontilhado com frutinhas macias e docinhas. Mas diferentemente do brioche do Paul, que ainda fica incrível de um dia para o outro, o panetone ficou um pouco mais pesadão na manhã seguinte – ainda estava saboroso, mas perdeu um pouco no quesito textura. Se a sua família é grande, não se preocupe: tenho certeza de que o danado vai acabar num piscar de olhos. Entretanto, se a sua família for pequenina como a minha e vocês não derem conta do panetone no mesmo dia, não se preocupem: fica maravilhoso como rabanada. ;)

Panetone
um tiquinho adaptado do Paul Hollywood

14g de fermento biológico seco
140ml de leite integral morno
75g de açúcar cristal
500g de farinha de trigo comum
¼ colher (chá) de sal
5 ovos grandes, temperatura ambiente
raspas da casca de 1 laranja
raspas da casca de 1 limão siciliano
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 colher (chá) de Cointreau
1 colher (chá) de Amaretto
200g de manteiga sem sal, amolecida
120g de cranberries secas
120g de passas claras
120g de passas escuras
50g de casca de laranja cristalizada, picadinha

Para pincelar o panetone:
1 ovo batido com um garfo

Na tigela da batedeira planetária, coloque o fermento biológico, o leite e 1 pitada do açúcar. Misture com um garfo e reserve até espumar, uns 5 minutos. Junte a farinha, o sal, o açúcar restante, os ovos, as raspas de casca de laranja e limão siciliano, a baunilha, o Cointreau e o Amaretto. Bata em velocidade baixa usando o batedor em formato de gancho por 2 minutos. Aumente para a velocidade média e bata por mais 6-8 minutos ou até obter uma massa macia.

Junte a manteiga e misture por mais 5-8 minutos, raspando bem as laterais da tigela ocasionalmente – a massa é bem molinha mesmo, tem mais aspecto de massa de bolo do que de massa de pão. Junte as frutas secas e a casca de laranja cristalizada e incorpore-as bem à massa. Transfira a massa para uma tigela grande e pincelada com manteiga. Cubra com filme plástico e leve à geladeira de um dia para o outro, até a massa firmar bem para poder ser moldada.

Prepare uma forma de panetone de 18cm pincelando-a por dentro com manteiga derretida.* Retire a massa do panetone da geladeira, amasse para retirar o excesso de ar e forme uma bola com ela. Transfira para a forma preparada e deixe crescer em temperatura ambiente por 2-3 horas ou até que a massa chegue à beirada da forma.

Preaqueça o forno a 180°C. Pincele o topo do panetone com o ovo batido e asse por cerca de 25 minutos. Baixe a temperatura do forno para 150°C e então asse o panetone por mais 35 minutos ou até que cresça e doure – para testar, enfie um palito longo ou uma faca de lâmina fina no panetone: eles devem sair secos. Cheque o panetone constantemente, pois por causa da grande quantidade de açúcar e manteiga na massa ela pode dourar bastante antes de o panetone estar completamente assado – caso o panetone doure rápido demais, cubra-o de forma frouxa com papel alumínio.
Retire o panetone do forno e então desenforme imediatamente, deixando esfriar completamente sobre uma gradinha.

* usei uma forma redonda de 20cm para assar o meu panetone – fiz um colarinho com uma camada dupla de papel manteiga, dobrada ao meio (para conseguir assim quatro camadas) para ficar bem firme e untei tudo com manteiga derretida (há uma foto da forma preparada no meu Instagram).

Rend: 8-10 porções

Friday, December 09, 2016

Crumble de maçã e gingerbread e finais de semana

English version

Apple gingerbread crumble / Crumble de maçã e gingerbread

Hoje é sexta-feira (graças ao Universo!), ou como eu costumo chamar, o dia oficial em que as pessoas perguntam umas às outras o que farão no final de semana. :D

Falo pelos cotovelos – alguns de vocês que me conhecem pessoalmente já sabem disso – e por sorte tenho um bom relacionamento com praticamente todos do escritório. Às sextas alguns deles vem falar comigo e me perguntam quais são os grandes planos para o final de semana e é engraçado ver a cara deles quando respondo que pretendo cozinhar e assistir à Netflix. :D

Nas tardes de sábado e domingo uma das coisas de que mais gosto de fazer é preparar um crumble com quaisquer frutas que estejam na geladeira ou no freezer para depois me sentar confortavelmente no sofá e ver algum filme ou seriado – isso me relaxa tremendamente e me traz felicidade. Fiz exatamente isso no final de semana passado com as maçãs que eu tinha em casa e como eu ando numa onda natalina acrescentei especiarias à farofinha do crumble – ficou uma delícia e, por isso, divido a receita com vocês hoje.

Crumble de maçã e gingerbread
criação minha

- xícara medidora de 240ml

5 maçãs Granny Smith médias
1 xícara (140g) de farinha de trigo
5 colheres (sopa) de açúcar demerara
½ colher (chá) de pimenta da Jamaica em pó
½ colher (chá) de gengibre em pó
½ colher (chá) de canela em pó
1 pitada de sal
70g de manteiga sem sal, gelada e em cubinhos
6 colheres (sopa) de aveia em flocos

Preaqueça o forno a 180°C.

Descasque as maçãs, remova o miolo e as sementes e corte em cubinhos. Transfira para um refratário raso com capacidade para 4 xícaras (1 litro) – se preferir, faça crumbles individuais dividindo as maçãs entre 4 potinhos refratários de 1 xícara cada.

Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha, o açúcar, as especiarias e o sal. Junte a manteiga e esfregue os ingredientes com as pontas dos dedos até obter uma farofa grossa. Com um garfo, incorpore a aveia. Espalhe a farofinha sobre as maçãs e leve ao forno por cerca de 25 minutos ou até que doure e fique crocante.
Sirva com sorvete de baunilha ou creme de leite fresco.

Rend.: 4 porções

Monday, December 05, 2016

Bolo de especiarias e chocolate (gewürzschnitten) - sabores da minha infância em uma receita que eu nunca vira antes

English version

Spiced cake bars (gewürzschnitten) / Bolo de especiarias e chocolate (gewürzschnitten)

Nas minhas buscas todos os anos por receitas de Natal aprendi muitos tipos diferentes de doces, vi diversas fotos lindas e conheci sites e blogs incríveis. Algumas das receitas eram completamente novas para mim, outras eram feitas de sabores que eu reconhecia da minha infância, dos doces que minha avó alemã fazia.

Estas barrinhas deliciosas, uma espécie de bolinho que lembra pão de mel, são facílimas de fazer e eu não as conhecia nem sabia o nome delas: gewürzschnitten; entretanto, o sabor não me era estranho: quando mordi uma delas e senti a combinação de especiarias, chocolate e o limão da cobertura, meu paladar fez uma viagem ao passado. Não sei exatamente o que eu comi na infância que me lembrou tanto assim estas barrinhas, mas o que começou como uma inspiração encontrada neste blog lindo acabou como uma descoberta maravilhosa – a vó Frida não está mais por aqui para que eu lhe pergunte sobre isso, mas posso começar a minha própria tradição e fazer gewürzschnitten todos os dezembros de agora em diante. <3

Bolo de especiarias e chocolate (gewürzschnitten)
um tiquinho adaptado deste blog lindo

- xícara medidora de 240ml

Bolo:
1 ¼ xícaras (175g) de farinha de trigo
¾ xícara (75g) de farinha de amêndoa
2 colheres (sopa) de cacau sem adição de açúcar, peneirado – meça, depois peneire
1 ½ colheres (chá) de fermento em pó
1 pitada de noz moscada ralada na hora
1 pitada de cravo em pó
½ colher (chá) de gengibre em pó
½ colher (chá) de canela em pó
½ colher (chá) de pimenta da jamaica em pó
2 ovos grandes, gemas e claras separadas
1 pitada de sal
¾ xícara (150g) de açúcar cristal, uso dividido
1/3 xícara (75g) de manteiga sem sal, amolecida
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 colher (chá) de Amaretto (opcional)
100ml de leite integral, temperatura ambiente

Glacê:
¾ xícara (105g) de açúcar de confeiteiro, peneirado – meça, depois peneire
2-3 colheres (sopa) de suco de limão siciliano ou taiti

Preaqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma quadrada de 20cm, forre-a com papel manteiga deixando sobrar em dois lados opostos, formando uma espécie de “alça”, e então unte o papel também.

Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha de trigo, a farinha de amêndoa, o cacau, o fermento e as especiarias. Reserve.
Em uma tigela pequena, junte as claras e o sal e bata com a batedeira até obter picos suaves. Vá juntando metade do açúcar cristal (75g) aos poucos, batendo sempre, até obter um merengue espesso, sedoso e brilhante. Reserve.

Em uma tigela grande, novamente usando a batedeira, bata as gemas, a manteiga e o açúcar cristal restante até obter um creme claro – raspe as laterais da tigela ocasionalmente. Junte a baunilha e o Amaretto. Acrescente os ingredientes secos em três adições, alternando com o leite em duas adições – comece e termine com os ingredientes secos. Incorpore as claras batidas, misturando gentilmente, de baixo para cima. Espalhe a massa na forma preparada e alise a superfície. Asse por cerca de 20 minutos ou até que o bolo cresça e um palito inserido no centro saia limpo. Deixe esfriar completamente na forma sobre uma gradinha.

Glacê: coloque o açúcar de confeiteiro em uma tigelinha e vá juntando o suco de limão aos poucos, misturando até obter um glacê homogêneo. Espalhe sobre o bolo já frio e deixe secar. Corte em quadradinhos para servir.

Rend.: 16 unidades


Thursday, December 01, 2016

Bolinhas de neve de chocolate e amêndoa para iniciar a série de Natal 2016

English version

Winter snowball cookies / Bolinhas de neve de chocolate e amêndoa

Minha época favorita do ano chegou – é dezembro! \0/

Semana passada montei minha árvore de Natal e espalhei decorações pela casa – isso me fez imensamente feliz. Vejo velas douradas e bonecos de neve quando vou à cozinha beber um copo d’água e o Papai Noel enorme pendurado na minha porta me saúda pela manhã quando estou saindo para o trabalho: gostinho de Natal por aqui. <3

Dias atrás eu e o meu marido estávamos no shopping e percebi que tocavam músicas natalinas – pareciam as mesmas canções do disquinho de Natal que minha mãe tocava à exaustão quando eu era menina. Meus olhos se encheram de lágrimas ao pensar nela, mas algumas eram lágrimas de alegria, tamanho o meu amor por esta época do ano.

Minha série de Natal começa agora com estes biscoitinhos deliciosos e com uma textura incrivelmente leve – fáceis de fazer, podem virar um presentinho gostoso se colocados em um saquinho fechado com uma fita bem bonita.

Bolinhas de neve de chocolate e amêndoa
um tiquinho adaptadas do livro The Italian Baker

- xícara medidora de 240ml

Biscoitos:
2 xícaras (280g) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de cacau em pó, sem adição de açúcar, peneirado – meça, depois peneire
¾ xícara (75g) de farinha de amêndoa
1 pitada de sal
200g de manteiga sem sal, temperatura ambiente
¾ xícara (105g) de açúcar de confeiteiro, peneirado – meça, depois peneire
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 colher (chá) de Amaretto (opcional)

Para envolver os biscoitos:
1 xícara (140g) de açúcar de confeiteiro, peneirado – meça, depois peneire

Preaqueça o forno a 180°C. Forre duas assadeiras grandes e rasas com papel manteiga.

Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha de trigo, o cacau, a farinha de amêndoa e o sal. Reserve.
Na batedeira, bata a manteiga e o açúcar de confeiteiro (os 105g) até obter um creme claro – raspe as laterais da tigela ocasionalmente. Junte o extrato de baunilha e o Amaretto e misture. Em velocidade baixa, junte os ingredientes secos e misture apenas até incorporar e uma massa se formar.

Faça bolinhas com 1 colher (sopa) nivelada de massa por biscoito e arrume-as nas assadeiras preparadas deixando 2,5cm entre uma e outra. Asse por 18-20 minutos ou até que os biscoitos dourem bem por baixo. Retire do forno e deixe esfriar nas assadeiras sobre uma gradinha por 5 minutos. Com cuidado, remova os biscoitos do papel e passe-os pelo açúcar de confeiteiro restante, cobrindo-os generosamente. Transfira para a gradinha e deixe esfriar completamente.

Rend.: cerca de 48 unidades

Related Posts with Thumbnails